Troca de modal da Linha 18 está entre os temas em pedido de criação de Frente Parlamentar do ABC na Alesp

Projeção do Consórcio VemABC, responsável pela implantação do monotrilho, de como seria uma das composições

As reformas das estações da linha 10-Turquesa também farão parte das pautas, assim como revitalização da Avenida dos Estados

ADAMO BAZANI

Um grupo de deputados da Alesp – Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo entrou com requerimento para a formação de uma Frente Parlamentar voltada para debater assuntos relacionados ao ABC Paulista.

O ofício foi protocolado em 18 de março e publicado nesta quinta-feira, 25 de abril de 2019, com pedido endereçado ao presidente da casa, Cauê Macris.

Entre os assuntos relacionados na justificativa para a necessidade de um acompanhamento parlamentar estão os estudos do Governo do Estado de São Paulo para uma possível troca de modal de transporte da linha 18-Bronze, prevista inicialmente para ligar as cidades de São Bernardo do Campo, Santo André, São Caetano do Sul e a estação Tamanduateí, na capital paulista, por meio de monotrilho.

Mas diante dos altos custos de implantação, dos cerca de R$ 600 milhões em desapropriações para a colocação das vigas dos elevados e estações, da caducidade dos decretos para uma parte destas desapropriações e dúvidas quanto aos custos operacionais, o Governo do Estado realiza estudos de viabilidade de troca do monotrilho por uma opção mais barata e que poderia ter capacidade e velocidade semelhantes.

Entre as opções está um sistema de corredores de ônibus rápidos (BRT), com estações no mesmo nível do assoalho dos ônibus e pontos de ultrapassagem entre os coletivos.

O monotrilho do ABC foi prometido em 2012 para ficar pronto entre 2014 e 2015, mas uma viga sequer foi erguida. Mesmo assim, o meio de transporte já está bem mais caro.

Em 2014, o monotrilho da linha 18-Bronze tinha uma previsão de consumir R$ 4,69 bilhões (R$ 4.699.274.000,00) para ficar pronto. O valor, de acordo com a atualização do orçamento pelo Governo do Estado, pulou para R$ 5,74 bilhões (R$ 5.741.542.942,61), elevação de 22,18%.

Os dados são da Secretaria Estadual dos Transportes Metropolitanos e foram obtidos pela reportagem do Diário do Transporte por meio de Lei de Acesso à Informação no início do ano.

Isso significa que cada quilômetro do monotrilho do ABC custaria, se saísse hoje do papel, R$ 365,7 milhões (R$ 365.703.372,14) – sem as correções entre janeiro e abril.

A demanda projetada pelo Governo do Estado para o monotrilho com toda a extensão concluída é de em torno de 340 mil passageiros por dia.

No requerimento, os deputados citam a necessidade de acompanhamento por parte da Alesp  destes estudos sobre a eventual troca de modal e também falam da revitalização da Avenida dos Estados e reformas das estações da linha 10-Turquesa da CPTM, muitas das quais, no ABC, sem acessibilidade plena.

Nos transportes, vamos propor o debate sobre as reformas nas estações de trens que atendem nosso território, além de discutir a pavimentação asfáltica da Avenida do Estado, que vem sofrendo intenso desgaste causado por fenômenos climáticos, ação do tempo e pela acentuada rodagem de veículos. A implantação da Linha 18-Bronze da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos – CPTM, que ligará diretamente o centro de São Bernardo do Campo até a estação Tamanduateí do Metrô, passando por Santo André e São Caetano do Sul, também será tema do nosso trabalho, inclusive a viabilidade de um sistema de transporte público baseado em ônibus, construído a partir do conceito de Bus Rapid Transit (BRT), como alternativa à Linha 18.

Assim o pedido os seguintes parlamentares, entre requerentes e apoiadores:

Thiago Auricchio (PR), Alex de Madureira (PSD), Carla Morando (PSDB), Delegado Bruno Lima (PSL), Luiz Fernando T. Ferreira (PT), Major Mauro (PR), André do Prado (PR), Barros Munhoz (PSB), Caio França (PSB), Campos Machado (PTB) , Cezar (PSDB), Coronel Telhada (PP), Daniel José (NOVO) , Delegado Olim, Fernando Cury (PPS), Frederico d’Avila (PSL), Itamar Borges (MDB) , Leci Brandão (PCdoB) , Marcio da Farmácia (PODE), Márcio Nakashima (PDT), Marcos Damasio (PR), Marcos Zerbini (PSDB), Mauro Bragato (PSDB), Paulo Correa Jr (PATRI), Professor Kenny (PROS) ,Rafa Zimbaldi (PSB), Ricardo Madalena (PR) , Ricardo Mellão (NOVO), Rogério Nogueira (DEM), Roberto Morais (PPS), Roque Barbiere (PTB), Sergio Victor (NOVO), Tenente Coimbra (PSL) , Teonilio Barba (PT), Vinícius Camarinha (PSB),Edmir Chedid (DEM), Gilmaci Santos (PRB).

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

9 comentários em Troca de modal da Linha 18 está entre os temas em pedido de criação de Frente Parlamentar do ABC na Alesp

  1. Francisco Eduardo // 25 de abril de 2019 às 08:00 // Responder

    Bom dia independente do modal porque insistem em parar o sistema na estacao djalma dutra ao inves do terminal ferrazopolis???? Trata se de um terminal de onibus o qual poderia captar e direcionar melhor o fluxo de passageiros, alem disso muitas pessoas que vem do litoral poderiam parar seus carros na regiao (convenio com estacionados por exempli do wall mart) e chegar mais rapido ao seu destino por transporte publico como se faz em outros paises…. Falta planejamento por parte das autoridades q sempre gastam mto mal nosso dinheiro…

  2. Se o ABC optar pelo BRT fica evidente a forca do lobby do transporte por onibus na metropole o que só atesta o nosso atraso. Modernidade significa transporte por trilhos não pelos poluentes e barulhentos ônibus.

  3. Por que se fala em monotrilho e BRT mas não se fala em VLT? Extremamente propícia a implantação de VLT no traçado da linha 18, simultaneamente a adequação da Av. Lauro Gomes em ambas as margens do Rio dos Meninos.

  4. O correto e metro ou uma linha da Cptm…o resto e atraso

  5. Amigos, boa noite.

    Quanta elucubração mental para resolver um probleminha básico.

    Esta decisão tem de ser técnica, tomada por Doutores em Engenharia de Transporte, Ferroviária, Automobilistica, Civil, Meio Ambiente.

    Pronto o que for mais tecnicamente viável e com ótima relação custo benefício é o o que deve ser feito.

    Não cabe política neste caso, pois só irá aumentar o tempo sem mobilidade.

    Haja vista a reforma do INSS, tanta demora; lembrando que cada dia de atraso o ROMBO da Previdência aumenta mais.

    Acho que muita gente não teve aula com a Tia Cotinha.

    O problema é que todos pensam somente no próprio umbigo e o interesse Público que se exploda.

    Barsil

    Att,

    Paulo Gil

  6. Não estão nem aí com a população, o lobby dos onibus vai ganhar a disputa. o monotrilho seria a opçao mais apropriada para a região. Nos do ABC vamos lembrar deste descaso nas proximas eleições.

  7. O que o Grande ABC merece de fato e de Direito é Metrô… Menos que isso uma linha da CPTM… O resto é blá, blá…
    Vamos acordar ABC!!!

  8. Feliz da nação em que o transporte coletivo público discutido (mas sem querer ensinar aos padres a rezarem missa) assina-lo que qualquer investimento (expansão) deve levar em conta o efeito geral sobre a rede existente. Rogerio Belda

1 Trackback / Pingback

  1. Frente de deputados do ABC é lançada com promessa de debater com Doria um modelo de transportes viável para a linha 18-Bronze

Deixe uma resposta