Rodoviária do Plano Piloto, no Distrito Federal, é parcialmente interditada para reforma

Publicado em: 27 de junho de 2019

Em abril, o Governo do Distrito Federal havia prometido entregar a nova Rodoviária do Plano Piloto em junho. Foto: Agência Brasília.

Trânsito de veículos da Asa Sul para a Asa Norte segue na mesma via, porém em duas faixas; terceira faixa é para fluxo contrário

JESSICA MARQUES

A Rodoviária do Plano Piloto, no Distrito Federal, está parcialmente interditada para reforma desde esta quarta-feira, 26 de junho de 2019.

O trânsito de veículos da Asa Sul para a Asa Norte segue na mesma via, porém em duas faixas. A terceira faixa está sendo utilizada para o fluxo contrário.

A previsão de custo das obras é de R$ 6 milhões. Ao término da execução, a segurança das peças reformadas será restabelecida.

“Um material feito de fibra de carbono – mais moderno, resistente e econômico que o de aço – será aplicado no interior das vigas de concreto, aumentando em dez vezes a resistência da estrutura impactada diariamente pela passagem de veículos na plataforma superior”, informou o Governo do Distrito Federal, em nota.

Atualmente, o DFTrans executa uma operação de desvio do trânsito somente de ônibus e caminhões nas vias de acesso à plataforma superior no período da manutenção.

Confira os detalhes da interdição:

O trânsito de ônibus e caminhões está proibido sobre a plataforma superior da Rodoviária do Plano Piloto. A medida de segurança, adotada pelo Governo do Distrito Federal, vai vigorar durante as obras de recuperação das vigas de sustentação do terminal.

Já o tráfego de carros e motocicletas será permitido apenas na pista que liga o Eixo L Sul ao Eixo L Norte. Por ali, condutores que se deslocam da Asa Sul para a Asa Norte poderão seguir na mesma via, porém, com apenas duas faixas de acesso liberadas. Já a terceira faixa será revertida para atender o fluxo dos motoristas que seguem em sentido contrário, da Asa Norte para a Asa Sul.

MUDANÇAS NOS ÔNIBUS

O Governo do Distrito Federal também informou mudanças no fluxo de ônibus no local. Confira:

Para atender aos usuários de ônibus que desciam na pista da plataforma superior entre o Conjunto Nacional e o Conic, uma parada provisória será instalada no paredão que fica ao lado do Buraco do Tatu.

No sentido contrário, um novo ponto de embarque e desembarque de passageiros será criado para dar conta da demanda dos ônibus que acessavam a plataforma na via, sentido Sul-Norte.

No trecho de circulação provisória, os ônibus e caminhões que vierem pelo Eixo W Norte deverão entrar no acesso ao Eixão Norte, contornar a rodoviária pela alça oeste, retomar o acesso ao Eixão Sul (lateral ao Buraco do Tatu) e, enfim, prosseguir no Eixo W Sul.

No sentido contrário, a circulação de caminhões será semelhante: entram no último acesso do Eixo L Sul ao Eixão Sul, contornam a rodoviária pela alça leste, retomam o fluxo na lateral do Eixão Norte e prosseguem pelo Eixo L Norte. O tráfego de caminhões pelo Eixão, tanto no sentido Norte quanto no sentido Sul, fica proibido.

OBRAS DEVEM DURAR TRÊS MESES

A previsão de duração das obras, que devem começar em até 15 dias, é de três meses. Enquanto isso, nenhum veículo poderá atravessar a via que liga o shopping Conjunto Nacional ao Conic, no sentido Norte-Sul.

Por ali o trânsito está totalmente interrompido e só é permitida a passagem de pedestres e ciclistas. Os estacionamentos da parte superior da rodoviária também estão temporariamente interditados.

A ação foi determinada pelo governador Ibaneis Rocha depois que vistorias da Novacap detectaram dilatação nas fissuras da estrutura que dá sustentação ao piso superior da rodoviária.

A intenção do governo, segundo nota, era abrir um processo de licitação normal para que obras de recuperação do terminal fossem executadas ao longo do ano, mas um aumento de 0,4 centímetro para 1,5 centímetro na fissura da estrutura – em apenas três meses – fez com que o governador decidisse pela interdição imediata do trânsito no local.

“Sei do transtorno que uma medida emergencial como essa causará à vida da nossa população, mas precisamos em primeiro lugar pensar na segurança e na vida das pessoas que passam por ali todos os dias”, disse o governador, em entrevista coletiva.

Em abril, o Governo do Distrito Federal havia prometido entregar a nova Rodoviária do Plano Piloto em junho.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2019/04/08/distrito-federal-promete-entregar-nova-rodoviaria-do-plano-piloto-em-dois-meses/

LICITAÇÃO

O Executivo informou ainda que aguarda uma aprovação do Tribunal de Contas do Distrito Federal para alterar o modo de licitação das obras – de normal para emergencial. A expectativa é de que isso ocorra até a próxima segunda-feira, 1º de julho.

A Novacap continuará o trabalho de monitoramento das vigas de sustentação da plataforma. A empresa também será responsável pelas obras de reparo.

Em um primeiro momento, um escoramento metálico na parte superior dos pilares será implantado. A partir daí começará o trabalho de recuperação da estrutura, tratando as fissuras com um material químico utilizado nesse tipo de obra.

“A recuperação da Rodoviária do Plano Piloto está entre os 20 projetos das chamadas obras de arte (de grande estrutura) avaliadas pela Novacap como fundamentais para recuperação da vida útil dessas estruturas”, informou o governo, em nota.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

Deixe uma resposta