Audiências públicas ouvirão população sobre concessão de Lote ‘Rodovias do Litoral Paulista’

Publicado em: 5 de outubro de 2019

[DESCRIÇÃO DA PAUTA E FOTO] Data: XX/XX/2014. Local: XXXXXXXXX/SP. Foto: Vagner Campos/A2 FOTOGRAFIA

Duplicações, implantação de marginais e acessos irão melhorar as viagens ao Porto de Santos e ao Litoral Sul, afirma ARTESP

ALEXANDRE PELEGI

A Agência de Transporte do Estado de São Paulo – ARTESP divulgou hoje a agenda de quatro audiências públicas sobre a concessão do Lote Rodovias do Litoral Paulista.

O Lote abrange 230 quilômetros de rodovias, com trechos das rodovias estaduais Mogi-Bertioga (SP 098), Pedro Eroles (SP 088) e Padre Manoel da Nóbrega (SP 055).

De acordo com a ARTESP, as audiências publicar têm como objetivo possibilitar a participação da sociedade no processo de concessão.

Ainda segundo a Agência, as obras realizadas “trarão significativas melhorias nas condições de segurança viária da rodovia como duplicações, marginais, novos dispositivos de acesso, passarelas, ciclovias, dentre outras intervenções”.

AGENDA:

Mogi das Cruzes – 21/10, às 10 horas

Centro Educacional Brazcubas

Av. Francisco Rodrigues Filho, 1.233

Itanhaém – 23/10, às 10 horas

Câmara Municipal de Itanhaém

R. João Mariano Ferreira, 229

Bertioga – 24/10, às 10 horas

Câmara Municipal de Bertioga

R. Rev. Augusto Paes D’Ávila, 374

São Paulo – 25/10, às 10 horas

Auditório do DER

Av. do Estado, nº 777 – 5º andar

INVESTIMENTO

Aprovado pelo Conselho Gestor do Programa de Parcerias Público Privadas, do Governo do Estado de São Paulo, o projeto para a concessão de lote de rodovias do Litoral Sul e Mogi-Bertioga tem investimento estimado em R$ 3,2 bilhões.

A previsão é que o edital seja lançado no primeiro trimestre de 2020.

A concessão englobará rodovias que passam por Miracatu (SP-55), Peruíbe, Itanhaém, Praia Grande e Bertioga, com extensão até Boracéia e Mogi das Cruzes.

O projeto deve utilizar o novo modelo tarifário de pedágio, com tarifa flexível e desconto progressivo por frequência. Esse modelo faz com que os usuários frequentes paguem menos. A Mogi-Bertioga precisa ser duplicada antes de receber cobrança de pedágio.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Comentários

  1. Alfredo disse:

    De acordo com o governo do PSDB, governar é privatizar estradas e colocar pedagio nelas, os inúmeros impostos e taxas cobradas dos contribuintes só serve para manter a incompetência do atual governo e as mordomias dos políticos

  2. Alfredo disse:

    Washington Luís dizia que governar é abrir estradas, o PSDB de Doria mudou a frase para privatizar e pedagiar, adeus passeio de fim de semana, os impostos e taxas são só para manter o desgoverno tucano

Deixe uma resposta