Busscar exporta mais ônibus para o Chile, que se tornou um dos principais mercados da marca fora do Brasil

Número de vendas para o Chile tem crescido. Foto: Divulgação Busscar/Texto: Adamo Bazani/Diário do Transporte – Clique para ampliar

Lote com mais de dez unidades foi comercializado recentemente pela representante Vivipra a diferentes empresas

ADAMO BAZANI

A encarroçadora de ônibus Busscar, de Joinville, tem apostado também nas exportações, além das vendas para o mercado interno, para ganhar volume de produção neste ano.

Um dos principais mercados na América Latina é o Chile.

De acordo com a fabricante, recentemente foi produzido um lote de dez carrocerias, vendidas para diferentes empresas de ônibus por meio da Vivipra, representante da marca brasileira no país andino.

Os modelos que mais foram encomendados por empresas de ônibus chilenas são o Vissta Buss 340 e Vissta Buss 360, mas já houve encomendas de modelos maiores, como o Vissta Buss DD (de dois andares).

“O Chile vem sendo um grande potencial para o fortalecimento da marca Busscar no mercado internacional” – disse a encarroçadora, em nota, ao Diário do Transporte, na tarde desta sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019.

Algumas empresas têm encomendado lotes maiores. Foto: Divulgação Busscar/Texto: Adamo Bazani/Diário do Transporte

Para este ano, a Busscar pretende produzir em torno de 700 carrocerias, destinadas tanto para o mercado interno como para exportação. A contratação de mais funcionários também está nas intenções da empresa, que voltou a produzir no primeiro semestre do ano passado, após cinco anos sem atividade.

Em julho de 2017, a marca e ativos produtivo da Busscar foram adquiridos por novos investidores, cuja maioria é composta por acionistas do grupo Caio Induscar, voltado para modelos urbanos.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. jetro de campos rodrigues disse:

    Como é que fica agora duas Busscar uma colombiana e brasileira e se os chilenos importar carros da Colômbia quem fica patente do nome?

  2. Ailton disse:

    So falta criar vergonha na cara e pagar os antigos funcionarios que a maioria nao recebeu nada inclusive eu, assim fica facil ne enriquecer outros patroes.

    1. Eron Assunção disse:

      Irá ficar as duas mesmo, algumas empresas do Chile possuem o Busstar DD J1 e o Busstar 360 em sua frota

    2. Jefferson Laurentino disse:

      Ailton, essa Busscar que está funcionando, não tem absolutamente nada a ver com a empresa que lhe deve. Essa Busscar é uma empresa nova, que se instalou nas dependências da falida. Para resumir, os donos dessa nova empresa compraram o espaço, o nome “Busscar” e os projetos, só. O CNPJ é novo, rasão social nova, tudo novo. A divida continua com a antiga empresa, que também continua falida e com processos rolando. Outro exemplo que posso te dá: Digamos que a Coca-Coca peça falência e vá a leilão, eu tenho dinheiro pra comprar, vou compro a fábrica, o maquinário e o nome “Coca-Cola”, abro minha empresa de refrigerantes usando o mesmo nome, mas sem ter nenhum envolvimento com a que faliu, pq eu não comprei a rasão social, só o nome da Marca.

    3. Jefferson Tenório disse:

      Essa Busscar não deve nada a ninguém. A divida continua com a empresa falida.

Deixe uma resposta