“Vaquinha online” quer reunir recursos para manter ônibus elétrico com fonte de energia solar em Santa Catarina

Publicado em: 19 de julho de 2019

UFSC diz que cortes de recursos ameaçam continuação da circulação do veículo. Pela doação, a campanha promete como recompensa desde caneca personalizada com a imagem do ônibus eBus, passeios com o veículo e até cursos técnicos na área de painéis de energia solar

ADAMO BAZANI

Um ônibus elétrico, cuja fonte de geração é a captação de energia solar, pode deixar de circular na UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina por falta de recursos.

Pesquisadores, professores e aluno organizam até uma “vaquinha virtual” pela plataforma “Catarse” para angariar fundos e, assim, manter o veículo e também pagar os salários dos dois motoristas que fazem o trajeto entre o campus central da UFSC e o Centro de Pesquisa e Capacitação em Energia Solar (Fotovoltaica-UFSC).

O link é:

https://www.catarse.me/onibuseletrico-ufsc-2019

O veículo foi apresentado em dezembro de 2016 e começou a operar em março de 2017.

“O ônibus realiza 5 viagens por dia, percorrendo em torno de 52 quilômetros por itinerário. Ao longo dos dois primeiros anos de serviços regulares e gratuitos para a comunidade UFSC, foram mais de 100 mil quilômetros rodados, o equivalente a duas voltas e meia ao mundo” – diz a apresentação no Catarse.

Mas em junho de 2019, o projeto que implantou o eBus da UFSC acabou e a Universidade diz que está sem recursos.

A implantação do projeto foi financiada pelo “Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicação” e contou com a parceria, por meio de licitação, das empresas WEG, Marcopolo, Eletra e Mercedes , sendo totalmente fabricado no Brasil (apenas as baterias são importadas do Japão pela Mitsubishi Heavy Industries).

Pela doação, a campanha promete como recompensa desde caneca personalizada com a imagem do ônibus eBus, passeios com o veículo e até cursos técnicos na área de painéis de energia solar:

Na apresentação, são mostrados alguns números sobre o veículo:

Os organizadores também destacam órgãos de comunicação, de indústria e acadêmicos que noticiaram o projeto.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta