Auditoria do TCM mostra que sistema de Bilhete Único de São Paulo utiliza tecnologia ultrapassada e insegura

Contratada da prefeitura diz que reconhecimento facial nos ônibus foi avanço. Foto: Adamo Bazani (Diário do Transporte) - Clique para Ampliar

Software da SPTrans é de 2004. Tribunal recomenda troca de todos os cartões. Passageiros com modalidade do Bilhete Único Comum de tecnologia antiga, vão ter de fazer a troca até dia 30 de setembro se quiserem ter saldo superior a R$ 43

ADAMO BAZANI

Auditoria do Tribunal de Contas do Município de São Paulo mostrou que o sistema de Bilhete Único da cidade tem tecnologia ultrapassada e insegura, o que possibilita fraudes.

Os auditores do TCM recomendaram que todos os cartões antigos sejam trocados e que o sistema seja atualizado.

A informação foi veiculada pelo repórter Filipo Mancuso, da TV Globo, na noite desta quinta-feira, 11 de julho de 2019, no projeto Anda SP.

Segundo a auditoria, o software do Bilhete Único é de 2004, desde sua criação, e é vulnerável a várias fraudes.

Nos últimos cinco anos, a prefeitura, ainda segundo a reportagem, já gastou R$ 100 milhões para atualização do sistema, o que ainda não foi finalizado.

Existem duas linhas de defesa às fraudes: o próprio cartão e o programa, que contém chaves privadas, que, apesar de ter acesso restrito a poucos servidores, ainda assim é suscetível.

A auditoria mostrou que 60% dos cartões em circulação são de tecnologia já ultrapassada, mas os 40% restantes também têm vulnerabilidade.

À reportagem, o secretário de mobilidade e transportes da cidade de São Paulo, Edson Caran, disse que iria cobrar uma posição do consórcio responsável pela implantação da modernização do sistema.

A PC Service, responsável pelos trabalhos, disse que houve mudanças de prazos do contrato, que se tornou mais abrangente, sendo necessário adequar os cronogramas, e que houve avanços, como a implantação em 2017 do sistema de reconhecimento facial que detectou mais de 300 mil fraudes.

Como mostrou o Diário do Transporte, a SPTrans informou que, desde 1º de fevereiro de 2019, foram emitidos 540 mil novos cartões do Bilhete Único prata.

A partir de 01º de outubro, os cartões de tecnologia antiga só vão armazenar saldo equivalente a dez tarifas, ou R$ 43,00.

Quem tem esses cartões antigos do tipo Bilhete Único Comum e precisa abrigar saldo superior a R$ 43 vai precisar fazer a troca até dia 30 de setembro.

Quem possui mais de R$ 43 no cartão antigo e não fizer a troca vai perder os créditos.

TROCA DO BILHETE ÚNICO – VEJA AS PRINCIPAIS INFORMAÇÕES

 

Data-Limite para a troca: 30 de setembro de 2019.

 

Quais cartões que precisam ser trocados? Os cartões do BILHETE ÚNICO COMUM emitidos antes de 2014 e os que não são personalizados. Na parte de trás do bilhete, há a especificação dos modelos do cartão. Entre os que devem ser trocados estão os modelos de cartões Classic 1K, códigos 52 e 59; II – Cartão Plus 4K, código 110.

 

O que acontece se não houver a troca dentro do prazo? O passageiro perde o saldo a partir de dez passagens (R$ 43,00).

 

Como deve ser a troca?

 

A transferência de saldo do bilhete antigo para o bilhete novo não é na hora e não é só chegar ao posto.

– Primeiro, o passageiro que tem Bilhete Único Comum emitido antes de 2014 ou Anônimo deve entrar no site da SPTrans e se cadastrar enviando uma foto. Tem de ser foto estilo de documento, não pode ser, por exemplo, selfies, em cenários, de lado, corpo inteiro ou com outras pessoas junto. É necessário preencher uma série de dados.

 

– O link para cadastro da foto e dos dados é:

http://sptrans.com.br

 

– Confirmado o cadastro, o passageiro deve ir ao posto da SPTrans com o cartão antigo e documento oficial com foto, como RG ou CNH – Carteira Nacional de Habilitação.

 

– O saldo do Bilhete antigo só vai estar disponível no novo depois de 72 horas, quando o passageiro deve voltar ao posto e validar.

 

Quem precisa trocar o Bilhete Único?

 

Somente quem possui no mesmo cartão as seguintes situações:

– utiliza somente crédito Comum;

– não tem créditos vale-transporte;

– o cartão foi emitido antes de 2014 ou é anônimo; e

– não utilizará o excedente de crédito comum acima de R$ 43 até 30.09.2019.

A SPTrans calcula que em torno de 50 mil cartões com códigos 52, 59 e 110 precisam ser trocados.

POSTOS DA SPTRANS COM ATENDIMENTO 24 HORAS:

  • Term. A E Carvalho
    Endereço: ESTR. DO IMPERADOR, 100
  • Term. Amaral Gurgel
    Endereço: R. DR. FREDERICO STEIDEL, 107
  • Ângela
    Endereço: ESTR. DO M’BOI MIRIM, 4901
  • Term. Aricanduva
    Endereço: AV. AIRTON PRETINI, 0
  • Term. Bandeira
    Endereço: PÇA. DA BANDEIRA, 0
  • Term. Cachoeirinha
    Endereço: AV. INAJAR DE SOUZA, 0
  • Term. Campo Limpo
    Endereço: R. CAMPINA GRANDE, 43
  • Term. Capelinha
    Endereço: ESTR. DE ITAPECERICA, 3222
  • Term. Carrão
    Endereço: AV. DEZENOVE DE JANEIRO, 884
  • Term. Casa Verde
    Endereço: PÇA. DAS MONÇÕES, 0
  • Term. Cidade Tiradentes
    Endereço: R. SARA KUBITSCHECK, 165
  • Term. Grajaú
    Endereço: R. GIOVANNI BONONCINI, 77
  • Term. Guarapiranga
    Endereço: ESTR. DO M’BOI MIRIM, 152
  • Term. João Dias
    Endereço: AV. JOÃO DIAS, 3589
  • Term. Lapa
    Endereço: PÇA. MIGUEL DELL´ERBA, 50
  • Term. Parelheiros
    Endereço: ESTR. DA COLÔNIA, 0
  • Term. Penha
    Endereço: AV. GABRIELA MISTRAL, 0
  • Term. Pinheiros
    Endereço: R. GILBERTO SABINO, 133
  • Term. Pirituba
    Endereço: AV. DR. FELIPE PINEL, 60
  • Pq. Dom Pedro
    Endereço: PQ. D. PEDRO II, 0
  • Term. Princesa Isabel
    Endereço: PÇA. PRINC. ISABEL, 0
  • Term. Sacomã
    Endereço: R. BOM PASTOR, 3000
  • Term. Santo Amaro
    Endereço: AV. PE. JOSÉ MARIA, 400
  • Term. São Miguel
    Endereço: R. GUARACAPÁ, 350
  • Term. Sapopemba
    Endereço: AV. ARQ. VILANOVA ARTIGAS, 0
  • TERM. V. PRUDENTE
    Endereço: AV. PROF. LUIZ IGNÁCIO ANHAIA MELLO, 1359
  • Term. Varginha
    Endereço: AV. PAULO GUILGUER REIMBERG, 0

 

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

2 comentários em Auditoria do TCM mostra que sistema de Bilhete Único de São Paulo utiliza tecnologia ultrapassada e insegura

  1. Amigos, boa noite.

    O TCM está sendo muito rigoroso; afinal o software é de 2004; tem apenas 15 aninhos.

    Agora uma coisa é verdade, esse software pode ter 15 anos, mas de bobinho ele não tem nada; pois ele só joga no time da fiscalizadora.

    Se o TCM é um Tribunal de Contas sua missão é examinar as contas e não softwares.

    Façam um pente fino na conta 99 outros para onde vãos os centavos bem como para qual conta foi os R$ 20,00 que eu tinha de saldo no meu BU que foi levado no assalto em 2017 e a fiscalizadora me deve até hoje e não pagou.

    Tai TCM, busquem em qual conta foi creditado os meus R$ 20,00.

    Busquem o por que se eu carrego o meu BU na máquina com cartão de débito e mesmo assim eu só posso fazer cargas com múltiplos de 5 centavos.

    EM QUAL LIVRO DE CONTABILIDADE ESTA ESCRITO ISTO.

    TCM não esqueça, vocês são um Tribunal de CONTAS e não de informática.

    MUDA BARSIL, ACELERA SAMPA.

    Att,

    Paulo Gil

  2. Amigos, boa tarde.

    Ontem passei pela Avenida Francisco Morato e como já vi também no corredor nove de julho de sábado a tarde; vi um monte de articuladinho trucadinho “batendo lata”

    Quem paga esse desperdício todos sabem; é o contribuinte.

    Solicito ao TCM, verificar qual o custo dessa “bateção de lata” de articuladinho trucadinho aos sábados nos corredores de Sampa.

    Pra mim é um desperdício e pronto; é muito buzão para pouco passageiro, não tem como não ser desperdício e em excesso.

    Mas desperdiçar o dinheiro do contribuinte não dói no bolso da PMSP, certo?

    Certísssimo!

    PODER PUBLICO, ATUALIZE-SE, MODERNIZE-SE E SAIA DO JURASSISMO.

    Att,

    Paulo GIl

Deixe uma resposta