Porto Velho (RO) não tem ônibus operando neste sábado, 26

Foto: Reprodução Rede TV

Após suspensão da greve na quarta-feira, 23, impasse prossegue entre trabalhadores, Consórcio SIM e prefeitura

ALEXANDRE PELEGI

Boa parte dos ônibus de Porto Velho deixaram de circular nesta sexta-feira, 25 de janeiro de 2019, por falta de combustível. Segundo informações do sindicato dos rodoviários, apenas 23 veículos operaram pela manhã, das 5h30 às 8h.

Neste sábado, 26, a situação se agravou, e nenhum ônibus saiu às ruas da capital de Rondônia.

Enquanto o Sitetuperon (Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Coletivo) afirma que o Consórcio SIM, responsável pelo transporte local, está sem recursos para compra de combustível, a empresa nega, e joga a culpa para os funcionários.

Em entrevista para o site G1, a representante da empresa, Elizabeth Barofaldi, confirmou as dificuldades financeiras da empresa, mas negou que os ônibus estão sem combustível. Ela afirma que os motoristas não compareceram ao trabalho por imposição do sindicato da categoria.

Nesta semana, a greve de ônibus da cidade chegou ao fim.

Relembre: Após cinco horas de audiência, rodoviários de Porto Velho decidem retornar ao trabalho

A audiência de conciliação realizada na manhã do dia 23 de janeiro de 2019, entre rodoviários e o Consórcio SIM, caminhava para um impasse após a empresa declarar problemas financeiros que a impediam de continuar a operar na capital de Rondônia.

Mesmo assim, e após 5 horas de audiência convocada pelo TRT-14, motoristas e cobradores decidiram retornar ao trabalho, abrindo mão de todas as reivindicações.

Na noite desta sexta-feira, 25, uma reunião entre o prefeito Hildon Chaves, trabalhadores e empresa, acabou sem qualquer solução.

Com a situação se agravando, os rodoviários de Porto Velho discutem se entram ou não na justiça com um pedido de rescisão direta de contrato de trabalho com o Consórcio SIM. Eles ameaçam não trabalhar mais para a empresa.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta