Consórcio chinês vence concorrência para construção do metrô elevado de Bogotá

Publicado em: 17 de outubro de 2019

Consórcio Apca Transmimetro venceu a licitação; grupo de origem chinesa deverá assinar contrato em 45 dias, e conta ainda com a participação da Bombardier

ALEXANDRE PELEGI

O presidente da República Ivan Duque, juntamente com o prefeito de Bogotá, Enrique Peñalosa, oficializou a eleição do consórcio Transmimetro, de origem chinesa, para construir e operar a primeira linha do metrô de Bogotá.

Segundo Andrés Escobar, gerente da empresa estatal encarregada de gerenciar o projeto, a decisão ocorreu após o governo colombiano receber a não objeção dos bancos que participarão do financiamento da obra, requisito que era a penúltima etapa para adjudicação do consórcio.

Agora resta aguardar a assinatura do documento, que as autoridades afirmam que deverá ocorrem em 45 dias. A seguir os prazos, a construção do primeiro metrô da capital colombiana deverá começar no segundo trimestre de 2020, e os trens passarão a rodar em 2025.

De acordo com as diretrizes do concurso, o consórcio chinês obteve 100 pontos em 100, enquanto o oponente, Bogotá Metro Consortium, obteve nota 94,54.

O metrô de Bogotá a ser construído e operado terá cem por cento elevado, elétrico e automatizado e com altos padrões ambientais, conforme contemplado nas especificações técnicas do escopo do contrato de concessão para construção, fornecimento, operação e manutenção da Primeira Linha do Metrô de Bogotá (PLMB).

A linha terá 23,9 quilômetros de extensão em elevados, cruzando a cidade do oeste para a Calle 72, no setor norte, em 27 minutos. A estimativa é que 1.050.000 pessoas utilizem o modal durante o dia, com uma capacidade para transportar 140.000 passageiros por hora.

 

Com essa concessão, serão contratadas além dos viadutos, 16 estações e 28 áreas de acesso, um pátio de oficina em uma área de 32 hectares e um centro de controle operacional.

As obras incluem 19 km de ciclovias, 1,4 milhão de metros quadrados de espaço público e 22,2 km de reconfiguração completa dos corredores viários por onde o metrô passará, entre outras obras complementares.

A APCA Transmimetro, vencedora da licitação, será responsável pelo fornecimento, instalação, testes, comissionamento e manutenção de 30 trens, além de equipamentos e sistemas metroferroviários para a operação do sistema. A concessão tem prazo de 25 anos.

O valor total do projeto é de aproximadamente US$ 13,8 bilhões.

BOMBARDIER INTEGRA O CONSÓRCIO 

O Consórcio Apca Transmimetro inclui as empresas China Harbour Engineering Company Ltd., subsidiária da China Communications Construction Company (CC0), uma das maiores empresas do mundo. Ela está classificada na lista da Fortune 500 em 165º lugar, e atua na área de infraestrutura, estradas e pontes, ferrovias e aeroportos em mais de 80 países da Ásia, África e Europa. A outra integrante chienesa, a Xi’an Metro Co. Ltd., atua no investimento, construção e operação de projetos de metrô urbano na China.

O grupo inclui ainda a Bombardier, empresa espanhola subsidiária da empresa canadense especializada na construção de aviões, trens e equipamentos industriais. Já participou de mais de 40 projetos de metrô em quatro continentes, possui 61 bases de engenharia e produção em 27 países, uma rede mundial de centros de serviços e fábricas no México e no Brasil.

TRANSMILÊNIO

Perto de completar 20 anos, o sistema do Transmilenio, que teve a primeira rota inaugurada em 18 de dezembro de 2000, na anterior gestão do prefeito de Bogotá, Enrique Peñalosa (1998-2000), apresenta gargalos, sinais de proximidade de seu limite em alguns trechos e as discussões giram em torno da necessidade da ampliação do total de corredores e a implantação de outros modais, como o metrô pesado. A atual administração de Peñalosa anunciou o início das obras para março de 2020, com uma ligação entre o “Portal de las Américas” e o cruzamento da Calle 127 com a Autopista Norte.

Reportagem especial do Diário do Transporte, em visita à capital colombiana há poucos meses, mostrou a atual situação do sistema e o que o atual governo tem feito para modernizá-lo. Relembre: BRT Transmilenio de Bogotá, a transformação das cidades pelo transporte público

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta