Mais uma vez, prefeitura de São Paulo adia entrega de propostas para a concessão do Terminal Princesa Isabel à iniciativa privada

Terminal deve abrigar comércios e serviços públicos, além dos relacionados aos transportes. Foto: Gustavo Bonfate/Clique para ampliar

Agora data é 14 de março. É a terceira mudança. Licitação é esperança para revitalização da “cracolândia”

ADAMO BAZANI

Prometida ainda quando o governador de São Paulo, João Doria, ainda era prefeito da capital, a concessão dos terminais de ônibus, com melhorias num raio de 600 metros ao redor, não tem avançado.

A SMT – Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes remarcou mais uma vez a entrega das propostas em empresas ou consórcios interessados em assumir o terminal Princesa Isabel, na região central.

A data que era 28 de janeiro foi para 14 de março, de acordo com a publicação oficial da pasta.

É o terceiro adiamento.

Marcada inicialmente para o dia 18 de outubro de 2018, a entrega das propostas já tinha sido transferida para o dia 14 de dezembro de 2018. Depois, para 28 de janeiro de 2019 e, desta vez, para 14 de março de 2019.

O edital, que já passou por alterações após audiência pública, tem sido recebido diversos questionamentos de eventuais interessados ou escritórios de advocacia.

Como noticiou o Diário do Transporte, no dia 23 de novembro de 2018, a SMT- Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes, responsável pela concorrência, publicou as respostas aos questionamentos feitos durante o período de consulta pública.

Em dezembro do ano passado, houve alterações no edital.

Foram dúvidas em relação às exigências de capacitação técnica que, de acordo com algumas das perguntas, poderiam limitar a concorrência, além de questionamentos sobre a necessidade de garantia de informações aos usuários do terminal, preocupações com aspectos ambientais e até propostas que visam garantir segurança viária no interior e no entorno do equipamento. Outro ponto aceito pela Secretaria foi a exclusão da definição de um prazo limite para a implementação de Empreendimento Associado.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2018/11/23/terminal-princesa-isabel-prefeitura-reafirma-em-resposta-a-contribuicoes-de-consultas-publicas-que-qualificacao-tecnica-de-licitantes-e-imprescindivel/

O terminal dever ser o primeiro repassado para a responsabilidade de uma empresa ou consórcio nos moldes propostos pelo programa de desestatização da cidade e é uma das apostas da prefeitura para revitalizar a área, conhecida como cracolândia, já que uma das exigências é que a iniciativa privada realize obras e intervenções de melhorias num raio de 600 metros a partir de cada terminal.

A concessão do terminal deve ser de 35 anos, com contrato de R$ 132,5 milhões.

A empresa, consórcio ou mesmo fundo de investimento que assumirem o espaço vão poder construir na área empreendimentos imobiliários, como shoppings, escolas, faculdades, escritórios e até mesmo residências.

O Terminal Princesa Isabel e os terminais Capelinha e Campo Limpo foram escolhidos para servirem de modelo para a concessão de outros 24 terminais municipais da cidade.

A prefeitura também já anunciou o início da licitação dos terminais Cidade Tiradentes, Pirituba, Santo Amaro e Vila Nova Cachoeirinha.

Confira o edital:

RETIFICADO VERSÃO 11 12 2018 EDITAL DE LICITAÇÃO

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

2 comentários em Mais uma vez, prefeitura de São Paulo adia entrega de propostas para a concessão do Terminal Princesa Isabel à iniciativa privada

  1. Pra que prefeito? Tudo está sendo privatizado, os novos terminais é que deveriam ser concedidos, gastam o dinheiro público pra construir e depois as empresas ficam com o bem público, e o ônus com o cidadão pagador de impostos

    • Lembrando que o poder municipal largou de mão os terminais meu amigo seria uma boa empresas sérias como Santa Brígida ,gato preto ficassem responsáveis pelo terminal princesa isabel pq está uma patifaria vc vai ao terminal grajaú vc não consegue nem andar direito de tanto camelô que estão lá tem nego vendendo até fruta e verdura no meio do terminal.. um absurdo os donos de quiosque estão no prejuizo pagam pela locação do espaço pra vir um qualquer vender doces salgados e refrigerantes na frente do quiosque sem pagar nada….

Deixe uma resposta