Projeto que prevê pagamento com débito e crédito nos ônibus de São Paulo tem início na segunda-feira

Publicado em: 12 de setembro de 2019

Foto: Jéssica Marques

Sistema de pagamento inicialmente será implantado em 200 veículos de 12 empresas

JESSICA MARQUES

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, anunciou na manhã desta quinta-feira, 12 de setembro de 2019, o projeto piloto para novos meios de pagamento de tarifa com cartão de débito e crédito. A novidade terá início na próxima segunda-feira, 16, com fase de testes de três meses.

O sistema será implantado inicialmente em 200 veículos de 12 empresas do sistema de transporte coletivo da capital, gerenciado pela SPTrans. Essas 12 linhas atendem cerca de 2,9 milhões de passageiros por mês.

Inicialmente, o sistema aceitará as bandeiras Mastercard e Visa, uma vez que está em processo de inclusão os cartões com bandeira Elo.

Acompanhado do secretário de Mobilidade e Transportes, Edson Caram, e do presidente da SPTrans, Paulo Cézar Shingai, Covas afirmou que com esse teste São Paulo “avança em uma ação para modernizar nossos ônibus”.

“A possibilidade de pagar com cartão de crédito vai ser testado a partir de segunda-feira. Vai permitir agilidade, principalmente para os passageiros que utilizam os ônibus eventualmente. Não teve reunião que eu tenha tido com o Caram que eu não perguntava quando ia começar o pagamento com cartão de crédito”, disse o prefeito.

covas_vaklidando

 

Sobre o uso de outros meios de pagamento, além de cartão, Covas afirmou que está acompanhando a experiência do governo paulista no sistema metroferroviário.

Como noticiado pelo Diário do Transporte, a Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos – STM iniciou no dia 03 de agosto deste ano um projeto piloto de pagamento de tarifas na CPTM e no Metrô por meio de QR COde – Código Bidimensional.

Relembre: Passageiros podem pagar tarifa de Metrô e CPTM com QR Code a partir desta terça, 03

“Estamos de olho no teste que o Governo do Estado está fazendo com o pagamento com o QR Code. São duas iniciativas importantes para reduzir qualquer desperdício que a gente tenha na atual administração”, disse Covas.

COBRADORES

Ao ser questionado se fará sentido manter os cobradores no sistema de ônibus de São Paulo, mesmo após uma tecnologia que substitui o pagamento em dinheiro, Covas disse que “já não faz hoje”.

Menos de 5% das passagens são pagas em dinheiro. Há tempos a gente vem discutindo essa questão, em negociação sempre para não ter demissão, ou seja, garantir que não haja novas contratações, mas reaproveitamento desses servidores dentro das empresas”, disse o prefeito.

nfc_sptrans_01

FUNCIONAMENTO

Para utilizar essa tecnologia, basta aproximar do validador do ônibus os cartões de crédito, débito e pré-pago, smartphones ou smartwatches, democratizando a alternativa para os cidadãos da capital e contemplando turistas brasileiros e estrangeiros que visitam a cidade, já que os cartões emitidos fora do país (internacionais) também serão aceitos, segundo a SPTrans.

Covas informou que para a implantação do projeto piloto não houve custos para a Prefeitura de São Paulo, uma vez que isso ficará a cargo dos parceiros.

Entenda como funciona a tecnologia NFC, a comunicação entre o validador dos ônibus e seus parceiros:

Para utilizar esse sistema de pagamento é preciso que o cartão de débito, crédito ou qualquer equipamento eletrônico móvel tenha a tecnologia de pagamento por aproximação (NFC) desbloqueada previamente, ou seja, que já tenha sido utilizada em alguma transação anteriormente. E atentar-se para identificação semelhante na porta dianteira na parte externa dos ônibus. Dentro do veículo também é possível verificar se há as bandeiras Mastercard e Visa no validador, o que indica que aceita o novo meio de pagamento. Para usar, é preciso aproximar o cartão do validador, assim como faz com o Bilhete Único. A cobrança da tarifa aparecerá na fatura ou no extrato da conta corrente do usuário.

Participam do projeto as empresas de ônibus Ambiental Transportes, Auto Viação Transcap, Mobibrasil Transporte, Movebuss, Sambaíba, Transpass, Transunião Transportes, Transwolff, Viação Gato Preto, Viação Grajaú, Viação Metrópole Paulista, e Viação Santa Brígida.

Linhas atendidas pelo novo sistema no primeiro momento:

675R/10 Grajaú – Metrô Jabaquara (122.410 passageiros)

715M/10 Jd. Maria Luiza – Lgo. da Pólvora (348.830 passageiros)

807M/10 Term. Campo Limpo – Shop. Morumbi (325.956 passageiros)

908T/10 Pq. D. Pedro ll – Butantã (165.580 passageiros)

917M/10 Morro Grande – Metrô Ana Rosa (169.912 passageiros)

917M/31 Morro Grande – Metrô Ana Rosa (19.461 passageiros)

2002/10 Term. Bandeira – Term. Pq. D. Pedro ll (72.920 passageiros)

2590/10 União de Vl. Nova – Pq. D. Pedro ll (192.655 passageiros)

4031/10 Pq. Sta. Madalena – Metrô Tamanduateí (264.433 passageiros)

5129/10 Jd. Miriam – Term. Guarapiranga (378.006 passageiros)

5129/41 Jd. Miriam – Sto. Amaro (133.493 passageiros)

6030/10 Unisa-Campus – Term. Sto. Amaro (317.436 passageiros)

9300/10 Term. Casa Verde – Term. Pq. D. Pedro ll (171.025 passageiros)

9500/10 Term. Cachoeirinha – Pça. do Correio (229.038 passageiros)

Total: 2.911.155 passageiros transportados em junho/2019.

DURAÇÃO

O projeto piloto durará por três meses ou até que atinja o limite pré-definido de 500 mil transações.

O evento contou com a presença do diretor Comercial da Stone Pagamentos, Rodrigo Reif; do diretor de Novos Mercados da Cielo, Carlos Fernando Ferreira de Sousa; do presidente da Mastercard para Brasil e Cone Sul, João Pedro Paro Neto; do presidente da Visa do Brasil, Fernando Teles; do diretor Executivo de Produtos da Elo, Carlos Moreira Junior; do gerente de Sistemas para Mobilidade Urbana da Digicon, Sérgio Eduardo Barbosa de Queiroz; do superintendente Comercial da Empresa1, Alexandre Carvalho; do presidente da Prodata, João Ronco Junior; da business Development do Nubank, Gabriela Miranda; do gerente Executivo de Meios de Pagamento do Banco do Brasil, Gustavo Milaré; do gerente de Arrecadação do Itaú, Vinicius Paulo Ferreira Van Riemsdijk; do gerente Regional da Caixa Econômica Federal, Fernando Cera; e da superintendente Executiva de Pagamentos Digitais do Santander, Thais Fischberg.

Na ocasião, Shingai afirmou que não há possibilidade de fraudes nesta forma de pagamento e que a segurança das transações é de responsabilidade dos bancos e empresas parceiras.

Perguntas e Respostas

Para obter mais informações o usuário poderá consultar a página de Perguntas e Respostas do site da SPTrans ou ligar na central 156.

Confira as principais informações sobre o novo sistema:

1 – Como faço para habilitar meu celular com a tecnologia de pagamento por aproximação?

Você precisa verificar com o banco emissor do seu cartão se ele possui este serviço disponível para o seu tipo de aparelho. Verifique as orientações no site do seu banco.

2 – Haverá integração com outros ônibus ou com o metrô e os trens?

Nesta primeira fase do projeto não haverá a integração tarifária com outros ônibus ou com os sistemas de trilhos.

3 – Estudantes conseguem usar o pagamento por aproximação com o valor do benefício de meia passagem?

Não. O uso do pagamento por aproximação terá a cobrança do valor integral da tarifa vigente R$ 4,30.

4 – É possível ativar a função de pagamento por aproximação no meu cartão atual?

Somente os cartões identificados pelo símbolo de 4 ondas têm essa tecnologia. Se o seu cartão não apresentar esse símbolo, entre em contato com o banco emissor e faça o pedido de um novo cartão. No entanto, você pode usar o seu cartão por meio do seu celular. Verifique se o seu aparelho está habilitado para a tecnologia NFC, se estiver cadastre o seu cartão em uma carteira digital, como, por exemplo, Apple Pay, Google Pay ou Samsung Pay.

5 – Como posso pagar a tarifa do ônibus com a tecnologia de pagamento por aproximação?

Se o seu cartão possui tecnologia de pagamento por aproximação (símbolo com 4 ondas) e já foi utilizado em alguma transação, quando for passar pela catraca aproxime o cartão do validador (como se fosse o Bilhete Único), a transação será concluída e a sua passagem liberada.

6 – Para usar o cartão no pagamento da passagem do ônibus existe alguma taxa ou aumento da tarifa?

Não. O valor cobrado em sua fatura será o mesmo valor cobrado na catraca do ônibus. Valor da tarifa vigente R$ 4,30.

7 – Meu dispositivo pode ser lido acidentalmente enquanto estiver no meu bolso ou bolsa?

Para autorizar um pagamento por aproximação é necessário que o cartão ou celular esteja a poucos centímetros de uma leitora com essa tecnologia de pagamento, entre 2,5 cm e 5 cm, e também posicionado da maneira adequada.

8 – Tem limite de uso por dia?

Sim, há um limite de compra de 5 passagens em meia hora e 10 passagens por dia durante a fase do projeto piloto. Esse número pode ser alterado posteriormente.

9 – Como identifico quais os ônibus que aceitarão o pagamento por aproximação?

Os ônibus estarão sinalizados na porta e nos próprios validadores.

10 – Cartões internacionais que têm a tecnologia de pagamento por aproximação podem ser usados normalmente para pagar a tarifa?

Sim, tanto os cartões internacionais das marcas Visa e MasterCard quanto os celulares com a tecnologia por aproximação, podem ser usados normalmente para o pagamento da tarifa.

11 – Onde consigo um cartão por aproximação?

Se possuir uma conta corrente: Verificar com o seu banco/emissor se já está emitindo cartões de crédito, débito ou pré-pago com a tecnologia de pagamento por aproximação (NFC). Lembrando que cartões de crédito tradicionais não funcionarão. Caso a função seja crédito, o usuário está sujeito à análise de crédito do banco ou emissor.

12 – Não possuo conta corrente, posso utilizar o serviço?

Mesmo não possuindo conta corrente é possível obter um cartão de crédito. Neste caso recomendamos se informar sobre quais bancos já emitem o cartão com a tecnologia de pagamento por aproximação e seguir os procedimentos solicitados. Lembrando que seu pedido de cartão, está sujeito à aprovação de cada banco ou instituição financeira, após análise de crédito.

13 – Se o meu cartão for crédito e débito, vai ser cobrado em qual função?

Depende da aplicação principal do banco/emissor do seu cartão. Entre em contato com a central de atendimento de seu banco/emissor.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Comentários

  1. Rodrigo Zika! disse:

    Pra começo e ate interessante, mais achei sacanagem não colocarem também na linha 4310/10 da ZL, uma linha com demanda alta e que facilita muito outras formas de pagamento, lembrando que mesmo celulares modernos muitos não possuem a tecnologia, de NFC, e preciso verificar no manual se tem essa tecnologia, pra melhorar só falta aceitar QR code, e o Metrô e CPTM precisam aceitar as mesmas tecnologias.

Deixe uma resposta