Sem acordo, greve de ônibus em Alagoinhas (BA) entra no sexto dia

Publicado em: 31 de julho de 2019

Foto: Viação Cidade Alagoinhas, uma das 3 empresas que atuam na cidade. Foto: Márcio Alves Pimentel.

Rodoviários reivindicam reajuste salarial e aumento no tíquete alimentação. Empresas alegam que atual tarifa não permite nenhum aumento. Prefeitura promete licitar transportes entre setembro e outubro

ALEXANDRE PELEGI

Os rodoviários de Alagoinhas, cidade do interior da Bahia com 150 mil habitantes, continuam em greve. Nesta quarta-feira, 31 de julho de 2019, a cidade entra no sexto dia sem acesso ao transporte coletivo.

São 83 ônibus sem circular na cidade, com a adesão ao movimento de mais de quatrocentos motoristas e cobradores que atuam em três empresas que operam o serviço no município, Xavier Transportes Urbanos, Viação Cidade Alagoinhas e ATP (Alagoinhas Transportes Públicos).

Desde sexta-feira, 26 de julho de 2019, rodoviários e representantes das empresas de ônibus não conseguem chegar a um acordo, mesmo após reunião mediada pela prefeitura, por meio da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) na segunda-feira, 29.

Como noticiou o Diário do Transporte, motoristas e cobradores passaram a semana anunciando que cruzariam os braços caso não recebessem respostas às suas reivindicações salariais. Marcada para ser deflagrada a partir de quinta-feira, 25, a greve foi transferida para o dia 26, quando começou efetivamente. Relembre: Rodoviários de Alagoinhas adiam greve de hoje para amanhã, 26

Os trabalhadores reivindicam 10% de reajuste salarial e aumento de 10% no tíquete alimentação, além do retorno do  plano de saúde, suspenso há dois anos.

A prefeitura ofereceu reajuste de R$ 0,20, equivalente a 8% sobre a tarifa atual, de R$ 2,50, o que foi rejeitado pelos empresários, impedindo qualquer reajuste salarial para os rodoviários.

Caso a situação persista, a prefeitura prometeu disponibilizar frota própria para garantir o transporte na cidade, atualmente substituído por vans e veículos alternativos.

Antônio Menezes, superintendente Municipal de Transportes e Trânsito, afirmou que a prefeitura vai licitar o transporte público entre setembro e outubro, quando pretende corrigir uma série de distorções no atual sistema municipal.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta