Porto Alegre ganha aplicativo de localização de ônibus

Foto: Eduardo Beleske/PMPA

Medida se dá após prefeitura conseguir implantar GPS em todos os ônibus da capital. Pacote de tecnologia desenvolvido pela Cittati permitirá melhorar a gestão e o planejamento do transporte

ALEXANDRE PELEGI

Porto Alegre venceu a batalha da tecnologia.

O sistema de localização por GPS na frota de ônibus da capital do Rio Grande do Sul finalmente se tornou realidade. O anúncio foi feito nesta quarta-feira, 14 de agosto, em solenidade que contou com a presença do prefeito, Nelson Marchezan Junior e do Secretário Extraordinário de Mobilidade Urbana, Rodrigo Tortoriello, além dos presidentes da EPTC (Empresa Pública de Transporte e Circulação), Fábio Berwanger Juliano, da presidente da Carris, Helen Calleya Machado e do presidente da ATP (Associação dos Transportadores de Passageiros), Stamatula Vardaramatos.

Graças ao sistema de gestão, os usuários poderão monitorar o trajeto das linhas em tempo real, por meio de aplicativo, o “Tri Porto Alegre”, atualmente já disponível e que oferece funcionalidades relacionadas ao cartão Tri. Através de uma integração com validadores da Prodata, no interior dos ônibus, a Cittati, que desenvolveu a solução, trata os dados de localização e os transforma em informações para a população e operadores de transporte.

Desta forma, o app permitirá ao usuário monitorar on line o tempo de chegada linha desejada à parada escolhida, bem como quais linhas passam em determinado ponto.

Um decreto da prefeitura dava prazo até o final de 2018 para que as empresas de ônibus implementassem GPS. O decreto ainda estipulava um prazo para implantar o Serviço de Informação ao Usuário e Sistema de Supervisão e Controle Operacional. A tecnologia, segundo a Associação que reúne as concessionárias da cidade, entrou em testes no início de 2019, e é uma das funcionalidades definidas pela licitação do transporte público, realizada em 2015.

Nesse período, no entanto, uma série de obstáculos técnicos teve de ser superado, como relata Rodrigo Tortoriello, Secretário Extraordinário de Mobilidade Urbana.

O que pode parecer algo natural – afinal muitas cidades já têm suas frotas com sistema GPS –, em Porto Alegre era complicado. A cidade guardava peculiaridades que precisaram ser estudadas e resolvidas. “Foram problemas técnicos que demandaram muito trabalho, vários testes e exigiram soluções diferentes, o que redundou num atraso de vários meses na implantação do projeto”, relata Tortoriello. “Havia muitos problemas para detecção do sinal, o que levava a problemas de localização, que depois de muito esforço de vários parceiros acabaram sendo finalmente resolvidos”, diz o gestor.

Após vários testes, a prefeitura decidiu lançar oficialmente o programa, mas Tortoriello ressalta que ainda nas primeiras semanas o sistema de localização dos ônibus passará por um “período de aprendizagem”, o que é natural em situações assim. “Quanto mais uso do sistema, quanto mais previsões forem feitas, mais os dados vão sendo afinados… é como se o sistema aprendesse consigo mesmo, como num processo de inteligência artificial”, explica Tortoriello.

O gestor público ressalta que a instalação do GPS em toda a frota, que permite o funcionamento do aplicativo que dá ao usuário do transporte coletivo acesso imediato à localização dos ônibus e outros detalhes da operação, é muito mais importante do que pode parecer. “Para o poder público, tem muito mais do que um aplicativo que permite enxergar o ônibus em tempo real”, ele diz. “Ele vai permitir que a gente possa acompanhar melhor a operação, e poder com isso melhorar a prestação de serviços de transporte”, Tortoriello afirma, dizendo que tais funcionalidades fazem parte de um pacote de produtos que integra todo o projeto de instalação do sistema de GPS.

Kleber Kikunaga, COO da Cittati, explicou que a tecnologia que está por trás disso é integrante do pacote Gool System. Com ele as empresas operadoras conseguem gerenciar e monitorar, em tempo real e pela internet, toda a frota em operação para as empresas operadoras disponibilizando informações para a prefeitura e passageiros.

Desta forma, a prefeitura e as empresas passam a ter acesso a uma série de ferramentas de gestão do sistema. Em síntese, o que foi anunciado pelo prefeito Nelson Marchezan Junior esta manhã trará transparência à operação do transporte coletivo da capital gaúcha.

O COO da Cittati destaca que, junto com a preocupação da prefeitura em viabilizar o aplicativo para os passageiros, existe um contexto muito maior, que trará outros ganhos para a cidade. “Isso (o app) é só a pontinha do iceberg; além de informações ao passageiro, que é feito em parceria com o Cittamobi, geramos uma série de dados e analises com foco na excelência operacional das empresas de ônibus”, Kleber lembra.

Os benefícios são muitos, mas o objetivo principal é ajudar o operador do transporte a ter uma melhor gestão e redução dos seus custos”, reforçou Kleber.

Tortoriello cita que os dados fornecidos pela plataforma permitem, por exemplo, identificar a formação de comboios, ou seja, ônibus de uma mesma linha passando quase que ao mesmo tempo por uma mesma parada, o que desperdiça recursos e aumenta gastos. Isso porque a plataforma permite uma melhor na análise, em tempo real, da operação junto ao órgão gestor.

A conclusão é uma só: mais que um aplicativo, o resultado será mais pontualidade, regularidade, conforto, comodidade e segurança para o passageiro do transporte coletivo de Porto Alegre.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta