Governo do Paraná e Prefeitura de Curitiba firmam convênio de R$ 90 milhões para manter tarifa da capital e integração entre ônibus municipais e metropolitanos

Publicado em: 19 de julho de 2019

Governador em exercício Darci Piana e prefeito Rafael Greca durante assinatura de convênio. Foto Gilson Abreu/ANPr

Acordo também prevê a implantação de novas faixas exclusivas para ônibus, novas linhas e novas integrações no transporte coletivo metropolitano

ADAMO BAZANI

O Governo do Estado do Paraná e a Prefeitura de Curitiba anunciaram nesta sexta-feira, 19 de julho de 2019, que firmaram um convênio para manter até pelo menos fevereiro de 2020 a tarifa de ônibus para os passageiros na capital paranaense em R$ 4,50, mesmo com a tarifa-técnica atual sendo de R$ 4,79.

Segundo o anúncio, o convênio prevê um repasse de R$ 40 milhões do Governo do Estado e subsídios na ordem de R$ 50 milhões pela prefeitura.

Os recursos vão ser depositados no Fundo de Urbanização de Curitiba – FUC.

As verbas serão usadas também para manter e ampliar a integração entre os ônibus municipais gerenciados pela Urbs – Urbanização de Curitiba.S.A. e os metropolitanos controlados pela Comec- Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba.

A ampliação do sistema integrado engloba a conexão com a linha Tupy (Jardim Tupy, em Araucária) -Terminal Pinheirinho, a ligação por canaleta entre o Terminal Boqueirão e a cidade de São José dos Pinhais e também a integração entre Pinhais e o Terminal Centenário.

O Governo do Estado explicou como deve ser esta integração metropolitana:

“Está prevista a implantação de uma linha alimentadora que ligará a Vila Tupy, no município de Araucária, até o terminal Pinheirinho, em Curitiba. O atendimento ao bairro havia sido descontinuado em 2017 pelo município, afetando os cerca de 25 mil moradores. A retomada da linha foi, inclusive, compromisso de campanha do governador Ratinho Junior.

Com ela, os usuários que desejem ir até Curitiba não precisarão mais se dirigir até o centro de Araucária para fazer a integração. A Comec e a Urbs preveem que a linha comece a operar já no mês de agosto.

O convênio prevê, ainda, a integração entre os terminais de Pinhais e Centenário, em Curitiba. Para isso, a linha C16 – JD. IRAÍ será ampliada e passará a se chamar C16 – PINHAIS/CENTENÁRIO. A integração deverá começar em agosto.

Com esta alteração, o atendimento ao bairro Weissópolis, em Pinhais, será feito pela linha C15 – Weissópolis, será ampliado e passará a operar de forma circular.”

Por meio de nota, o presidente da Urbanização de Curitiba S.A. (Urbs), empresa responsável pela gestão do sistema de transporte coletivo da cidade, Ogeny Pedro Maia Neto, explicou que o aumento dos custos do transporte, como com combustível, lubrificantes, pneus, salários de motoristas, cobradores e funcionário administrativos , pressiona o preço da tarifa, sendo necessário o subsídio, caso contrário, a tarifa para o passageiro poderia aumentar.

“Por este motivo, a Prefeitura de Curitiba e o Governo do Estado celebraram o convênio, para garantir que o preço da passagem não suba neste momento”, disse, segundo a nota.

Segundo a administração estadual, o recurso repassado para Curitiba faz parte de uma verba de R$ 150 milhões, anunciados em fevereiro pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior, para subsídio e obras para o transporte público de Curitiba e Região Metropolitana.

O valor inclui os R$ 40 milhões para a Capital e R$ 110 milhões para as cidades vizinhas como Almirante Tamandaré, Araucária, Campo Largo, Campo Magro, Colombo, Fazenda Rio Grande, Pinhais e São José dos Pinhais, ainda de acordo com a nota.

NOVAS FAIXAS DE ÔNIBUS:

O convênio foi assinado entre o prefeito Rafael Greca e o governador em exercício Darci Piana no Palácio 29 de Março.

Na oportunidade, ambos anunciaram a implantação de seis novas faixas de ônibus que também devem possibilitar a integração entre Pinhais e o Terminal Centenário.

O presidente da Urbs, Ogeny Pedro Maia, disse, segundo a nota, que as viagens vão ser mais rápidas por estas faixas, o que também vai reduzir o custo operacional em torno de R$ 145 mil para as linhas que vão trafegar pelos espaços.

“O ganho de tempo para os usuários do sistema de transporte se soma a uma economia média de cerca R$ 145 mil por ano em algumas linhas. É uma redução de custos muito representativa e torna nosso sistema cada vez mais eficiente”,  disse.

As seis novas faixas para ônibus serão: 

– Rua João Negrão (entre as ruas André de Barros e Almirante Gonçalves);

– Rua Alfredo Bufren (entre as ruas Presidente Faria e Tibagi);

– Avenida Marechal Deodoro (entre a Rua Ubaldino do Amaral até a Praça das Nações);

– Rua Emiliano Perneta (entre as ruas Dr. Muricy e Visconde de Nácar);

– Rua Amintas de Barros (entre as ruas Conselheiro Laurindo e Ubaldino do Amaral);

– Rua Imaculada Conceição (da altura do portão de entrada da Pontifícia Universidade Católica do Paraná – PUCPR até a Linha Verde).

Curitiba possui atualmente sete faixas de ônibus em operação:

– Rua XV de Novembro (entre a Avenida Nossa Senhora da Luz e a Rua João Negrão);

– Rua Marechal Deodoro (entre a Rua João Negrão e a Alameda Dr. Muricy);

– Rua Conselheiro Laurindo (dois trechos, um na faixa da direita, entre a Rua Chile e a Av. Sete de Setembro; e outro na faixa da esquerda, entre a Av. Visconde de Guarapuava até a Travessa Itararé, próximo ao Terminal Guadalupe);

– Rua Des. Westphalen (da Avenida Visconde de Guarapuava até a Avenida Presidente Getúlio Vargas);

– Rua General Mário Tourinho (entre a Avenida Vicente Machado e o terminal Campina do Siqueira)

– Rua André de Barros (a partir do cruzamento com a Rua 24 de Maio, na Praça Rui Barbosa, até a Rua Desembargador Westphalen);

– Ruas Alfredo Bufren e Amintas de Barros  (entre as ruas Presidente Faria e General Carneiro).

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta