Belém começa a implantação da biometria facial nos ônibus

Publicado em: 18 de outubro de 2019

Implantação da tecnologia está sendo feita pelo Sindicato das Empresas de Transportes da capital paraense de forma gradativa, com previsão de conclusão no final deste ano

ALEXANDRE PELEGI

Começou na última segunda-feira, 14 de outubro de 2019, o novo modelo de reconhecimento por meio de biometria facial dos beneficiários de gratuidades e meia passagem no transporte coletivo de Belém, capital do Pará.

Feita de forma gradativa pelo Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de Belém (Setransbel), a implantação dos equipamentos estará concluída no final deste ano. Atualmente, cerca de 25% da frota dos ônibus da capital paraense já rodam com a tecnologia à bordo.

Utilizada várias cidades brasileiras, além das grandes capitais, a biometria facial visa garantir maior segurança ao usuário e evitar o uso indevido dos cartões por pessoas que não têm o benefício.

O superintendente da Superintendência de Mobilidade Urbana de Belém (SeMOB), Gilberto Barbosa, explica que a mudança para o sistema de biometria facial “é necessária no atual momento em que o serviço de transporte público por ônibus em Belém está evoluindo para a  implantação de sistemas automatizados, inclusive, para integração temporal, e isso exige um maior controle na utilização desses cartões”.

Para Gilberto, os resultados nas cidades que utilizam o método são positivos. “Isso trará maior segurança ao usuário, com garantia de seus direitos e de coibir os usos indevidos. Essa mudança para o sistema de reconhecimento facial será implantado de forma gradativa e irá coibir em especial o uso indevido de cartões de gratuidades, que causam reflexos significativos no cálculo tarifário”, prosseguiu Gilberto.

O Setransbel, com supervisão da SeMOB, realizou diversos testes durante seis meses, para garantir a eficácia do equipamento, e nenhum problema foi detectado. Em contrapartida, em um levantamento com 50 câmeras, ao analisar os dados de irregularidades com uso do cartão a SeMOB identificou mais de 4 mil infrações.

Para o Superintendente da SeMOB, a responsabilidade de implantação e fiscalização de possíveis irregularidades é do Setransbel. “Além disso, o sistema Passe Fácil emitirá relatório mensal de fraudes comprovadas, que será enviado à Superintendência, bem como, aos respectivos órgãos vinculados aos beneficiários das gratuidades, quando for o caso, a fim de que medidas sejam adotadas, coibindo o eventual uso indevido do benefício”, concluiu o gestor da SeMOB.

Com a instalação da biometrial, os usuários dos ônibus da capital paraense não precisarão fazer um novo cadastro. Haverá uma câmera instalada acima do validador digital nos ônibus, equipamento que possui sistema automatizado por meio de um software de reconhecimento facial.

No caso de comprovação da irregularidade, o usuário passará por alguns procedimentos legais. No primeiro momento, ele será orientado a comparecer no posto de atendimento Setransbel do Passe Fácil, das 8h às 16h, no mercado de São Brás, para a assinatura de um termo digital. Ele deverá estar munido do cartão de passe, documento de identidade com foto e CPF.

Caso a situação se repita, o usuário deverá pagar uma multa no valor de R$ 36 reais, para a retirada do novo documento e, além disso, o cartão será suspenso por 60 dias.  Em um terceiro momento de uso indevido, haverá o cancelamento do cartão, que só poderá ser revisto depois do prazo de 180 dias pelo órgão gestor.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta