BYD pretende ampliar produção de ônibus em parceria com Caio e Marcopolo

Parceria com a Caio é para produção de ônibus urbanos. Foto: Jessica Marques.

Carrocerias próprias da China utilizadas para testes já estão sendo enviadas de volta ao país pela fabricante de veículos elétricos

JESSICA MARQUES

A BYD pretende ampliar a produção de ônibus no Brasil em parceria com as fabricantes de carroceria de Caio e Marcopolo. A empresa de veículos elétricos decidiu não importar mais carrocerias próprias da China e as que foram utilizadas para testes já estão sendo enviadas de volta ao país asiático.

A informação foi divulgada ao Diário do Transporte pelo diretor de marketing, novos negócios e sustentabilidade da BYD, Adalberto Maluf, durante o evento BusPress com a imprensa especializada em transportes e influenciadores digitais.

“A Caio e a Marcopolo são nossas duas principais parceiras, junto com a Volare. Elas já têm diferentes modelos de ônibus em produção. Até meados desse ano, elas faziam nossas carrocerias como piloto, em uma área diferente da linha de montagem”, explicou Maluf.

Agora, os chassis elétricos já estão sendo encarroçados para vendas a empresas de ônibus no Brasil. “Nesse final de ano, a Caio e Marcopolo já estão com os veículos em linhas de montagem para produção comercial, então já começam a entrar lotes um pouco maiores na linha de produção”, afirmou Maluf.

Ambas as encarroçadoras produzem ônibus urbanos em parceria com a BYD e a Marcopolo também está sendo responsável por carrocerias de veículos rodoviários elétricos.

A primeira unidade será apresentada na Fresp (Federação das Empresas de Transporte de Passageiros por Fretamento no Estado de São Paulo), conforme noticiado pelo Diário do Transporte.

Relembre: BYD lançará ônibus elétrico rodoviário com carroceria Marcopolo

“A gente acredita que com esse volume vai fazer com que o ônibus elétrico ganhe cada vez mais importância dentro do portfólio das duas, da Caio e da Marcopolo, e da Volare. Na medida em que vão vendendo mais e aumentando portfólio, eles também vão investindo junto com a gente em mais ferramentas, para cada vez mais reduzir o custo dos ônibus”, disse Maluf.

CARROCERIA CHINESA

WhatsApp Image 2019-10-25 at 14.25.12

Ônibus elétrico com carroceria chinesa na Itajaí Transportes. Foto: Jessica Marques.

Ainda segundo Adalberto Maluf, os primeiros ônibus com carroceria chinesa ainda estão sendo testados por algumas empresas brasileiras, como a Itajaí Transportes, em Campinas, no interior paulista.

“Aqueles primeiros ônibus que a gente trouxe tinha uma função muito delimitada, que era serem homologados, ajudar a fazer a sinalização dos componentes e fazer esses primeiros projetos-piloto. Na medida em que esses projetos estão ocorrendo a gente está tirando esses ônibus antigos de circulação para aplicações internas nossas e deixando rodando nas ruas os ônibus novos que a gente fabricou aqui com a Caio e com a Marcopolo, afirmou o diretor.

Em outros países do mundo, a BYD opta por fabricar o ônibus inteiro, mas na América Latina, em especial no Brasil, a empresa decidiu seguir a tendência do mercado, que é dividido entre chassis e carroceria.

“A gente optou por usar as carrocerias nacionais porque elas têm uma expertise importante, são muito boas, muito produtivas, tem uma capacidade de adaptação para diferentes especificações de cidades que a gente não teria, então acho que foi uma parceria ganha-ganha para ambos os lados”, explicou Maluf.

“Acreditamos que essa parceria vai fazer com o que o mercado cresça. Então a BYD só vai produzir chassis no mercado brasileiro, vender para as carrocerias, e vamos juntos para o mercado vender esses ônibus elétricos para as cidades”, finalizou.

PERSPECTIVAS PARA 2020

Ao Diário do Transporte, Maluf afirmou que entraves em licitações de transportes na capital paulista e Campinas, no interior de São Paulo, atrasaram a produção de ônibus elétricos da BYD no país, mas a perspectiva para 2020 é de crescimento constante.

Leia mais em: Entraves em licitações de São Paulo e Campinas afetam produção de ônibus elétricos da BYD

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Rodrigo Zika! disse:

    É a única forma da BYD vender seus modelos no mercado que possui maiores possibilidades de vender os seus carros, que e SP, infelizmente o monopólio da Caio faz isso ocorrer, mais e uma ótima noticia.

  2. Paulo Gil disse:

    Amigos, bom dia.

    PREVISÍVELLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL

    Vai fazer parceria com quem?

    Só a Marcopolo e a Caio dominam o mercado os urbanos.

    Att,

    Paulo Gil

  3. Marcelo disse:

    Bons tempos da ciferal…..

Deixe uma resposta