Metroviários não farão greve nesta terça-feira

Foto: Alexandre Pelegi

ATUALIZAÇÃO – CLIQUE NO LINK:

Metrô também confirmou operações normais para esta terça-feira, 05 de fevereiro:
https://diariodotransporte.com.br/2019/02/04/nao-havera-greve-no-metro-de-sao-paulo-nesta-terca-feira/

 

 

Metrô também confirmou operações normais para esta terça-feira, 05 de fevereiro:

https://diariodotransporte.com.br/2019/02/04/nao-havera-greve-no-metro-de-sao-paulo-nesta-terca-feira/

 

 

Metrô também confirmou operações normais para esta terça-feira, 05 de fevereiro:
https://diariodotransporte.com.br/2019/02/04/nao-havera-greve-no-metro-de-sao-paulo-nesta-terca-feira/

 

############################################################################

Caso paralisação seja aprovada pela categoria, linhas 1, 2, 3 e 15 (monotrilho) não funcionarão amanhã

 ALEXANDRE PELEGI

Os metroviários das linhas operadas pela Companhia do Metropolitano de São Paulo decidem em assembleia na tarde de hoje, 4 de fevereiro de 2019, se iniciam uma paralisação já nesta terça-feira, dia 5.

A categoria pretende parar os trens em protesto contra a mudança na escala noturna e a terceirização dos funcionários das bilheterias. Além disso, a pauta inclui a demissão por justa causa do operador que foi responsabilizado pela Companhia pela falha que causou a interrupção parcial da linha 1-Azul no dia 22 de janeiro. Relembre: Metrô demite operador de trem que ocasionou paralisação na Linha 1-Azul na terça, 22

greve_metrospO sindicato dos Metroviários de São Paulo alega que a demissão do funcionário ocorreu sem a devida apuração.

Com a paralisação, as linhas 1-Azul, 2-Verde, 3-Vermelha e 15-Prata serão afetadas.

Em nota, o Metrô de SP diz que a greve, se ocorrer, será “de cunho unicamente político-ideológico”.

O Sindicato dos Metroviários distribuiu boletins convocando os trabalhadores para a Assembleia de hoje, dia 4. Em seu site, o sindicato divulga a seguinte nota:

A categoria está em luta contra os ataques do Metrô na tentativa de retirar direitos, privatizar e terceirizar ainda mais o transporte público. Foram realizadas setoriais nas áreas, reuniões, atos, uso de adesivo contra a privatização e retirada de uniformes na Operação.

O grave acidente ocorrido no dia 29/1, com o choque de dois trens na Linha 15-Prata do Monotrilho, expõe as condições de risco que os trabalhadores e a população sofrem nessa linha. Estações foram entregues às pressas e com vários problemas de segurança, sem acabamento e iluminação.

Outra medida do Metrô que revoltou os trabalhadores ocorreu com a demissão injusta do Operador de Trem Joaquim José. Funcionário há 33 anos e diversas vezes elogiado pelos serviços prestados, foi demitido por justa causa sem qualquer apuração após agir em um incidente na Linha 1-Azul.

Para reagir a esses ataques os metroviários marcaram uma greve para 5/2 (terça-feira). Participe da assembleia na próxima segunda-feira, 4/2, às 18h30 no Sindicato.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Tiago disse:

    Eu entendo que as reivindicações sejam justas.
    Mas pelo que me lembro, a paralisação estava marcada antes desses incidentes na linha azul e na linha 15.
    Tem mais alguma reivindicação, ou antes dos episódios dos acidentes/incidentes os motivos seriam os desmontes/sucateamento/privatizações/terceirizações?

    Sinceramente…com esse governo, dificilmente vai se mudar alguma coisa.

    1. blogpontodeonibus disse:

      Estava marcada a assembleia que decidiria se a greve agendada para 5 de fevereiro ocorrerá ou não. Os novos incidentes foram acrescidos à pauta de de reivindicações.

    2. Nogueira disse:

      Não justifique com a desculpa do governo.
      Já está difícil despetizar o Brasil. Temos que ter soluções e encarar a realidade.
      Tudo de ruim que ainda possa acontecer este ano sera reflexo a má gestao dos Petralhas.

      1. Tiago disse:

        Não confunda o C* com as calças…estamos falando do Governo do Estado e a gestão Dória

  2. Por mim, tem mais é que terceirizar mesmo. Quem faz o trabalho só faz nas coxas.
    Nem gosto da ideia de que se privatizem tudo. Mas o metrô já está mal faz tempo.

  3. Maah Duarte disse:

    Com a privatização a tendência é o serviço melhorar, como ocorre na LINHA AMARELA, que o serviço é muito mais eficiente. Impressionante a má vontade dos atendentes da bilheteria com ar de pouco caso no atendimento, nem respondem a um bom dia.

  4. VITÃO disse:

    Mais uma vez o povo paga E CARO

  5. Alexandre disse:

    A linha Lilás e Amarela funcionam bem melhor, por que não adotam para as demais linhas esse tipo de gestão, passe da gestão pública para a privada e acabem com essa palhaçada.

  6. Julio N. disse:

    Privatizar é a solução! Privatiza já!

Deixe uma resposta para Julio N. Cancelar resposta