Arapongas, no Paraná, assina contrato com empresa vencedora da licitação do transporte

Foto: Pedroka Ternoski (Clique para ampliar)

TUA – Transporte Urbano de Arapongas vem prestando o serviço de forma precária há décadas. Prefeitura atendeu a recomendação do MP para regularizar a situação por meio de concorrência pública

ALEXANDRE PELEGI

Arapongas, cidade do interior paranaense com 120 mil habitantes, assinou contrato de concessão com a empresa TUA – Transporte Urbano de Arapongas Ltda para os serviços de transporte coletivo da cidade.

O Extrato do contrato foi publicado no Diário Oficial da União desta quinta-feira, 08 de agosto de 2019, com prazo de concessão por 10 anos.

A TUA é a empresa que já vem prestando os serviços de transporte público em Arapongas há anos, mas sempre com contratos precários.

O edital de licitação foi publicado em 27 de junho deste ano.

arapongas_licitacao.png

Em 30 de julho, a Comissão de Licitação divulgou a TUA como a vencedora do certame, após a empresa apresentar o menor valor de tarifa, de R$ 4,60.

arapongas_resultado.png

Atualmente, o usuário paga R$ 3,70 pelo serviço, com subsídio de R$ 1 da prefeitura, segundo informa o portal TN.

O transporte coletivo na cidade paranaense funcionou com contrato precário por muitos anos. A prefeitura publicou um edital em 2018, mas após questionamentos tornou a publicar por mais duas vezes, em abril deste ano e, deste vez em definitivo, no final de junho.

Em 2015, o Ministério Público emitiu uma recomendação para que a prefeitura regularizasse o transporte coletivo, que há décadas vinha sendo prestado pela empresa TUA em caráter precário. O MP recomendou à prefeitura que formalizasse o vínculo com a empresa através de um processo licitatório, como determina a legislação.

Como resultado da recomendação, a prefeitura desenvolveu um Plano de Mobilidade Urbana (PMU), concluído em 2016, que na sequência definiu o formato do edital para o transporte coletivo local.

A partir do PMU a prefeitura analisou as linhas do sistema de transporte, vias de circulação, ciclovias e pontos para embarque e desembarque. O projeto para a concessão do serviço buscou reduzir o tempo de espera no ponto, assim como previu a criação de novos terminais para interligação das linhas, além de definir requisitos para a vida útil dos ônibus, limitando o uso em até 8 anos.

Atualmente o serviço de transporte conta com 16 veículos, 12 em operação e 4 em reserva.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. DIEGO disse:

    4,60 pra andar em cacarecos ex-Apucarana, ex-Maringá e ex-Campo Grande. Que sofrência.

Deixe uma resposta