Tarifa de ônibus em Rio Preto passa a R$ 3,20 e prefeito anuncia ar-condicionado em 15% da frota

Foto: prefeitura de Rio Preto (SP)

Reajuste já vale desde este sábado, dia 5, e valor é para usuários que pagam passagem no cartão. Estudantes tiveram redução na passagem: de R$ 1,30, passarão a pagar R$ 1

ALEXANDRE PELEGI

Andar de ônibus em São José do Rio Preto, cidade do interior de São Paulo com 460 mil habitantes, já está mais caro desde ontem, dia 5 de janeiro de 2019.

O reajuste da tarifa foi anunciado pelo prefeito Edinho Araújo na sexta-feira, dia 4.

A passagem comum, paga em dinheiro direto na catraca, sofreu reajuste de 6,4%, passando de R$ 3,10 para R$ 3,30, reajuste de 6,4%.

Para o usuário que paga com cartão de transporte o valor atual passou de R$ 3,00 para R$ 3,20, reajuste de 6,6 %.

Já os estudantes, que até este sábado pagavam R$ 1,30, passam a pagar menos a partir de hoje: apenas R$ 1, redução de 23%.

O prefeito Edinho Araújo explicou o esforço do município para reduzir o preço da passagem para estudantes. “Nosso objetivo é incentivar os estudantes e suas famílias. Primeiro congelamos, nos últimos dois anos, o valor em R$ 1,30 e agora conseguimos aumentar o subsídio para baixar para R$ 1”, afirmou.

coletiva-tarifa-onibus

Prefeito Edinho Araújo assina decreto de reajuste da tarifa técnica do transporte coletivo

AR-CONDICIONADO

No anúncio do reajuste, o prefeito Edinho Araújo afirmou que o sistema de transporte coletivo de Rio Preto contará com ar-condicionado em 15% da frota até o fim de junho. A medida, segundo ele, vai beneficiar 30% dos usuários do transporte, uma vez que as linhas escolhidas para serem climatizadas são as mais utilizadas.

Em entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira, 4 de janeiro, Edinho afirmou: “Neste semestre de 2019, após implantar de wi-fi em todos os ônibus estaremos recepcionando 36 novos ônibus com ar-condicionado, tendo em vista a necessidade de aprimorarmos o serviço público à população”.

TARIFA TÉCNICA

Segundo a prefeitura, a nova tarifa técnica foi reajustada com base nos critérios previstos no contrato, e passa a ser de R$ 3,88. Com isso, a Prefeitura estima investir até R$ 16 milhões com o subsídio para a redução do valor para os usuários.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

 

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta