Linhas de ônibus entre Porto Nacional e Goiânia são canceladas após interdição de ponte

Rodoviária de Porto Nacional (TO) Foto: André Luiz

Ponte que liga cidade do estado de Tocantins à BR-153 foi totalmente bloqueada pelo governo do estado nesta quinta-feira, 7, por problemas estruturais

ALEXANDRE PELEGI

A ponte de Porto Nacional, que liga a cidade do estado de Tocantins à BR-153, foi totalmente interditada na tarde desta quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019.

A medida foi tomada por precaução, segundo o Governo Estadual, já que a ponte apresenta problemas estruturais.

Atravessando o rio Tocantins, a ponte constitui a principal ligação com a BR-153 e com o pátio multimodal da Ferrovia Norte-Sul de Porto Nacional, situado a 30 km de Palmas, capital de Tocantins, no Distrito de Luzimangues. O bloqueio é por tempo indeterminado.

Com a interdição, as empresas de transporte coletivo Viação Transbrasiliana e Expresso Satélite Norte cancelaram as linhas que partem da rodoviária de Porto Nacional em direção a Goiânia, capital de Goiás, segundo o site G1.

A partir de agora, a viagem terá de ser desdobrada em dois itinerários. O passageiro terá de seguir até a rodoviária de Palmas, e de lá tomar outro ônibus para a Goiânia.

A ponte foi interditada após o Ministério Público do Tocantins solicitar o cumprimento de uma decisão judicial que obriga o Governo do estado a adotar medidas que garantam a segurança dos usuários. A ponte, construída há 41 anos, está em condições precárias.

Um laudo técnico de 2011 apontava que a ponte entraria em colapso em algum momento nos próximos 10 anos, com a situação de agravando a cada ano.

A circulação de veículos pesados está restrita desde 2011.

A balsa para fazer a travessia ainda não foi instalada e a única alternativa para ir de uma margem a outra do rio é passar pela ponte Fernando Henrique Cardoso, em Palmas. Não há previsão para a construção de uma nova ponte na cidade.

POSIÇÃO DO GOVERNO DO ESTADO

“A ponte está interditada para que os técnicos possam trabalhar e nós tenhamos segurança para tomar a decisão que não coloque vidas em risco”, afirmou o governador do Estado do Tocantins, Mauro Carlesse, nesta quinta-feira, 7.

Ao ser questionado pela imprensa sobre os impactos financeiros que o município de Porto Nacional pode sofrer com a interdição, Carlesse ressaltou que sua prioridade é preservar vidas e evitar uma tragédia. “Entendo a situação, mas é preciso primeiramente preservar a vida das pessoas, essa é nossa prioridade. A interdição será mantida somente enquanto são feitos esses estudos e não podemos colocar a vida de ninguém em risco”, explicou.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta