Liberação do viaduto Alcântara Machado ainda não tem previsão

Publicado em: 12 de setembro de 2019

Bruno Covas chega ao local do incêndio por volta das 22h20. Foto: Diário dos Trilhos.

Abertura da via depende de análise técnica, segundo Bruno Covas

JESSICA MARQUES*

A liberação do viaduto Alcântara Machado, na Radial Leste, na capital paulista, ainda não tem previsão para ocorrer. Segundo o prefeito Bruno Covas, a abertura da via depende de avaliação técnica.

O viaduto foi bloqueado nos dois sentidos por um incêndio que teve início por volta das 19h. Covas chegou a local aproximadamente às 22h30.

Os técnicos da Secretaria de Obras já estão se deslocando aqui ao local para avaliar o impacto do incidente sobre o viaduto. De qualquer forma, a gente já está terminando aqui o serviço de limpeza e a questão relacionada à energia elétrica para poder liberar essas duas marginais ao lado do viaduto. A gente espera ainda nesta noite poder fazer essa liberação e assim que os técnicos disserem qual foi o comprometimento, nós vamos poder avaliar o prazo de liberação e se vai haver liberação do viaduto em breve“, disse.

O incêndio, segundo o Corpo de Bombeiros, começou em barracos sob a estrutura do viaduto.

As chamas começaram por volta das 19h. Ao menos 12 viaturas foram enviadas para o local.

Pouco depois das 21h, a CET – Companhia de Engenharia de Tráfego, ainda informava interdição junto à Rua Piratininga. As pistas laterais também foram bloqueadas.

As avenidas Rangel Pestana e Celso Garcia foram indicadas pela CET como alternativas.

A SPTrans – São Paulo Transportes, gerenciadora do sistema municipal, por sua vez, informou que a circulação dos ônibus foi afetada.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

*Colaborou Willian Moreira, do Diário dos Trilhos

Comentários

  1. Rodrigo Zika! disse:

    O incêndio e por culpa da própria prefeitura, que desde a época do Haddad foi deixando moradores de rua invadirem embaixo de uma avenida tão importante que liga a zona leste e oeste, sempre que passo ali desde a Bresser e barraco sem fim, ate chegar quase no centro e eases barracos em baixo, nem tudo e por acaso, o pode publico tem culpa pela inércia, uma vergonha.

Deixe uma resposta