Corredor de ônibus chega a 11 mil árvores entre São Paulo e o ABC

Publicado em: 23 de junho de 2019

Plantação também ajuda na estética do local. Foto; Divulgação Metra – Texto Adamo Bazani (Clique para Ampliar)

De acordo com operadora de ônibus e trólebus, plantação pode neutralizar cerca de 100 toneladas de CO2 lançadas na atmosfera

ADAMO BAZANI

Os 33 quilômetros do eixo principal do Corredor ABD chegaram neste ano à marca de 11 mil árvores.

O corredor liga o bairro de São Mateus, na zona Leste de São Paulo, ao Jabaquara, na zona Sul, passando por municípios do ABC Paulista (Mauá- Terminal Sônia Maria, Santo André, São Bernardo do Campo e Diadema).

O programa Corredor Verde começou em 2008 pela concessionária Metra, responsável pela manutenção do sistema e operação dos 260 veículos, entre ônibus e trólebus que fazem a ligação.

Segundo a empresa, esta vegetação é responsável por neutralizar cerca de 100 toneladas de CO2 lançadas na atmosfera pelos coletivos a diesel que trafegam no corredor e pelos demais veículos que passam nas vias ao lado.

A proprietária da Metra, Maria Beatriz Setti Braga, disse, por meio de nota, que as árvores também têm outras funções no corredor, além de neutralizar as emissões e melhorar a estética.

“As árvores ao redor do corredor também ajudam na redução da poluição sonora, humanizam a cidade, diminuem a temperatura do ambiente e absorvem a água da chuva”.

A poda destas árvores é feita por uma equipe de jardinagem da própria empresa e este material para compostagem é enviado para a Associação Santo Inácio para a Integração do Trabalhador Especial, uma entidade que capacita e coloca no mercado de trabalho cidadãos com algum tipo de deficiência ou limitação física ou intelectual.

São diferentes espécies de árvores, mas um dos destaques são os manacás-da-serra, planta nativa da Mata Atlântica, com flores roas, roxas e brancas.

A empresa ressalta ainda que dos 260 veículos que opera, em torno de 100 são de tração mais limpa, como trólebus, ônibus elétricos com bateria e ônibus híbridos, que juntos permitem a redução de emissões de 20 mil toneladas de CO2 por ano.

 

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Cynthia De Jesus Cavalcante Lobato disse:

    Bela iniciativa que pode ser copiada por todos bairros e municípios de SP

  2. Justamente num ponto de leito de esgoto de todo centro de SBC, a Faria Lima, local que mais há calor, em tempo de verão…Pena que quando há chuvas neste local se alaga pior que piscina,,, parabéns , eu vejo isso e me encanta.

Deixe uma resposta