Cidade francesa lança projeto de BRT com ônibus movidos a hidrogênio

Publicado em: 16 de janeiro de 2019

Na última sexta-feira, em Pau (França), teve início a construção da estação de reabastecimento de hidrogênio para os veículos que percorrerão rota dedicada de 6 km

ALEXANDRE PELEGI

A menos de 100 quilômetros da fronteira com a Espanha, na cidade francesa de Pau, acaba de começar um projeto de transporte público único no mundo, segundo anuncia a imprensa  .

Trata-se de um serviço de ônibus rápido, também conhecido como BRT ou Metrobus, que usará 100% de hidrogênio renovável como fonte de energia.

O projeto combina a velocidade e eficiência do Metrobus, fluindo através de uma pista dedicada, com paradas totalmente equipadas, e a limpeza e o alto desempenho da operação dos ônibus elétricos com célula de combustível.

Na última sexta-feira, dia 11 de janeiro de 2019, começou a construção da estação de reabastecimento de hidrogênio para os veículos (metrobuses) do projeto FEBUS.

Em uma página especial na internet o projeto FEBUS é descrito como um novo serviço de ônibus de alto nível “que estará operando em nosso território no outono de 2019”.

Continua a descrição: “Graças aos seus veículos de ‘emissão zero’, o Febus protege nossa cidade: não emite ruído, apenas vapor de água. Com uma rota de 6 km, leva você do hospital até a estação de trem em cerca de 17 minutos. De norte a sul, suas 14 estações servem os principais centros de atividade em nosso território”

febus2

Crédito: Hybridos Y Electricos

O FEBUS é descrito como um serviço de transporte público único, destacando-se, além do combustível limpo e silencioso, as pistas exclusivas com prioridade nos cruzamentos; a velocidade e os tempos de viagem confiáveis; e a existência de um hub de acesso a todos os outros tipos de mobilidade.

O hidrogênio que será fornecido para os ônibus será produzido localmente em sua totalidade, e para isso será utilizada energia 100% renovável.

Dessa forma, os ônibus da cidade de Pau vão gerar apenas algumas gotas de água que são expelidas pelo escapamento, sem emissão de CO2 na cidade ou no local de origem da energia utilizada.

A capacidade de produção diária dessa estação ficará entre 174 e 268 quilos de hidrogênio, número que será mais do que suficiente para alimentar os 8 veículos que atenderão a população e os visitantes dos Pireneus.

O consumo médio desses ônibus, que completam uma linha de 6 quilômetros em 17 minutos, é de 10 a 12 quilos de hidrogênio por 100 km percorridos.

RECARGA

Os oito ônibus do projeto FEBUS serão reabastecidos de hidrogênio durante a noite e, mais tarde, durante o dia, poderão atender a mais de 1.000 passageiros por hora sem precisar parar novamente nas garagens.

Para que isso seja possível, a autonomia dos veículos excede 240 quilômetros por cada recarga. Esse desempenho, de acordo com os promotores desse inovador sistema de transporte urbano sustentável, equivale ao de um bonde, com a diferença de que o investimento necessário é 4 vezes menor.

O projecto FEBUS faz parte da iniciativa JIVE2 e é co-financiado pela União Europeia, o Estado francês, o governo regional de Pau Béarn Pyrénées e a cidade de Pau, entre outros.

O custo líquido do investimento nesta rede de transportes inovadora e ambientalmente sustentável é de 58,7 milhões de euros (cerca de R$ 250 milhões) após a dedução da ajuda das agências.

O plano integral de transporte sustentável da cidade de Pau inclui, além das 14 estações do sistema, dois estacionamentos onde é possível deixar o veículo particular (sistema Park Ride) e 5 quilômetros de ciclovia como rota alternativa.

PROJETO JIVE 2

O projeto JIVE 2 conforma a segunda iniciativa conjunta para veículos a hidrogênio na Europa.

Teve início em janeiro de 2018 em vários países do continente europeu.

Coordenado pela Element Energy e apoiado por um aporte de 25 milhões de euros da Empresa Comum Células de Combustível e Hidrogénio (FCH JU), o projeto JIVE 2 tem como meta instalar 152 ônibus elétricos alimentados por células de combustível em 14 cidades da França, Alemanha, Islândia, Noruega, Suécia, Holanda e Reino Unido.

O projeto tem orçamento total estimado em 105,9 milhões de euros (cerca de R$ 450 milhões).

PROJETO FEBUS

“Mais que um novo modo de transporte”. O projeto FEBUS é descrito dessa maneira na página especial lançada na internet.

Visto como “o acelerador de um novo projeto de cidade que culminará em 2030”, várias mudanças serão feitas, como a renovação das vias públicas ao longo do percurso do BRT e a recuperação de calçadas.

Estão previstas também a inserção de ciclovias, novo mobiliário urbano (bancos, postes de iluminação, latas de lixo, etc), assim como o paisagismo, com plantio de árvores e a criação de espaços verdes.

Assista ao vídeo do projeto FEBUS:

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Com informações do site espanhol Hybridos y Electricos, e da prefeitura da cidade de Pau (França)

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta