Prefeitura de Caxias do Sul autua Visate por ausência de cobradores em ônibus do transporte coletivo

Publicado em: 19 de julho de 2019

De acordo com a legislação, apenas ônibus leves do tipo midi podem operar sem utilização do cobrador. Foto: Divulgação / Leonardo Portella.

Somadas, as multas desta semana chegam a R$ 1.222,65

JESSICA MARQUES

A Prefeitura de Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul, informou que aplicou nesta semana 11 multas à empresa Viação Santa Tereza (Visate) pela ausência de cobradores em ônibus do transporte coletivo urbano.

Os fiscais da SMTTM (Secretaria Municipal de Trânsito, Transportes e Mobilidade) identificaram a operação do serviço sem o profissional em categorias de veículos onde a presença do cobrador é obrigatória, conforme a legislação que regulamenta o transporte público.

Ainda de acordo com a Prefeitura, cada infração é calculada em R$ 111,15 e, somadas, as autuações lavradas nesta semana chegam a R$ 1.222,65.

“Após reclamação da comunidade, a ação de fiscalização foi intensificada e constatou veículos de médio porte sem cobrador nas linhas AL04 – Cruzeiro, AL17 – Bela Vista, AL19 – Planalto/Santos Anjos (duas vezes), AL69 – Parque das Rosas, L13 – Século XX, L25 – Galópolis (duas vezes), L40 – Jardim das Hortências, LC71 – Coletora Norte e LC72 – Coletora Sul”, informou a Prefeitura, em nota.

Os casos foram flagrados em paradas da área central e nas Estações Principais de Integração Imigrante e Floresta. Os fiscais da SMTTM também conferiram se o selo de vistoria, aprovado no último mês, estava devidamente fixado no interior dos coletivos, segundo a  Prefeitura.

De acordo com a Lei Municipal N° 7.082, de 17 de dezembro de 2009, apenas ônibus leves do tipo midi podem operar sem utilização do cobrador. O midibus é um ônibus menor do que os coletivos tradicionais, com 27 assentos (o ônibus normal tem 39), e opera com o motorista acumulando também as funções de cobrador. Estes veículos realizam o serviço em linhas consideradas de baixa demanda de passageiros.

“Fora desse modelo, a prática é irregular e desrespeita o contrato de concessão entre o Município e a empresa concessionária, de acordo com o Decreto Municipal 9.777/99. Recentemente, a SMTTM cobrou justificativa da concessionária sobre a ausência do profissional em algumas linhas”.

Ainda segundo a Prefeitura, a Visate alegou problemas operacionais. Nesta semana, a secretaria enviou novamente um ofício à Visate para que esclareça os motivos de voltar a permitir o serviço sem cobrador em veículos onde não há permissão.

“Além de verificarmos o cumprimento dos horários e do pleno funcionamento dos itinerários, estamos cobrando que o serviço opere dentro da legalidade em todos os sentidos. Mais do que gerenciar o pagamento da passagem, o cobrador também orienta a comunidade e permite mais agilidade no embarque dos passageiros. Nosso compromisso é que os fiscais sempre estarão nas ruas conferindo se as determinações estão sendo efetivamente cumpridas”, afirmou o titular em exercício da SMTTM, Pedro Cogo.

Cogo reforça ainda que a comunidade pode continuar relatando a ocorrência dos casos de irregularidade no transporte coletivo por meio do Alô, Caxias, no telefone 156.

O Diário do Transporte aguarda um posicionamento da Visate.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Deixe uma resposta