Por ordem da Justiça, CPTM muda classificação de empresas que vão gerenciar extensão da linha 9 Esmeralda

Linha 9-Esmeralda. Extensão é antiga promessa. Foto: Adamo Bazani – Diário do Transporte / Clique para Ampliar

Licitação foi aberta em 14 de agosto de 2018 e já deveria ter sido concluída

ADAMO BAZANI

A licitação para definir a empresa que vai gerenciar e atuar no planejamento da extensão da linha 9- Esmeralda teve mais um capítulo neste sábado, 30 de março de 2019.

A CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos publicou uma nova relação das companhias classificadas na concorrência por ordem da justiça.

O Consórcio LBR- Control TEC, formado pelas empresas LBR Engenharia e Consultoria Ltda e Control TEC Gerenciamento de Obras Ltda contestou a mudança de critério de classificação por parte da CPTM. Na primeira versão, o consórcio havia ficado em primeiro lugar com 100 pontos, mas depois da revisão feita pela estatal de trens metropolitanos, caiu para segundo lugar, com 96,99 pontos. O primeiro colocado passou a ser, com a alteração pela CPTM, Consórcio Gerenciador Linha 9-Esmeralda, composto pela Empresa Brasileira de Engenharia e Infraestrutura, ATP Engenharia Ltda e Metroeng Engenharia Ltda, que obteve 98,8 pontos.

Como mostrou o Diário do Transporte em 13 de fevereiro, por causa do recurso judicial do Consórcio LBR- Control TEC, a CPTM suspendeu a licitação.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2019/02/13/por-ordem-da-justica-cptm-suspende-licitacao-para-gerenciamento-da-expansao-da-linha-9-esmeralda/

Agora, neste sábado, a CPTM comunicou que por determinação da juíza Fernanda Henriques Gonçalves Zoboli, da 16ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo, restabeleceu a primeira versão da classificação das propostas técnica:

1º LUGAR: CONSÓRCIO LBR-CONTROL TEC, composto pelas empresas LBR ENGENHARIA E CONSULTORIA LTDA. e CONTROL TEC GERENCIAMENTO DE OBRAS LTDA. – NT: 100,00 (cem);

2º LUGAR: CONSÓRCIO GERENCIADOR LINHA 9 – ESMERALDA, composto pelas empresas EMPRESA BRASILEIRA DE ENGENHARIA DE INFRAESTRUTURA LTDA., ATP ENGENHARIA LTDA. e METROENG ENGENHARIA LTDA. – NT: 98,80 (noventa e oito vírgula oitenta);

3º LUGAR: CONSÓRCIO SE/L9, composto pelas empresas SETEC HIDROBRASILEIRA OBRAS E PROJETOS LTDA. e EGIS – ENGENHARIA E CONSULTORIA LTDA. – NT: 95,20 (noventa e cinco vírgula vinte);

4º LUGAR: CONSÓRCIO SGVP, composto pelas empresas SONDOTÉCNICA ENGENHARIA DE SOLOS S.A., GERIBELLO ENGENHARIA LTDA., VIZCA ENGENHARIA E CONSULTORIA LTDA. e PAULO OLIVEIRA ENGENHARIA LTDA. – NT: 94,00 (noventa e quatro);

5º LUGAR: CONSÓRCIO GERENCIADOR LINHA 09 – SFB, composto pelas empresas SYSTRA ENGENHARIA E CONSULTORIA LTDA. e FOCCO TECNOLOGIA E ENGENHARIA LTDA. – NT: 90,40 (noventa vírgula quarenta);

6º LUGAR: CONSÓRCIO TÜV-SGS ESMERALDA, composto pelas empresas DUCTOR IMPLANTAÇÃO DE PROJETOS LTDA. e SGS ENGER ENGENHARIA LTDA. – NT: 88,00 (oitenta e oito); e

7º LUGAR: NÚCLEO ENGENHARIA CONSULTIVA S.A. – NT: 82,20 (oitenta e dois vírgula vinte).

A licitação ainda não terminou e serão analisadas ainda as propostas comerciais.

A concorrência foi aberta em 14 de agosto de 2018 e já deveria ter sido concluída, mas desde então, tem sido alvo de contestações e recursos administrativos de concorrentes.

A licitação não envolve as obras em si, mas este acompanhamento e apoio técnico é uma das obrigações para que a extensão ao sul da Linha 9, com as estações Mendes-Vila Natal e Varginha, seja concluída de fato.

Como mostrou o Diário do Transporte nesta sexta-feira, 29, o  Governo do Estado de São Paulo prevê a publicação do edital da PPP (Parceria Público-Privada) das linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) em setembro de 2019.

As duas linhas devem receber investimentos de R$ 3 bilhões, mas os R$ 581 milhões necessários para completar a extensão da Linha 9 entre Grajaú e Varginha virão de recursos públicos.

Acesse e veja mais detalhes:

https://diariodotransporte.com.br/2019/03/29/governo-do-estado-preve-publicar-edital-de-ppp-das-linhas-8-e-9-da-cptm-em-setembro-deste-ano/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. William de Jesus disse:

    A coisa anda tão feia ultimamente que sempre que ouço a palavra “licitação” já se que vai demorar anos pra sair do papel, isso se sair.

    Esse processo precisa ser revisto urgente! É muita burocracia e dinheiro gasto para nada. A Linha 5 Lilas pode ter todos os defeitos, mas se a CCR nao tivesse assumido provavelmente não teria chegado à Chacara Klabin até s dias de hoje.

Deixe uma resposta