Em inauguração da Estação Campo Belo, Doria promete metrô até o Jardim Ângela

Publicado em: 8 de abril de 2019

Estação Campo Belo do Metrô, com monotrilho incompleto ao fundo. Foto: Adamo Bazani (clique para ampliar)

Segundo o governador, os estudos já foram iniciados em março, mas não há data para a conclusão

ADAMO BAZANI / JESSICA MARQUES

O governador de São Paulo, João Doria, disse durante entrega da Estação Campo Belo, da Linha 5-Lilás, que foram iniciados no final do mês de março os estudos para levar o metrô até o Jardim Ângela, no extremo sul da capital paulista.

Segundo Doria, como estão em início esses estudos, não é possível determinar os prazos para o início e conclusão das obras.

Doria também disse que vai retomar, em sua gestão, todas as obras de metrô.

No meu governo não haverá mais obras paradas. Isso com o gerenciamento do estado e a participação da iniciativa privada”, disse o governador.

O secretário de Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, também falou da retomada das obras da Linha 17-Ouro de monotrilho, que tem a previsão de ser integrada à Linha 5-Lilás por meio da Estação Campo Belo, entregue nesta segunda-feira.

Baldy disse que dentro de 120 dias deve ser lançada a licitação para a retomada das obras da Linha 17. A estimativa, de acordo com o secretário, é de que o sistema já esteja em operação a partir do segundo semestre do ano que vem.

ÔNIBUS

Ao participar da inauguração da estação, o prefeito de São Paulo Bruno Covas disse que a Secretaria Municipal de Transportes já está em tratativas com a Secretaria de Transportes Metropolitanos para reorganizar as linhas de ônibus gerenciadas pela SPTrans que passam pela região.

Ao final do evento, em entrevista coletiva da qual o Diário do Transporte participou, o secretário municipal de transportes Edson Caram disse que uma linha de ônibus circular entre o Aeroporto de Congonhas e a Estação Campo Belo é viável, mas que para isso será necessário conversar com o Governo do Estado e a Via Mobilidade, operadora da Linha 5.

Confira algumas características da Estação Campo Belo:

Localização na linha: entre as estações Brooklin e Eucaliptos

Localização no bairro: Avenida Santo Amaro, entre a Avenida Jornalista Roberto Marinho e a Rua Michigan

Acesso: Acesso único localizado no canteiro central da Avenida Santo Amaro, pouco antes da chegada (no sentido Centro-Bairro) a Avenida Jornalista Roberto Marinho, sob o novo viaduto Campo Belo.

Área Construída: 8.170 metros quadrados

Profundidade da Estação: 22,5 metros, com dois mezaninos que darão acesso à futura linha 17 de monotrilho.

Demanda Inicial: 57.650 passageiros por dia.

Operação: concessionária Via Mobilidade, com 83,34% de participação do Grupo CCR e 16,66% da Ruas Invest, que tem o controle da família Ruas, operadora de grande parte dos ônibus municipais da cidade de São Paulo. A família também atua na Otima (responsável pelos pontos e abrigos de ônibus), no Banco Luso Brasileiro (que financia ônibus), na encarroçadora de ônibus urbanos Caio, na encarroçadora de ônibus rodoviários Busscar e na operação de ônibus rodoviários entre a cidade de São Paulo e o Litoral Paulista pelas empresas Ultra S.A. e Rápido Brasil.

HISTÓRICO DA LINHA 5-LILÁS:

O primeiro anúncio do projeto da linha foi feito em 20 de junho de 1990 pelo Metrô, e havia três alternativas de trajeto: com saída da estação Paraíso, Saúde ou São Judas. Nenhuma delas se concretizou.

Em março de 1998 começou a construção do atual trajeto.

Inicialmente, as operações seriam pela CPTM – Companhia Paulista de Três Metropolitanos e o trajeto se chamaria Linha G.

Mas em 2001, o Governo do Estado de São Paulo transferiu a operação para o Metrô, passando a denominar o trajeto de linha Lilás.

O primeiro trecho, de 8,4 quilômetros de extensão, foi entregue à população em 20 de outubro de 2002, com operações das 10h às 15h.

Os horários foram prolongados muito lentamente. No dia 28 de outubro de 2002, passou a ser das 9h às 15h. Em 18 de novembro de 2002, das 8h às 15h. No dia 16 de dezembro de 2002, o horário de operação passou a ser das 7h às 16h. Somente em 5 de fevereiro de 2003, os trens passaram a operar das 6h às 20h. Em 4 de agosto de 2003, a operação passou a ser das 5h às 22h. Quase seis anos depois do início das operações, é que a linha 5 Lilás passou a funcionar aos domingos e feriados, em 10 de agosto de 2008.

Como as estações não eram integradas às outras linhas de Metrô, no início, a linha 5 Lilás era deficitária, causando prejuízos de R$ 2,8 milhões ao mês à Companhia do Metrô, pelo fato de a arrecadação tarifária ser menor, na época, que os custos de operação e manutenção.

Em 2010, a linha 5 foi envolta numa investigação do Ministério Público.

Os nomes das empresas que atuariam nas obras entre as estações Largo Treze e Chácara Klabin se tornaram conhecidos seis meses antes da realização do certame.

A linha inteira contempla as seguintes estações: Capão Redondo, Campo Limpo, Vila das Belezas, Giovanni Gronchi (ligação com o futuro Pátio Guido Caloi), Santo Amaro (acesso a Linha 9 da CPTM), Largo Treze, Adolfo Pinheiro, Alto da Boa Vista, Borba Gato, Brooklin, Campo Belo (acesso ao previsto monotrilho Linha 17), Eucaliptos, Moema, AACD-Servidor, Hospital São Paulo, Santa Cruz (acesso a Linha 1 Azul do Metrô) e Chácara Klabin(Acesso a Linha 2 Verde).

A linha 5-Lilás de Metrô, quando completa deve transportar em torno de em torno de 855 mil passageiros por dia até 2020 e tende a ser lucrativa.

Toda a linha chegou a ser prometida para 2014. Mas problemas com as empreiteiras, nos planejamentos, contratos e até litígios jurídicos foram fatores que se se somaram e provocaram os atrasos.

O governador Geraldo Alckmin prometeu entregar ainda em 2017 as estações Eucaliptos, Moema, AACD-Servidor, Hospital São Paulo, Santa Cruz e Chácara Klabin. A estação Campo Belo deveria começar a funcionar no “início” de 2018, sem uma previsão mais concreta.

Entretanto, no meio de novembro de 2017, o secretário de transportes metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni, disse que a entrega da estação Eucaliptos seria em janeiro. As estações Moema e Hospital do Servidor deveriam por esta promessa ser concluídas em fevereiro e, em abril seriam possíveis as integrações da linha 5 com as estações Chácara Klabin (linha 2-Verde) e da Santa Cruz (linha 1-Azul). A estação Campo Belo só deveria ser entregue até dezembro de 2018.

Em dezembro de 2017, a gestão mudou as datas. A estação Eucaliptos deveria ser entregue em janeiro de 2018 e, Moema, AACD-Servidor e Hospital São Paulo, no mês de fevereiro.

Mas em janeiro de 2018, surgiram novas datas. A estação Eucaliptos foi prometida para ser entregue até o final de fevereiro de 2018.

Já as estações Moema, AACD-Servidor e Hospital São Paulo foram previstas para até o final de março de 2018.

A abertura das estações Santa Cruz e Chácara Kablin, que vão permitir acesso às linhas 1-Azul e 2-Verde, respectivamente, só deverá acontecer em abril de 2018, por esta nova promessa.

A operação da Linha 5-Lilás foi à iniciativa privada, juntamente com a linha 17-Ouro de monotrilho.

Em 19 de janeiro de 2018, venceu o leilão o Consórcio ViaMobilidade (formado pela CCR, que tem participação majoritária na linha 4-Amarela do Metrô de São Paulo e em outros empreendimentos ligados a transporte público e rodovias por todo o País e pela RuasInvest, ligado a empresas de ônibus da Capital Paulista). O lance oferecido foi de R$ 553,88 milhões, ágio foi de 185% em relação ao valor inicial de outorga exigido pelo Metrô.

No dia 02 de março de 2018, foi inaugurada a Estação Eucaliptos sob forte tom político. O então governador Geraldo Alckmin, que sairia do cargo para tentar as eleições presidenciais, comandou o evento. O então prefeito de São Paulo, João Doria, que deixaria o mandato municipal para disputar as eleições para governador, também participou. Alckmin perdeu e Doria ganhou. Após aumentar as horas de funcionamento de forma gradativsaa, a estação passou a ter operação comercial integral em 28 de março de 2018.

Em 31 de agosto de 2018, com Alckmin não ocupando mais a cadeira de governador, foi entregue a estação AACD-Servidor que, por ficar ao lado dos equipamentos de saúde e reabilitação, tem o dobro de itens de acessibilidade em comparação às outras estações. A estação AACD-Servidor passou a operar em horário integral em 13 de setembro de 2018.

Em 28 de setembro de 2018, foram inauguradas, com a apresentação do então secretário de Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni, três estações da Linha 5-Lilás: Hospital São Paulo, Santa Cruz e Chácara Klabin. Geraldo Alckmin estava em campanha presidencial pelo País e o vice, Marcio França, que assumiu o governo, não poderia participar de inaugurações porque tentava as eleições estaduais. França foi derrotado por João Doria em uma eleição bem disputada, decidida somente no final do segundo turno. No dia 13 de outubro de 2018, as estações passaram a atender em horário comercial completo.

No dia 05 de abril o Diário do Transporteanuncia logo nas primeiras horas da manhã, que a estação Campo Belo será inaugurada no dia 08 de abril. O Metrô confirmou a informação no final da tarde. A estação era a última que faltava para a linha estar completa.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2019/04/05/estacao-campo-belo-da-linha-5-lilas-deve-ser-inaugurada-na-segunda-feira-08-de-abril/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Comentários

  1. Rafael Almeida disse:

    Já foram feitos os estudos de sondagem em meados de 2016 não entendi pôr que fazer novamente foram gastos 4 milhões seria um dinheiro jogado fora.

  2. Alexandre disse:

    Continuem a linha lilas ate bresser mooca

  3. Rodinei Campos da Silveira disse:

    Já estava na hora dessa estação virar realidade!

Deixe uma resposta