ENTREVISTA: Linha 15-Prata do monotrilho ganha nova subestação de energia e Baldy confirma mais três estações até o final do ano

Publicado em: 22 de outubro de 2019
MONOTRILHO

Segundo Governo do Estado, com três novas estações, trens devem transportar 300 mil por dia útil

Secretário de Transportes da gestão Doria ainda reiterou que BRT do ABC terá projeto e modelo econômico de concessão concluídos até dezembro

ADAMO BAZANI

Ouça:

A linha 15-Prata de monotrilho, que atende a parte da zona Leste de São Paulo, passou a contar nesta terça-feira, 22 de outubro de 2019, como uma nova subestação de geração de energia, localizada entre as estações Camilo Haddad e São Lucas.

Com isso, o sistema de trens leves com pneus que circulam em elevados deixa de depender da energia gerada para a linha 2-Verde do Metrô.

A informação é do secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, na manhã desta terça-feira, em resposta aos questionamentos do Diário do Transporte sobre as perspectivas de inaugurações para a rede ainda neste ano, durante evento de apresentação das obras de ampliação do acesso da estação Capão Redondo, da linha 5-Lilás, onde também revelou à reportagem que dentro de 60 dias, a linha 5 recebe mais sete trens. Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2019/10/22/linha-5-lilas-do-metro-vai-receber-mais-sete-trens-em-60-dias-diz-baldy/

Baldy afirmou que a nova subestação é mais moderna que as atuais, sendo mais compacta, ocupando assim menos espaço.

O secretário também confirmou o que já havia sido prometido pelo Governador João Doria: até o final deste ano de 2019, serão entregues três estações do monotrilho da linha 15: Sapopemba, Fazenda da Juta e São Mateus.

A última estação do trecho a que deve se resumir o monotrilho da linha é Jardim Colonial, que deve estar pronta em 2021.

Segundo Baldy, com a inauguração das três estações na zona Leste, o total de passageiros atendidos pela linha 15-Prata deve passar dos atuais 100 mil por dia útil para em torno de 300 mil.

Como mostrou o Diário do Transporte no início desta semana, o Metrô informou que realiza testes operacionais para preparar a linha 2-Verde para a demanda maior que deve receber após estas novas estações da linha 15-Prata.

Passageiros que hoje usam ônibus e depois a linha 3-Vermelha do Metrô na zona Leste, devem se deslocar de monotrilho da linha 15-Prata e metrô da linha 2-Verde.

Uma das alternativas testadas para evitar superlotação, é que no pico da tarde, alguns trens da linha 2-Verde têm saído vazios da estação Trianon-MASP na direção de Vila Prudente, onde se encontram monotrilho e metrô.

BRT do ABC:

O secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, ainda falou em resposta aos questionamentos do Diário do Transporte sobre o BRT do ABC.

Baldy repetiu a previsão: o projeto completo e a modelagem de concessão do sistema de ônibus rápidos e de maior demanda que os corredores comuns devem ser apresentados até dezembro.

O BRT do ABC vai ligar São Bernardo do Campo, Santo André, São Caetano do Sul, Estação Tamanduateí do Metrô e da CPTM e o Terminal Sacomã, na zona Sudeste da cidade de São Paulo.

O meio de transporte foi escolhido para substituir o monotrilho da linha 18-Bronze, que ligaria São Bernardo do Campo à estação Tamanduateí.

De acordo com o Governo do Estado, o monotrilho seria muito caro para uma demanda limitada que atenderia e que, para a quantidade de passageiros estimada para a ligação, o BRT dará conta, mas consumindo muito menos recursos.

Segundo a gestão Doria, enquanto o monotrilho custaria quase R$ 6 bilhões para ser implantado, o BRT ABC deve sair por aproximadamente R$ 860 milhões.

O Governo do Estado estima que as obras do BRT do ABC comecem no primeiro semestre de 2020 com conclusão para o primeiro semestre de 2022.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2019/09/12/entrevistas-brt-do-abc-nao-tera-interferencia-do-transito-diz-baldy-obras-comecam-no-1o-semestre-de-2020/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Comentários

  1. Estive lá, de manhã, está a todo vapor, na Ragheb Chohfi…Capinaram e limparam a faixa sob a via…tava feio de lixo, e segundo a construtora, que panfletou a região, informa que algumas arvores foram removidas e plantadas no parque da área..

  2. Alfredo disse:

    BRT do ABC não vai sair do papel tão cedo, muito papo, pouca ação, basta ver os corredores de ônibus da gestão Doria /Covas, nem o da Avenida Líder, iniciada por Haddad está pronto, aliás, está tudo abandonado, só acredito vendo

  3. GISLEINE APARECIDA disse:

    Adamo Bazani vc tem informações sobre o do por que o governo do estado de São Paulo não assina o contrato de conceção da linha 15 do Monotrilho pra Via Mobilidade, várias pessoas estão dependendo dessa assinatura para começarem a trabalhar!

    1. Lucas disse:

      Realmente, eu acho até estranho o diário do transporte não ter perguntado sobre isso na entrevista, ou se perguntou não obteve resposta já que não está exposto neste artigo.
      Essa é uma questão muito relevante nesse assunto da linha 15, uma vez que o metrô atualmente está realocando funcionários próprios pra operação, e com a concessão, a ccr distribuirá funcionários especializados e contratados especialmente pra essa linha.

Deixe uma resposta