Bruno Covas diz que só em 10 dias poderá cumprir decisão que suspendeu redução de embarques pelo Vale-Transporte

Bruno Covas diz que altos subsídios podem interferir nos recursos para obras e outras necessidades do município. Foto: Adamo Bazani/Diário do Transporte - Clique para Ampliar

Prefeitura já foi notificada. Limite havia sido reduzido pelo gestão de quatro para dois embarques

ADAMO BAZANI / JESSICA MARQUES

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, disse no final da manhã desta quarta-feira, 27 de março de 2019, que lamenta a decisão da Justiça que suspendeu o decreto que reduzia de quatro para dois embarques possíveis pelo Vale-Transporte no sistema de ônibus e nas integrações com o Metrô e CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos).

Bruno Covas afirmou, em entrevista ao Diário do Transporte, que serão necessários em torno de dez dias para cumprir a decisão, que vai impactar nas contas do governo municipal. Neste período, a Prefeitura recorre da decisão.

A decisão foi tomada na tarde desta terça-feira, 26, pelo desembargador João Carlos Saletti, do Órgão Especial, do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, atendendo uma ação movida pelo vereador Alfredinho e outros três usuários do sistema de ônibus.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2019/03/26/tj-suspende-medida-de-bruno-covas-que-reduziu-para-dois-o-numero-de-embarques-pelo-vale-transporte/

“A Prefeitura foi notificada. Lamentamos a decisão judicial, porque significa um custo extra de R$ 600 milhões por ano para a Prefeitura de São Paulo. É uma obrigação que é das empresas, do patrão, e que agora, por essa decisão, é repassada ao contribuinte, à população”, afirmou o prefeito.

Covas afirmou também que o Executivo terá que remanejar recursos para arcar com o valor que resulta da decisão judicial.

“Nós vamos ter que repensar o que nós vamos ter que parar de obra, o que vamos ter que deixar de contratar, o que vamos ter que deixar de pessoas que passaram em concurso, para poder destinar R$ 600 milhões e ampliar o subsídio na cidade de São Paulo”, disse Covas.

A Prefeitura já estipulou um prazo para o cumprimento do que foi definido pela Justiça sobre o Vale-Transporte.

“Agora, claro, decisão judicial a gente lamenta, mas cumpre. Já determinei ao secretário Edson Caram que tome as medidas necessárias para que o cumprimento seja o mais rápido possível. Não é possível fazer isso da noite para o dia, porque significa reformar todo o sistema de bilhetagem da cidade de São Paulo. São 15 mil ônibus que nós temos, então deve levar em torno de 10 dias para que essa decisão possa ser implementada”, avaliou.

Ouça:

A redução de quatro embarques em duas horas para dois em três horas causou queixas de passageiros e empregadores que adquirem o Vale-Transporte para os funcionários.

A decisão também impede que a tarifa pelo Vale-Transporte seja mais cara que a tarifa comum. A Prefeitura havia decretado o valor em R$ 4,57 enquanto os embarques habituais são R$ 4,30.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Jessica Marques para o Diário do Transporte

8 comentários em Bruno Covas diz que só em 10 dias poderá cumprir decisão que suspendeu redução de embarques pelo Vale-Transporte

  1. A prefeitura devia acabar com o bilhete único e voltar aos passes para empregador se lascar, para parar de contratar funcionários que vem do outro lado da cidade!
    Quem tem que bancar o transporte dos trabalhadores é o empregador não a prefeitura que coloca dinheiro do iptu de todo mundo, para bancar o transporte dos outros!

    • Marcos Borges do Carmo // 27 de março de 2019 às 16:04 // Responder

      Boa juiz!Só espero que esse prefeitinho pilantra recorra e voltem a dar razão pra ele!pois nessa questão ele tá pra lá de errado.E esse negócio de que vai “interferir no orçamento da prefeitura “é conversa fiada!essa decisão criminosa de reduzir as integrações do vale transporte tava interferindo e matando o orçamento dos coitados que se tem emprego ganham uma miséria e estão perdendo mais ainda com essa situação!Boa juiz João Carlos Saletti!Tem que deixar o vt do jeito que tava!agora torço pra esse prefeitinho safado que COM CERTEZA NUNCA ANDOU DE ÔNIBUS não ir lá recorrer e essa belíssima decisão desse juiz seja derrubada.Que essa decisão que ele tomou fique em definitivo. Tem coisa muito mais importante pra resolver nessa cidade prefeitinho!Deixa o Bilhete único quieto!

  2. avisa aí ao prefeito que os direcionamentos de linhas que estão previsto no edital de licitação de linhas de ônibus vai aumentar ainda mais o rombo nos cofres públicos. solução demite esse monte de incompetentes pseudos técnicos da sptrans. volta as linhas canceladas e não cobra baldiacoes nos terminais. vai sobrar dinheiro. do jeito que esta. as empresas de ônibus ganham 3 x. pra levar o passageiro das periferias pro Centro da Cidade. antes 1 condução era suficiente

  3. E o dinheiro gasto com os cargos comissionados, familiares e etc senhor Bruno incompetente, isso vocês nunca mexem né, agora pra população sempre paga o pato como sempre, agora e rezar pras pessoas se tocarem o quanto esse prefeito ta pouco se lixando pro povo de SP, e nas eleições do ano que vem, votem conscientes, uma vergonha tudo isso, e repito, apos a licitação, as baldeações irão aumentar mais ainda, diminuir o embarque, não tem sentido algum.

  4. Esse prefeito, junto com seus antecensores Doria e Haddad, são as piores gestões que a cidade já teve, basta ver a quantidade de buracos, os ônibus velhos, redução das linhas e o salário ridículo dos motoristas e cobradores, ano que vem tem troco, PSDB igual ao PT

  5. Parabéns a decisão do Juiz, esse argumento de que a prefeitura não pode arcar com a integração é piada de mal gosto, o valor acaba voltando para ela por meio DOS IMPOSTOS MUNICIPAIS PAGOS PELOS TRABALHADORES sendo IPTU entre outros. A decisão do juiz é correta sim, e mais 10 dias para resolver a questão do sistema, é estranho. Pq quando é para reajustar leva no máximo 7 dias. Interessante.

    E qual a grande obra que a prefeitura está fazendo por SP ?

  6. Até o momento e continua cobrando após 2 embarques, uma vergonha.

  7. Até o momento e continua cobrando após 2 embarques, uma vergonha.

4 Trackbacks / Pingbacks

  1. Covas diz que cumprirá decisão de retomar 4 embarques em vale-transporte em 10 dias - Via Trolebus
  2. Covas diz que poderá cumprir decisão que suspendeu redução de embarques pelo vale-transporte em 10 dias
  3. Mais de uma semana depois de decisão judicial, passageiros que usam Vale-Transporte ainda só podem fazer dois embarques – Diário do Transporte
  4. Gestão Covas diz que decisão que restabelece quatro embarques pelo Vale-Transporte beneficia somente quatro pessoas em toda a cidade de São Paulo – Diário do Transporte

Deixe uma resposta