Estacionamento em fila dupla interfere em transporte coletivo e é alvo de fiscalização em Santo André

Em horário de pico, ônibus levam mais de dez minutos para passar pela Rua Itambé. Foto: Jessica Marques.

Empresa de ônibus solicitou ações da Prefeitura e da Polícia Militar para coibir o comportamento

JESSICA MARQUES

O hábito de estacionar em fila dupla está interferindo no transporte coletivo de Santo André, no ABC Paulista. Na região central, uma ação está sendo realizada pela Prefeitura e pela Polícia Militar, em parceria com uma empresa de ônibus, para coibir a infração.

Ao menos dois pontos são considerados críticos para a circulação dos ônibus, que são veículos de grande porte e precisam de mais espaço na via.

Um dos locais é em frente à Estação Prefeito Celso Daniel, no centro de Santo André e o outro, em frente à ETE Júlio de Mesquita, próximo ao Paço Municipal. Neste segundo caso, a operação da linha B-51 Jardim Bom Pastor/Jardim Oriental é diretamente afetada.

O itinerário é operado pela Viação Vaz. Segundo o gestor da empresa, Luiz David, foi necessário acionar a Prefeitura e a Polícia Militar para que o ônibus conseguisse passar pelo trecho.

“O problema ocorre à noite, no horário de saída de escola, entre 22h e 23h, que é um período crítico para o transporte público porque as pessoas sofrem esperando no ponto. A gente está fazendo uma ação para melhorar esse momento de gargalo”, informou o executivo.

Segundo Luiz David, ao estacionar em fila dupla, os veículos impedem a passagem dos ônibus e muitos passageiros optam por utilizar outros meios de transporte, devido ao horário e a ausência do transporte coletivo nos pontos.

“A gente conversou com a Polícia Militar e com o departamento de trânsito de Santo André para poder coibir o estacionamento, que ali é sinalizado como proibido parar e estacionar. Ainda assim, tem gente que para o carro ali e impede a passagem do nosso veículo”, disse.

Sobre o outro ponto, na Rua Itambé, ao lado do terminal e em frente da Estação Prefeito Celso Daniel, David Luiz ressalta que as linhas de ônibus de outras empresas também são afetadas.

O ponto recebe ao menos dez linhas de ônibus e é comum que os veículos levem mais de dez minutos para passar pelo trecho, por conta do congestionamento. Desta forma, alguns motoristas optam por deixar os passageiros embarcarem e desembarcarem fora do ponto.

“Por conta do embarque e desembarque de passageiros do transporte por aplicativo nos carros, o nosso veículo não consegue parar para desembarcar passageiros. Isso gera atraso e os motoristas param distante do ponto. Isso causa tanto problema para o motorista, que é autuado, como para a empresa que é onerada e para o passageiro que sofre com isso”, relatou o executivo.

A Prefeitura de Santo André esclareceu que na cidade o DET (Departamento de Engenharia de Tráfego) realiza a Operação Escola para coibir motoristas que estacionem em fila dupla.

Segundo a administração municipal, a ação “pretende ordenar o tráfego e educar o motorista para que não pare em fila dupla, utilizando sempre as áreas de embarque e desembarque dos locais, quando houver”.

DESAFIOS DO TRANSPORTE PÚBLICO DE SANTO ANDRÉ

Além do estacionamento em fila dupla que interfere na operação dos ônibus, existem diversos os desafios no transporte público municipal de Santo André.

Entre eles está a retirada dos cobradores, a recente alteração no layout dos ônibus, a idade média da frota, o aplicativo que prevê o horário dos ônibus com imprecisão, entre outros casos já registrados pelo Diário do Transporte.

A média de idade dos veículos do União Santo André está acima do máximo permitido, que são cinco anos. Por meio da Lei de Acesso à Informação, o Diário do Transporte apurou em setembro deste ano que a frota consórcio tem 5,92 anos, em média.

Relembre: Média de idade dos ônibus do Consórcio União Santo André continua acima do permitido e gestão Paulo Serra não comenta o assunto

Outro grande desafio para os moradores de Santo André que utilizam o transporte público é o aplicativo Santo André Mob, utilizado para ver o horário de chegada dos ônibus.

A ferramenta foi esperada por três meses, período em que nenhuma ferramenta estava disponível para prever a chegada dos coletivos nos pontos, por meio de geolocalização. Contudo, quando foi lançada, não funcionou e até hoje apresenta problemas.

Relembre: Após mais de um mês de lançamento, aplicativo de ônibus de Santo André não funciona

Jessica Marques para o Diário do Transporte

10 comentários em Estacionamento em fila dupla interfere em transporte coletivo e é alvo de fiscalização em Santo André

  1. Moro em Santo André. Faz tempo que podem resolver isso simplesmente fazendo um recuo na calçada, ou no lado da estação ou no ponto de ônibus….Será que é tão difícil fazer isso ?

  2. Minha palavra são igual Anderson . Não precisa se engenheiro pra vc isso . Um recuo resolveriam 90 % do ponlepro

  3. Av Dom Pedro I, saida e entrada do colégio São José, um absurdo as filas de carros , às vezes até em fila tripla , dificultando o transporte de ônibus, atrasando todo mundo, lamentável.

  4. Rogério Lacerda // 4 de março de 2019 às 03:39 // Responder

    a demora na rua e também em relação a maioria dos ônibus não tem mais cobrador então motorista cobra e dirige e como tem muitos passageiros a demora é imensa na dão Pedro e nos colégios não tem fiscalização então é terra de ninguém não tem que ter mais fiscalização

  5. Rogério Lacerda // 4 de março de 2019 às 03:42 // Responder

    o problema é que a maioria dos homens não tem cobrador mas o motorista isso demora muito porque ele tem que cobrar e dirigir o volume de pessoas é grandeonos colégios não tem fiscalização então é terra de ninguém cada um faz do jeito que quer encontrar na estação ali só modão em vez de botar o trânsito para andarn precisa melhorar o recuo da citação e dos ônibus também e não só culpar os ângulos carros de aplicativo aí fica fácil

  6. Esse caso é muito simples de se resolver, deixo a minha esposa todos os dias pela manhã e realmente é um grande transtorno conseguir parar no embarque e desembarque da rua Itambé, cheguei ate ganhar uma multa por causa dos outros motoristas, mas isso nao vem ao caso, a forma mais simplesmente de resolver tudo isso é tirar este ponto de ônibus que existe atualmente na rua Itambé em frente ao embarque e desembarque da estação e colocar ou dentro da própria estação onde já param a maior parte dos transportes coletivos ou mudar para um pouco mais a frente onde tbm já existe um ponto de ônibus próximo ao antigo cinema Tangará, mas não sei quem foi ou e o esperto que me instala uma parada de ônibus juntamente com um embarque e desembarque de uma estação? Acho que essa pessoa nunca precisou ou nem vai precisar utilizar essa rua nos horários de PICO…

  7. E digo mais além de tudo isso acima, ainda tem os caras de Paula dos motoristas de ônibus que na rua general Glicerio onde tem a faixa exclusiva para onônib ele nunca utilizam e invadem as faixas dos carros sem nunca yomarrm uma só multa, agora se eu mero motorista passar na faixa deles aaaa ai com certeza receberei uma notificação…. Palhaçada o trânsito de Santo André! Cadê os governantes desta cidade????

  8. Outro ponto cricrít também é aqui em frente a dega do chorão eles usam a rua para estacionar os caminhos de bebidas enquanto os carros e oniôni tem que passar pela ciclo faixa das bicicletas devido a falta da rua isso também é um absurdo.

  9. Concordo com todos os comentários, realmente alí não é lugar para um ponto de ônibus, ma os engenheiros de tráfego de nossa cidade deixam a desejar,sem contar que motoristas de ônibus não tem respeito com passageiros nem aonde e o lugar deles trafegarem,e á industria de multas continua, é um absurdo

Deixe uma resposta