Rodoviários de Bertioga anunciam greve de ônibus para segunda-feira

De acordo com o sindicato, mais de 12 mil passageiros poderão ficar sem transporte coletivo nas sete linhas municipais atendidas por 27 ônibus. Foto: Divulgação / Prefeitura de Bertioga.

Categoria afirma que se não houver pagamento de salários e benefícios atrasados, motoristas vão cruzar os braços

JESSICA MARQUES

O Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Santos e Região informou que o transporte coletivo de Bertioga, no litoral paulista, pode parar a partir de segunda-feira, 17 de junho de 2019.

A categoria afirma que se não houver pagamento de salários e benefícios atrasados, os motoristas vão cruzar os braços a partir da próxima semana. A decisão foi tomada em assembleia na noite desta terça-feira, 11.

De acordo com o sindicato, mais de 12 mil passageiros poderão ficar sem transporte coletivo nas sete linhas municipais atendidas por 27 ônibus. A greve, de acordo com a entidade, deverá afetar também o transporte escolar, responsável por cerca de 2.500 alunos, em 25 veículos, com um motorista e uma monitora em cada.

O vice-presidente do sindicato, José Alberto Torres Simões, o Betinho, informou à mídia local que 200 trabalhadores, sendo 80 motoristas, estão com os salários e a cesta-básica atrasados desde sexta-feira, 07, e sem o vale-refeição desde 25 de maio.

De acordo com Simões, a Viação Bertioga ainda estaria em débito com o Fundo de Garantia, plano de saúde, INSS e férias. Um edital deverá ser publicado na quinta-feira, 13, com base na lei de greve (7783-1989) para avisar a população e autoridades sobre a paralisação por tempo indeterminado, também segundo o sindicato.

A Viação Bertioga ainda não se pronunciou sobre o assunto. A empresa teria até sexta-feira, 14, para quitar os débitos antes da greve.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

 

 

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta