​Expresso Turístico da CPTM transporta mais de 13 mil passageiros em 2018

Publicado em: 7 de fevereiro de 2019

Ao todo, foram 13.175 turistas, que se dividiram entre três destinos oferecidos pela CPTM. Foto: Divulgação.

Paranapiacaba é destino mais procurado, com cerca de 8,6 mil usuários

JESSICA MARQUES

A CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) divulgou o balanço do Expresso Turístico, um serviço que oferece roteiros diferenciados em trens antigos. Em 2018, mais de 13 mil passageiros utilizaram o serviço.

Ao todo, foram 13.175 turistas, que se dividiram entre três destinos: Luz-Jundiaí (três sábados por mês), Luz-Mogi das Cruzes (no segundo sábado de cada mês) e Luz-Paranapiacaba (aos domingos).

Ao todo, foram 99 viagens realizadas no ano passado. Em todas, os passageiros puderam curtir os passeios a bordo de uma composição antiga, da década de 1960.

O destino mais procurado é Paranapiacaba, uma vila de arquitetura inglesa localizada em Santo André, que foi palco para uma importante fase de expansão das ferrovias no Brasil.

O trajeto, com cerca de 60 quilômetros, é realizado ao longo da Linha 10-Turquesa. No último ano, 8.673 pessoas embarcaram rumo à cidade, de acordo com a CPTM. As viagens para o destino são realizadas aos domingos, partindo da Estação da Luz e parando para embarque na Estação Prefeito Celso Daniel-Santo André.

Em segundo lugar está a cidade de Jundiaí, que também está localizada a aproximadamente 60 quilômetros da capital paulista. No ano passado, 4.044 turistas visitaram a região de herança italiana, segundo informações da CPTM.

O destino também está ligado à ferrovia, pois reserva atrações como o Museu Ferroviário da Cia. Paulista de Estradas de Ferro, a Serra do Japi e as fazendas e vinícolas da região. O passeio segue pela Linha 7-Rubi.

Por fim, Mogi das Cruzes está localizada a cerca de 50 quilômetros da cidade de São Paulo e o passeio segue pela Linha 11-Coral da CPTM.

A cidade tem opções de trilhas tanto para iniciantes quanto para ciclistas profissionais. Por isso, o trem dispõe de um vagão exclusivo para transporte das bicicletas. O Expresso Turístico para Mogi parte no segundo sábado de cada mês e levou 458 passageiros no ano passado, de acordo com a CPTM.

Em abril deste ano, o serviço Expresso Turístico completará 10 anos de operação. Neste período, 142.712 turistas já viveram a experiência de embarcar em uma locomotiva com dois carros fabricados no Brasil na década de 1960, cedidos pela ABPF (Associação Brasileira de Preservação Ferroviária).

SERVIÇO

O preço unitário da passagem para qualquer um dos três roteiros é de R$ 50,00 (ida e volta), exceto para o embarque na Estação Prefeito Celso Daniel-Santo André, com destino a Paranapiacaba, que sai por R$ 44,00.  No entanto, os descontos podem chegar até 25% na compra de quatro passagens. O valor para transporte de bicicletas é de R$ 7,00, lembrando que o serviço é exclusivo do roteiro para Mogi.

O bilhete é vendido das 9h às 18h, todos os dias, nas bilheterias das estações da Luz e Prefeito Celso Daniel-Santo André. Cabe ressaltar que o bilhete da CPTM contempla somente a viagem de trem até um dos destinos escolhidos. Roteiros complementares, podem ser consultados nos sites dos municípios visitados.

O embarque para qualquer um dos três roteiros ocorre às 8h30 da plataforma 4 da Estação da Luz e o retorno das cidades visitadas, às 16h30. No caso de Paranapiacaba, o trem faz uma pausa para embarque na Estação Prefeito Celso Daniel-Santo André.

São 174 poltronas para acomodar confortavelmente os turistas, além de espaço reservado para cadeira de rodas (com cinto de segurança e ancoragem da cadeira). Os interessados podem obter mais informações e conferir a abertura de novas datas para viagens neste link.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Comentários

  1. Paulo Gil disse:

    Amigos, boa noite.

    Conforme constano site.

    “O bilhete é vendido das 9h às 18h, todos os dias, nas bilheterias das estações da Luz e Prefeito Celso Daniel-Santo André.”

    CPTM, já estamos na era do zapzap, já passou da hora de vender as passagens pela Internet, ir até a Luz para comprar “bilhetes” é o fim da picada.

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta