Contran adia implantação da Placa Mercosul para fevereiro de 2020

Publicado em: 29 de junho de 2019

Decisão coloca um fim na intenção do presidente Jair Bolsonaro de anular o sistema de identificação veicular, como já manifestara inúmeras vezes na campanha eleitoral e após sua eleição

ALEXANDRE PELEGI

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) anunciou nesta sexta-feira, 28 de junho de 2019, novo adiamento para a adoção das placas do Mercosul em todos os estados brasileiros.

A decisão coloca um fim na intenção do presidente Jair Bolsonaro de anular a placa, como manifestou inúmeras vezes tanto na campanha eleitoral, quanto após eleito. Relembre: Bolsonaro reafirma intenção de anular a placa do Mercosul

Em uma live no Facebook em 14 de março, Bolsonaro mostrou seu descontentamento com o sistema de placas do Mercosul. Citando o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, Bolsonaro afirmou: “Vamos ver se a gente consegue anular a placa do Mercosul. É um constrangimento, uma despesa a mais”.

Pela decisão do Contran desta sexta-feira, não só o sistema persiste, como terá de ser adotado até o dia 31 de janeiro de 2020. O prazo anterior determinava que o sistema passasse a vigorar em todo o país até este final de semana, dia 30 de junho. Segundo o Contran, o novo prazo dará mais tempo aos Detrans dos estados para credenciar os fabricantes das novas placas.

Além da nova data para que estados e o Distrito Federal se adequem ao novo padrão, a Resolução nº 780, publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira determina que a placa Mercosul não será mais obrigatória no caso de transferências de propriedade do veículo, como era exigido anteriormente, a não ser em caso de mudança de cidade.

Segundo informou Jerry Adriane Dias, diretor do Denatran, são realizadas atualmente cerca de 17 milhões de transferências de propriedade por ano sem mudança de município, o que implicará em economia de aproximadamente R$ 3,4 bilhões ao consumidor final.

Outra novidade está na simplificação do visual. A exigência do lacre foi derrubada, seguindo determinação de 2018, assim como o efeito de ondas sinusoidais e a película refletiva nos caracteres.

O QR Code, item obrigatório da placa, permitirá por meio de um aplicativo do Denatran que as autoridades possam ler o código para verificar possíveis irregularidades relacionadas ao veículo e acessar informações.

A expectativa do governo é que o QR Code ajude ainda a coibir clonagens e falsificações de placas veiculares.

Até o momento sete estados já emitem a nova placa: Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul. Os mais de 2 milhões de veículos já emplacados pelo padrão Mercosul não precisarão trocar as placas pelas versões revisadas.

Para ler a Resolução na íntegra, baixe os arquivos:

contran_01

contran_02

contran_03

contran_04

contran_05

contran_06

contran_07

contran_08

contran_09

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Rogerio Belda disse:

    Corretíssimo: Foram tantos estudos prospectivos com o horizonte de tempo em 2020
    que a mudança será percebida como pertinente aos novos tempos” – Rogerio Belda

  2. Concordo com a manutenção da placa, chega de retroceder. O presidente deve cobrar de sua equipe a revisão da carga tributária, reduzir impostos sobre a placa e consequentemente redução do valor das mesmas. Chega de guerra ideológica e inflamar conflitos!
    Mas voltando as placas, estou notando que muitas delas esta faltando informações, não possuem as bandeiras do estado e município.

  3. DIEGO disse:

    Jairo, bandeira de estado e município desde quando foi implantada essa aberração de placa , foi retirada da pauta, ou seja, no Brasil ela não tem esses itens. Bom mesmo que agora as transferências dentro das cidades não precisar mais por essa estrovenga. Assim como kit primeiros socorros e extintor abc, mais um acordo com alguma empresa lucrar em algo.

  4. Rodrigo Zika! disse:

    Sou a favor da troca, porém o consumidor não pode bancar isso jamais, pois tudo nesse país e um absurdo de preço desleal, desde carro 1.0 que nenhum país mais vende vendido por preço de 2.0, e preços altíssimos, não condizente com o salário do brasileiro, uma vergonha.

  5. sou a favor devido a milhares de clonagens e furtos, os criminosos dão um banho na PM, e poder público, mantendo um mar de carros abandonados, enferrujados, criadouro de piscina para dengues na zona leste, ou, na maior cidade do país,,,além do que o QR Code, facilita identificar em tempo real se é placa daquele carro, ou não…O mundo se transforma, e tem uns bocós contra, então joga seu celular no lixo. Tudo muda do dia pra noite,,,,acordem

    1. DIEGO disse:

      Bocó é quem acha que com qrcode vai diminuir a bandidagem. A policia não tem nem combustível direito pras viaturas e o bocó de carteirinha acha que polícia vai ficar com celularzinho abrindo aplicativo na beira da rodoviá pra verificar qrcode de placa. No PR mesmo, a polícia pegava direto carros roubados indo pro Paraguai justamente pela placa, tarjeta com a cidade escrita de forma errada, entre outras, Clonagem não acabou e nem vai acabar, ao contrário, está facilitando ainda mais pros bandidos, já que agora a placa é mercosul, pode circular tranquilamente.

      “mar de carros abandonados, enferrujados, criadouro de piscina para dengues na zona leste, ou, na maior cidade do país”

      Que isso tem a ver com a placa? Vão por placa mercosul em carro abandonado? kkkkk.
      Realmente, tem que ser muito bocó pra falar uma coisa dessas.

Deixe uma resposta