Construção de CCO do BRT avança em Feira de Santana

Publicado em: 20 de julho de 2019

Foto: Prefeitura de Feira de Santana

Equipamento, que está em fase adiantada de construção, será sistema de fiscalização de alto desempenho com respostas rápidas, promete a prefeitura

ALEXANDRE PELEGI

Uma ferramenta que vai viabilizar a modernização do transporte público nos seus diferentes modais de mobilidade e do trânsito de Feira de Santana. É desta forma que a prefeitura de Feira de Santana, segunda maior cidade do estado da Bahia, com cerca de 630 mil habitantes, descreve o que será o futuro Centro de Controle Operacional (CCO).

Em adiantado processo de construção, o equipamento foi apresentado ao prefeito Colbert Filho na manhã desta sexta-feira, 19 de julho de 2019.

O CCO vai acompanhar em tempo real todas as situações que influenciem negativamente a mobilidade urbana da cidade. “Será um sistema de fiscalização de alto desempenho com respostas rápidas”, garante comunicado da prefeitura.

Durante a visita, o prefeito afirmou que a amplitude do Centro de Controle será bem maior do que atender apenas as demandas do BRT, a qual o sistema está relacionado.

As obras do sistema BRT de Feira de Santana tiveram início oficialmente no dia 29 de junho de 2015, quando o então ministro das Cidades, Gilberto Kassab, esteve na cidade para assinar a ordem de serviço.

À época a previsão era de que o BRT seria concluído em janeiro de 2017, beneficiando 56 mil passageiros. Com dois corredores – João Durval, com 4,8 km de extensão, e Getúlio Vargas, com 4,45 km –, o sistema BRT terá 9,25 km, ligando três terminais que também integram o projeto.

O projeto original prevê 20 ônibus especiais, com acessibilidade, GPS, ar-condicionado e capacidade para atender até cem passageiros, por viagem, que circularão pelos corredores exclusivos.

CCO VAI ATENDER A BUSCA DA EFICIÊNCIA DE TODO O SISTEMA DE TRANSPORTE PÚBLICO

Para o prefeito de Feira de Santana, o CCO vai impactar e atender a busca da eficiência de todo o sistema de transporte público – ônibus, táxis, mototáxis e vans que fazem o transporte distrital.

“Toda gestão do transporte público será feita no CCO, cujos olhos eletrônicos terão grande abrangência”, afirmou o secretário de Transportes e Trânsito, Saulo Figueiredo.

O sistema será operado por 16 servidores da Superintendência Municipal de Trânsito (SMT) e da Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT), já em treinamento.

Eles observarão o sistema em tempo real, num telão formado por dez televisores de 55 polegadas. Entre outras atribuições, operarão o semáforo inteligente, que vai aumentar a fluidez no trânsito, principalmente no corredor do BRT.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta