Aprovado em votação final projeto de concessão de terminais de ônibus e áreas públicas de São Paulo

Publicado em: 13 de novembro de 2019

Shoppings, escritórios e instituições de ensino poderão ser erguidos nos terminais de ônibus de São Paulo

Espaços para o transporte público vão receber shoppings e prédios

ADAMO BAZANI

A Câmara Municipal de São Paulo aprovou nesta quarta-feira, 13 de novembro de 2019, em votação definitiva, projeto com um pacote de concessões de bens e áreas públicas da prefeitura para a iniciativa privada.

Entre estas áreas estão os terminais municipais de ônibus.

Nos espaços do transporte coletivo será possível construir shoppings, instituições de ensino, escritórios e até imóveis residenciais.

Um modelo inicial de concessão seria do Terminal Princesa Isabel, no centro da cidade, mas como mostrou o Diário do Transporte, a concorrência foi revogada.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2019/08/03/gestao-bruno-covas-revoga-concessao-para-exploracao-do-terminal-de-onibus-princesa-isabel/

A ideia de conceder espaços públicos, entre os quais os terminais de ônibus, vem desde quando o hoje governador, João Doria, era ainda prefeito.

A primeira votação que aprovou o pacote de concessões ocorreu em 07 de novembro e foi uma matéria “jabuti”, ou seja, foi incluída num projeto que inicialmente não tinha relação com a série de concessões.

O projeto inicial se tratava apenas de uma homenagem à comunidade judaica, com a concessão do uso de parte de uma área na Avenida Nove de Julho onde fica o museu dedicado à esta cultura.

Para a aprovação final desta quarta-feira, 13, foi necessária uma “costura” entre a base de Bruno Covas e a oposição. Duas áreas da prefeitura que abrigam creches municipais foram retiradas do pacote.

Além de terminais de ônibus, o projeto engloba outras áreas municipais, como sob viadutos e pontes para comércio.

Os piscinões poderão ser geridos pela iniciativa privada, que será paga pela manutenção dos espaços e que OSs – Organizações Sociais poderão se responsabilizar pela gestão de serviços dedicados à cultura, como bibliotecas, museus e teatros.

O prefeito Bruno Covas ainda deve sancionar o projeto para virar lei

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Comentários

  1. Alfredo disse:

    Depois de privatizar todos os próprios da prefeitura, vamos fazer o mesmo com os vereadores e o prefeito, já que Ele não terá mais nada para administrar, pra que o PSDB se candidatou ? Para vender a cidade? A incompetência desta administração é uma vergonha

    1. Rodrigues disse:

      Privatizado funciona melhor que publico pois, visa lucro, vide linha 4 do metrô, ficar na mão do Governo só gerando despesas é besteira, deixem para aplicar nossos impostos na saúde e educação por exemplo.

  2. Rodrigo Zika! disse:

    Nesse caso eu concordo em privatizar, há anos os terminais sempre abandonados pela prefeitura e as obras demoram décadas pra sair do papel, um exemplo e o Terminal Parque Dom Pedro II, então nesse sentido pra melhorar o local e o comércio sou a favor.

  3. Alfredo disse:

    O Terminal Parque Dom Pedro foi inaugurado na época do Maluf prefeito e era muito bom, a atual administração não faz seu papel e abandonou intencionalmente todos os próprios públicos, como os cemitérios, com a desculpa da falta de verba, aos privatizantes podem ter certeza, continuará a falta de saúde, segurança, obras viárias, buracos e o IPTU continuará subindo todo ano,privatizar tudo só é bom pro empresário amigo do governo

Deixe uma resposta