Justiça concede aumento no valor da passagem de ônibus em Macapá

Sindicato das empresas de ônibus pedia reajuste para R$ 3,90. Foto: Divulgação.

Tarifa vai de R$ 3,25 para R$ 3,50 ainda nesta semana

JESSICA MARQUES

A 3ª Vara Cível e de Fazenda Pública de Macapá, no Amapá, atendeu um pedido do sindicato das empresas de ônibus e concedeu o aumento da tarifa do transporte coletivo da capital.

O valor da passagem vai de R$ 3,25 para R$ 3,50. A nova tarifa passa a vigorar a partir da publicação da decisão, que está prevista para esta quarta-feira, 14 de agosto de 2019, segundo informações da mídia local.

A decisão da juíza Alaíde Maria de Paula atendeu parcialmente o pedido do Setap (Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros do Amapá). Contudo, o órgão pedia reajuste para R$ 3,90.

A CTMac (Companhia de Trânsito e Transporte de Macapá), assim como o Setap, apresentou planilhas de custos sobre valores de reajustes. Para a CTMac, a tarifa ideal seria de R$ 3,67 e para o sindicato R$ 3,87.

Em nota, o Setap informou que o reajuste não compensa as perdas dos últimos dois anos. Além disso, o sindicato aponta os investimentos realizados ao longo dos últimos seis anos, que foram ignorados pela Prefeitura de Macapá durante a discussão na justiça.

“Desde 2013, 170 novos ônibus passaram a fazer parte da frota de Macapá. A renovação representa 90% da frota atual, que atualmente é de 189 veículos. Os dados fazem parte de um estudo apresentado à Prefeitura de Macapá, que destaca os avanços no setor de transporte de passageiros”, diz nota do sindicato.

O sindicato também apontou a falta de manutenção nos corredores de ônibus, a demora em até quatro anos para concessão de reajustes e a falta de diálogo do poder público.

“A idade média da frota atual é uma das menores do Brasil e bem abaixo da média nacional. 4,74 anos. O sistema já chegou a transportar uma média de 120 mil passageiros por dia, mas a chegada do transporte por aplicativo e o crescimento do transporte pirata, baixou essa média em 40%”, informou o Setap.

Além disso, segundo o sindicato, houve ampliação no número de linhas, que era pouco mais de 20 e hoje chega a 36 e no número de viagens ao dia, que é de 1.378, considerando os dias úteis.

“Em termos de investimento, a partir de parcerias público-privadas, foram construídos pelas empresas de ônibus 50 novos abrigos desde 2013, e reformados cinco terminais: Brasil Novo, Marabaixo, Açucena, Congós e Zerão. Mesmo com tantos investimentos, Macapá tem a tarifa de ônibus mais defasada dentre todas as capitais brasileiras.” 

Ainda por meio de nota, o Setap defende a adoção de um calendário tarifário, que evitaria longos períodos sem reposição das perdas.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta