Vereadores de Franca barram subsídio ao transporte

Publicado em: 24 de julho de 2019

Foto: Leonardo Gimenes

Projeto da prefeitura previa a redução em 20 centavos na tarifa, e estava vinculado à renovação do contrato com a Empresa São José 

ALEXANDRE PELEGI

Um projeto da prefeitura de Franca, interior de São Paulo, que propunha subsídios para diminuir a tarifa de ônibus em 20 centavos, foi rejeitado pela Câmara de Vereadores nesta terça-feira, 23 de julho de 2019.

A proposta teve o voto contrário de 10 vereadores, e apenas 4 votos favoráveis ao PL do Executivo. A proposta permitiria a diminuição da tarifa exclusivamente na modalidade cartão, que cairia dos atuais R$ 4,10 para R$ 3,90.

A prefeitura renovou em junho deste ano o contrato com a empresa de ônibus São José, evitando assim cair em contrato emergencial. O contrato inicial da companhia foi assinado em 2009. Relembre: Prefeitura de Franca renova contrato com a empresa de ônibus São José e diz que tarifa pode ser reduzida

Em troca da renovação, a São José se comprometeu a implantar uma série de melhorias nos serviços, além de reformar o terminal Ayrton Senna e construir quatro estações de integração nas zonas Norte, Sul, Leste e Oeste da cidade.

A prefeitura prometeu, de sua parte, realizar um estudo técnico para reduzir a tarifa em R$ 0,20.

Nesta quarta-feira, 24, a prefeitura de Franca divulgou nota em que lamenta a rejeição do projeto, “que beneficiaria pelo menos 60 mil usuários de ônibus na cidade”.

Leia a Nota na íntegra:

O projeto enviado pela prefeitura de Franca à Câmara de Vereadores resultaria na redução de R$ 0,20 na tarifa de ônibus. A administração municipal respeita, mas lamenta a decisão tomada por dez vereadores ao rejeitarem esta proposta que beneficiaria 60 mil usuários de ônibus todos os dias. A prefeitura entende que o aporte para o subsídio, já reservado no orçamento deste ano, seria na verdade uma compensação aos trabalhadores, usuários comuns do sistema. A prefeitura vai retomar os estudos para buscar alternativas, dentro da legalidade, com o objetivo de beneficiar os usuários do transporte.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta