CPTM vê risco em sistema do Bilhete Único e Justiça notifica SPTrans

Publicado em: 2 de maio de 2019

Troca de modelo de Bilhete Único está entre as medidas anunciadas pela SPTrans – Foto: Adamo Bazani (Diário do Transporte) – Clique para Ampliar

De acordo com a companhia de trens, foi contratada uma empresa para auditar o sistema e apurar possíveis perdas. SPTrans diz que argumentos contidos no processo não são “condizentes com a realidade do Sistema de Bilhetagem Eletrônica”

ADAMO BAZANI

A juíza Carolina Martins Clemencio Duprat Cardoso, da Vara da Fazenda Pública, determinou que a SPTrans – São Paulo Transporte entregue em um processo movido pela CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, informações sobre a segurança do sistema do Bilhete Único.

De acordo com o despacho da juíza, de 26 de abril, sobre a notificação extra-judicial da companhia de trens,  publicado em 30 de maio no Diário de Justiça Eletrônico, a CPTM alega que identificou “diversos riscos relativos à forma como ocorre o controle de informação no âmbito do SBE [Sistema de Bilhetagem Eletrônica], de responsabilidade da notificada.”

As dúvidas da CPTM são sobre a segurança do sistema de bilhetagem. Entre os exemplos estão riscos fraudes e a exatidão dos dados do Bilhete Único, de responsabilidade da SPTrans.

Em nota ao Diário do Transporte, a CPTM explicou que a notificação é um procedimento jurídico de rotina e ocorre porque a SPTrans é a responsável pela segurança do sistema e deve evitar as fraudes que gerariam prejuízos às operadoras de transporte. A CPTM também revelou à reportagem do Diário do Transporte que foi contratada uma empresa para auditar o sistema e apurar possíveis perdas das transportadoras.

Veja a nota na íntegra:

A notificação é um procedimento jurídico de rotina. Nesse caso, o objetivo é garantir eventual direito de ressarcimento à CPTM e ao Metrô, se for constatado prejuízo às empresas no convênio de integração tarifária. O prazo de 48 horas é para a SPTrans receber a notificação.

 A notificação é para a SPTrans porque a empresa é a responsável por combater possíveis fraudes por terceiros no sistema de integração do Bilhete Único, que causariam evasão de renda às empresas operadoras do transporte. Com a concordância de todos os participantes do Comitê Gestor do Bilhete Único, foi contratada uma empresa para auditar o sistema e apurar possíveis perdas.

As operadoras de transporte cujos recursos dependem da comercialização dos créditos do Bilhete Único e podem ser diretamente prejudicadas com eventuais fraudes são as empresas de ônibus da cidade de São Paulo, a CPTM, o Metrô, a Via Quatro (linha 4-Amarela – Metrô) e a Via Mobilidade (linha 5-Lilás do Metrô).

O Diário do Transporte também procurou a SPTrans sobre a notificação.

A gerenciadora dos transportes da cidade informou que vai contestar os argumentos da CPTM, que classificou como não condizentes com a realidade do Bilhete Único.

“A SPTrans irá apresentar contranotificação judicial à CPTM rebatendo os argumentos contidos no processo por não serem condizentes com a realidade do Sistema de Bilhetagem Eletrônica.”

MEDIDAS ANTIFRAUDE:

Como mostrou o Diário do Transporte em 30 de janeiro, a partir de 1º de fevereiro deste ano entraram em vigor medidas da SPTrans para tentar combater e minimizar os riscos de fraudes.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2019/01/30/sptrans-anuncia-novas-medidas-de-combate-as-fraudes-no-bilhete-unico/

No dia 06 de abril de 2019, o prefeito Bruno Covas regulamentou o decreto 58.639, de fevereiro que mudou as normas do Bilhete Único de São Paulo.

Entre as regras, que gradativamente entram em vigor entre a data da publicação e 90 dias depois, estão a necessidade de trocar os bilhetes de modelos antigos, de fazer BO – Boletim de Ocorrência para solicitação de segunda via em caso de perda ou furto, validade dos créditos entre um ano e cinco anos depois da compra e limitação das recargas. Além disso, a portaria trouxe uma série de punições previstas em caso de fraudes que vão desde advertência, suspensões e cancelamento dos bilhetes.

Veja os detalhes neste link:

https://diariodotransporte.com.br/2019/04/06/em-primeira-mao-bruno-covas-cria-novas-regras-do-bilhete-unico-com-punicoes-limitacoes-de-saldo-e-reajuste-mesmo-com-creditos-antigos/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Comentários

  1. Manoel Fernandes Neto disse:

    Muito legal
    Porque essa CPTM se preucupa pra ter mais seguranca em trens onibus e uma tarifa melhor pra uma pessoa ir e volta em SP e ABCD e um salario melhor pra seu operadores.

  2. Marcilene Pereira disse:

    em quanto sim preculpar com a segurancia do bilhente.deveira se preculpar como as pessoas que andar todos os dia em pe em onibus,seu prefeito de sp deveria te uma lei pra vcs andar de onibus todos os dia de trabalhor.em pec

  3. JOSE GERALDO FERREIRA disse:

    É claro que a diminuição de 3 para 2 horas e apenas 2 integrações vai afetar o metrô e com, porque quem pegava ônibus-metrô, agora vai pegar apenas ônibus

  4. Edu Nogueira disse:

    Claro que não isso e nada mais e nada mesmo do que uma jogada da prefeitura e governo do estado retirar a integração isso e só uma cortina de fumaça Bruno Covas e cria do gestor

  5. Paulo Gil disse:

    Amigos, boa noite.

    Se a “exatidão dos dados do Bilhete Único” que a CPTM se refere, for com relação a saldos e falta de extratos eu concordo com a CPTM.

    Já mandei cópia do meu BU para o Diário de Transporte; pois eu não sei de onde o meu saldo aparece com centavos.

    Fui a um terminal de carregamento da Estação República do Metro e fui arredondar meu saldo; afinal estava utilizando o meu cartão de débito.

    Fiquei estarrecido quando a máquina falou que eu não poderia carregar com centavos; pois só existem moedas de 5 centavos; portanto não consegui arredondar o saldo do meu BU.

    Este procedimento é no mínimo ridículo; mas na real centavos multiplicado por um zilhão de cartões sublimam; só não sabemos para que conta.

    Foi muito oportuna esta notificação; até porque o novo BUcova é a prova que o BU está todo errado.

    Att,

    Paulo Gil

  6. Juliana disse:

    Então…faço minha recarga pelo banco. O ano passado qdo fiz uma recarga de 50 reais, bloquearam meu cartão, tive que comprar outro e agora só faço recarga de 30 reais. Aquela máquina de revalidação de recarga que fica dentro das peruas quase sempre não funciona, sem sinal. Pelo preço que se paga deveria ser 4h, considerando o trânsito caótico de São Paulo

  7. Osmar disse:

    Só ladrões, o povo está sofrendo nas mãos desses demônios

  8. ROGERIO PAZINATO disse:

    É óbvio que há fraudes! Todos os dias, algumas pessoas oferecem passagens a $3,50 na porta da estação de trens de Santo André! E diariamente são sempre as mesmas pessoas e sei que ocorre o mesmo em outras estações da CPTM…e vejo os funcionários assistirem essa fraude passivamente!

  9. Alfredo disse:

    Terminais São Mateus e Parque Dom Pedro, fraudes de montão, ambulantes fazem a festa, sugiro reportagem sobre a evasão no São Mateus, completamente aberto aos sábados e domingos, ninguém paga a passagem no lado da Sptrans, uma baderna de camelôs, pedintes, assaltos e iluminação deficiente, Adamo, por favor, já reclamei com EMTU, Metra e até agora, nada

Deixe uma resposta