Batida de monotrilho na linha 15-Prata: Companhia do Metrô diz que abriu sindicância para apurar acidente

Composições batidas na linha 15-Prata . Foto: Diário da CPTM / Clique para Ampliar

Linha tem apresentado problemas constantes, principalmente no trecho mais novo

ADAMO BAZANI

As operações da linha 15-Prata de monotrilho seguem normalmente na manhã desta quarta-feira, 30 de janeiro de 2019, de acordo com a Companhia do Metrô, responsável por este meio de transporte.

No final da noite desta terça-feira, 29, dois trens da linha bateram na região da estação Jardim Planalto, na zona leste da capital paulista.

Em nota, a empresa estatal disse que as composições estavam vazias e que apura as causas do acidente.

“Por volta das 23 horas, um trem da Linha 15-Prata que seguia vazio para uma área não operacional, onde são realizadas manobras, colidiu com outro trem que estava parado na plataforma da estação Jardim Planalto, que não recebe usuários. O Metrô abriu sindicância para apurar as causas do acidente.” – diz a nota na íntegra.

Segundo o Corpo de Bombeiros, não houve feridos.

Entre as prováveis causas investigadas estão eventuais falhas no CBTC, que é o sistema que controla os trens do monotrilho que não possui operador humano  em cabine– “maquinista”.

O sistema é fornecido pela empresa Bombardier.

A linha 15-Prata de monotrilho tem reunido uma série de problemas, principalmente na etapa mais nova em operação.

O trajeto entre as estações São Lucas, Camilo Haddad, Vila Tolstói e Vila União, forma o mais novo trecho da linha 15-Prata de monotrilho, que passou a operar no mesmo horário do Metrô em 12 de janeiro de 2019 e foi inaugurado em 06 de abril de 2018.

Ontem, os trens do monotrilho seguiram em velocidade reduzida por causa de uma peça de sustentação do terceiro trilho (equipamento por onde passa a energia) que se soltou na estação Vila União.

Um vídeo de drone publicado pela Patrulha Urbana SP mostra como ficaram os trens após a colisão.

Confira:

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Henrique de Paula disse:

    Impossível ser o CBTC, isso tá mais pra cheiro de falha operacional tanto do operador do trem como do CCO.

  2. Gilvan disse:

    Essa história do monotrilho parece mais piada. Diz que é de rápida construção mas as obras se arrastam a anos. Diz que é seguro mas acontece uns acidente misterioso. De novo diz que é seguro e o parafuso da rede de energia cai. Sei não viu.

  3. Bruno Veiga disse:

    Assim não dá. Vai ter que ter maquinista pra poder evitar isso.

  4. Paulo Gil disse:

    Amigos, boa noite.

    E assim continua o desperdício do dinheiro do contribuinte.

    O poder público nada faz.

    Basta andar nesse Aerotrem para saber que não dará bons frutos.

    Melhor implodir enquanto é tempo.

    Com certeza a receita não esta pagando as despesas; ai depois vem a choradeira.

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta