Campo Mourão adia pela segunda vez concorrência para o transporte coletivo

Foto: Elvio Antunes

Na primeira vez, marcada para ocorrer no dia 29 de maio, a concorrência foi suspensa três semanas antes

ALEXANDRE PELEGI

Após marcar a concorrência do transporte coletivo para esta segunda-feira, 19 de agosto de 2019, a prefeitura de Campo Mourão, cidade do Paraná com cerca de 100 mil habitantes, suspendeu o certame.

Esta é a segunda vez no ano que a prefeitura adia o processo licitatório.

Na primeira vez, marcada para ocorrer no dia 29 de maio, a concorrência foi suspensa três semanas antes. O Departamento de Suprimentos, responsável pala concorrência pública, divulgou nota no Portal da administração esclarecendo que o edital passaria por mudanças “para aplicação de inversão das fases de licitação, permitido pelo artigo 18-A, da Lei 8.987/1995”. Relembre: Campo Mourão (PR) suspende licitação do transporte marcada para 28 de maio

No dia 21 de julho a prefeitura voltou a publicar a licitação, através de um “aviso de redesignação”, marcando a concorrência para hoje, 19 de agosto. Relembre: Sessão pública de licitação dos transportes de Campo Mourão (PR) é marcada para agosto

O Departamento de Suprimentos novamente atribui o novo adiamento para que mudanças sejam feitas. No aviso de suspensão da concorrência publicado nesta segunda-feira (19), a prefeitura informa que “definida a nova data de realização deste certame licitatório serão feitos os procedimentos legais de publicidade”.

HISTÓRICO

(Alexandre Pelegi)

Há 36 anos a cidade contrata os serviços da Viação Mourãoense por meio de sucessivos aditivos, o que contraria a legislação.

A permissão para a Mourãoense explorar o transporte coletivo foi determinada por decreto municipal em 1983, com permissão por apenas 5 anos. Desde essa data o município vem mantendo os serviços por meio de aditivos ao contrato.

A situação ilegal redundou numa ação civil ajuizada pelo Ministério Público contra o prefeito da cidade, Tauillo Tezelli, em abril de 2012. Em agosto de 2018, a Justiça determinou ao prefeito que realizasse a licitação, com multa em caso de descumprimento.

EDITAL

Como apenas foram alteradas as fases do certame, a essência do edital permaneceu. A concorrência estava prevista para ser realizada pelo tipo Menor Valor da Tarifa, com a tarifa máxima de R$ 3,68. Este valor representa um reajuste de 22,6% sobre a atual tarifa, de R$ 3.

Dentre os principais pontos vale destacar:

Frota: ônibus devem ter, no máximo, 10 anos de utilização, ar-condicionado e wi-fi;

Pontos: a criação e manutenção de novos pontos de ônibus são de responsabilidade da futura concessionária;

Terminal de Transporte: O Terminal Coletivo Urbano Pioneiro Benedito Martins de Almeida deverá ser operado pela vencedora do certame;

Bilhetagem: caberá à empresa implantar sistema de bilhetagem eletrônica.

Dados da Viação Mourãoense indicam que 10.777 pessoas usam o transporte urbano diariamente, dos quais 7.977 pagantes (inclui estudantes que pagam meia passagem).

A gratuidade alcança 1 a cada 4 usuários do sistema, somando 2.800 pessoas, como os idosos.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Cesar disse:

    Olá equipe Diário do Transporte, alguma notícia da licitação do transporte de Londrina?

  2. DIEGO disse:

    Em Londrina o lote 2 foi vencido pela Londrisul. O lote 1 deu deserto, será relançado em breve.

  3. Elvio Jose Antunes da Silva disse:

    olha só, adorei ver minha foto aqui na página, obrigado, sobre a licitação, realmente aqui está uma.vergonha.

Deixe uma resposta