Motoristas de ônibus do ABC devem decidir na quarta-feira se param ou não na greve geral marcada para sexta, 14

Ônibus em Santo André. Sindicato é filiado à central que vai orientar para paralisação. Foto: Adamo Bazani (Diário do Transporte) - Clique para Ampliar

Em encontro de entidades sindicais na capital paulista, representantes de motoristas de São Paulo, Mogi das Cruzes, Guarulhos, ônibus rodoviários, além de ferroviários e metroviários disseram que categorias vão cruzar os braços

ADAMO BAZANI

Os motoristas, cobradores e demais funcionários dos serviços de ônibus urbanos e metropolitanos do ABC Paulista devem decidir nesta quarta-feira, 12, se vão aderir à chamada “greve geral” marcada por centrais sindicais para sexta-feira desta semana, 14 de junho de 2019, contra a reforma da Previdência e medidas do governo Jair Bolsonaro.

Vão ser realizadas plenárias e reuniões com coordenações sindicais para apontar para uma paralisação ou não.

Representantes do Sintetra-ABC, sindicato dos rodoviários, estiveram em encontro de entidades sindicais ligadas aos transportes nesta segunda-feira, 10 de junho, e declararam apoio à greve geral, mas disseram que somente na quarta-feira devem ter um posicionamento.

O Sintetra-ABC, entretanto, é filiado à CUT, e dirigentes da central, que estiveram no encontro, orientaram os sindicatos a fazer com que os condutores parem.

O Diário do Transporte acompanhou a plenária nesta segunda-feira.

Os sindicatos informaram que deve haver paralisação dos ônibus da capital paulista, trens de todas as linhas da CPTM, metrô, ônibus de Guarulhos e Arujá, ônibus de Mogi das Cruzes e região, ônibus rodoviários com garagens no Estado de São Paulo, ônibus na Baixada Santista, entre outros serviços de transportes.

O coordenador do Sindicato dos Metroviários de São Paulo, Wagner Fajardo, disse que a entidade também articula a paralisação dos serviços das linhas 4-Amarela e 5-Lilás, que são de operações privadas, porque segundo ele, a Justiça reconheceu na semana passada a representatividade do sindicato sobre estes trabalhadores.

O presidente em exercício do Sindmotoristas, Valmir Santana da Paz, afirmou que todos vão participar da greve geral, tanto os condutores do subsistema local da capital paulista (ex-cooperativas) como das viações mais tradicionais do subsistema estrutural.

“A paralisação será o dia todo. É o que foi definido pela Frente Parlamentar e discutido aqui hoje nessa plenária do movimento sindical. Foi dessa forma que foi encaminhado e é dessa forma que temos que cumprir”, afirmou.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2019/06/10/setor-de-transportes-vai-aderir-a-greve-geral-de-sexta-14-dizem-sindicatos/

Além das centrais sindicais UGT, CUT, NCST, Força Sindical, CTB e Conlutas, estiveram no encontro a Federação dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Estado de São Paulo (FTTRESP), Sindicargas-SP, Sindbeb, Sindicato dos Rodoviários/SP, Sindicato dos Rodoviários do ABC, Sindicato dos Rodoviários de Mogi das Cruzes, Sindficot, Sindpesado, Ferroviários, Metroviários, Eletricitários/SP, Sindicato dos Bancários, Sindicato dos Padeiros, entre outros.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

1 comentário em Motoristas de ônibus do ABC devem decidir na quarta-feira se param ou não na greve geral marcada para sexta, 14

  1. Vão pagar caro, por essa Balbúrdia…podem esperar….SINDICATO HOJE MAIS ATRAPALHA QUE AJUDA…..

3 Trackbacks / Pingbacks

  1. Greve geral pode parar ônibus do ABC, Guarulhos e Mogi das Cruzes na sexta (14) - Via Trolebus
  2. Metrô, CPTM e ônibus de São Paulo e Região Metropolitana devem aderir à greve geral na sexta-feira, dia 14
  3. Ônibus, Metrô e CPTM: Sindicatos confirmam adesão à greve geral na sexta-feira, dia 14

Deixe uma resposta