Toda frota de 15 ônibus 100% elétricos de projeto-piloto estará em operação até março, diz Bruno Covas

A aquisição de cada veículo, com as baterias, sai por R$ 1,4 milhão. Foto: Adamo Bazani

Segundo secretário de mobilidade e transportes, João Octaviano, resultados serão parâmetros para ampliação de frota menos poluente

ADAMO BAZANI

Colaborou Jessica Marques

A prefeitura de São Paulo, a fabricante BYD e a empresa operadora Transwolff apresentaram de forma oficial nesta segunda-feira, 10 de dezembro de 2018, as primeiras três unidades do modelo de ônibus 100% elétricos com baterias de um lote total de 15 unidades, que fazem parte de um projeto de transporte não poluente, pelo qual os impactos ambientais são reduzidos desde a geração de energia para estes coletivos.

Isso porque, como mostrou o Diário do Transporte, a eletricidade para estes ônibus será gerada por energia solar.

A empresa fabricante BYD comprou uma fazenda em Araçatuba, no interior de São Paulo, onde instalou placas fotovoltaicas para geração de energia.

A eletricidade vai ser disponibilizada ao ONS (Operador Nacional do Sistema), que, por sua vez, vai compensar a cidade em forma de créditos de energia para estes ônibus.

De acordo com o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, até março todos os ônibus devem estar em operação com passageiros.

“É energia limpa. Uma das alternativas é a energia solar. São 15 ônibus que estão nas ruas a partir de março do ano que vem, adquiridos pela Transwolff, umas das empresas que prestam serviços no município de São Paulo. A licitação do sistema prevê a troca da atual frota por ônibus movidos a energia limpa [sem emissões de CO2] em 20 anos. É deste tipo de transporte, limpo e sem barulho, nem parece que o ônibus está ligado, que a gente quer ver mais e mais na cidade de São Paulo”, disse Bruno Covas.

A aquisição de cada veículo, com as baterias, sai por R$ 1,4 milhão. Ao final da vida útil da carroceria e chassi, a bateria é devolvida para a fabricante BYD.

O secretário municipal de mobilidade e transportes, João Octaviano Machado Neto, disse que os resultados do projeto piloto vão servir de parâmetro para a ampliação da frota não poluente na cidade.

“Quando houver uma contingência de fornecimento de energia elétrica, qual é a retaguarda que a garagem vai precisar? Qual é a adaptação para se conectar à rede? Qual é a demanda dessa redes para garantir uma garagem? Estamos começando de uma maneira bastante conservadora, com 15 ônibus, para que possamos testar todas estas questões, além de autonomia das baterias e eventual carregamento em campo”, disse Octaviano.

A linha escolhida é a 6030/10 Unisa-Campus 1 / Terminal Santo Amaro, da Transwolff.
Segundo o secretário, a escolha foi proposital, porque o trajeto é de alto carregamento e vai exigir bastante do veículo.

bc1bba2a-5675-42a8-bb14-9fcf2775a2a6.jpg

Bruno Covas ao lado de representantes da BYD, Transwollf, com o secretário de mobilidade, João Octaviano, e o presidente da SPTrans, Paulo Cézar Shingai, além do presidente da Câmara, Milton Leite

O gerente de manutenção da Transwolff, Paulo Lima dos Santos, disse ao Diário do Transporte que estão sendo realizados treinamentos com os motoristas para operação do modelo.

Um dos itens que exige novas condutas dos trabalhadores é a regeneração de energia pela frenagem, que deve ser da maneira indicada pela fabricante. Equipes de manutenção têm sido treinadas também.

De acordo com Lima, a tendência é de que os custos com manutenção caiam depois da adoção do novo modelo.

“A princípio, a manutenção é de baixo custo e muito simples porque difere do sistema de combustão. O motor é diferenciado, a suspensão é pneumática sem as estruturas de aço e molas como as mecânicas”, disse.

O vice presidente de vendas da BYD, Wilson Pereira, disse que a cidade começará a respirar melhor com ações como esta é que os ônibus são ao longo da vida útil mais vantajosos que os a diesel no aspecto econômico.

“O empresário, como este aqui que vai investir no segmento de transportes, não faz uma compra dessa porque simplesmente o ônibus é bonito ou porque é uma nova tecnologia.
Ele avalia a última linha, que é o resultado. São Paulo tem a característica de dar suporte a isso, com o subsídio, aí a conta fecha. Exige um investimento inicial maior, mas o retorno é mais rápido que o ônibus a combustão”, disse.

De acordo com o presidente da SPTrans, gerenciadora de transportes da cidade, Paulo Cézar Shingai, a empresa vai receber uma remuneração maior para a operação destes ônibus, mas devem ser levados em conta aspectos como os benefícios ambientais e de redução de custos com a poluição,como em saúde pública.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Colaborou Jessica Marques

 

6 comentários em Toda frota de 15 ônibus 100% elétricos de projeto-piloto estará em operação até março, diz Bruno Covas

  1. Ainda não engoli porque uma ex cooperativa só que vai pegar esse projeto, o correto e que empresas grandes como a VIP e VCB também operassem, uma piada, veremos o que isso vai dar, já e algum passo.

    • A VIP só quer saber de carro a diesel e a Campo Belo sequer se interessou em testar o carro. E outra: vira a página meu amigo!! A Transwolff não é cooperativa há algum tempo e ela presta um serviço muito melhor que muita empresa por ai (como a VIP leste, por exemplo). Como quer que as coisas mudem se para esse tipo de projeto quer que apenas “empresas grandes” tenham a chance de fazer?

      Parabéns à Transwolff!! Muito justo isso tudo!

      • Você não entendeu meu comentário, não to criticando a Transwolff quanto a isso, pois e muito bom ver alguém com coragem, mesmo com o alto custo, mas se for pensar, as empresas maiores, só pelo custo de cada carro, deveriam ter a iniciativa, e se não tem, e porque a prefeitura passa a mão na cabeça, e porque elas só querem lucro, e se dane a saúde dos paulistanos, e um fato, a prefeitura sempre fingiu não ver, sempre postergou ate chegar onde estamos, e as empresas fingem interesse, testam depois devolvem e não compram nada, isso que eu quis dizer no comentário, dou os parabéns a Transwolff, mas as empresas com seu lobby e monopólio Caio / Mercedes e senhor Ruas, vemos essa situação grotesca, enquanto isso no Chile onde o poder publico vai lá e faz, sem medo de empresas, compra 100 ônibus elétricos da BYD, isso que e só o começo, pois pretendem comprar mais 100, além da Colômbia que também comprou algumas unidades, o Brasil retrocedendo como sempre, quando e algo com pra população.

  2. João Francisco da Costa // 11 de dezembro de 2018 às 07:58 // Responder

    Mais uma vez a Empresa TRANSWOLFF saí na frente sabe porque ela investe nos projetos de transporte para melhorar para o usuário .

    • Concordo meu amigo! Mas é importante que não apenas a Transwolff mas outras empresas entrem na jogada, só assim para que o projeto comece a ser barateado e outras montadoras possam fazer frente á concorrencia. R$1.4MI por um carro desse porte eu acho caro demais, é preço de superarticulado!

  3. Tudo muito lindo , quero ver pagar esses carros, com a política de remuneração da SPTrans quem compra tá ferrado.
    O senhor Bruno Covas em nenhum dos seus momentos midiáticos fala sobre os atrasos nos pagamentos e repasses as empresas.
    Muito fácil ir na festa dos outros parar atrás da mesa e cantar parabéns, no final ainda assopra a vela e sai como dono da festa.
    Ridículo

41 Trackbacks / Pingbacks

  1. Prefeitura de São Paulo apresenta oficialmente parte da frota elétrica da Transwolff
  2. Estes são os primeiros ônibus 100% elétricos da BYD que irão rodar em São Paulo – Carlos Trentini
  3. MobiBrasil compra Tupi Transportes e novos nomes aparecem para empresas de ônibus no período pré-licitação – Diário do Transporte
  4. Novas contratações emergenciais com viações vão custar R$ 2,5 bilhões na capital paulista – Diário do Transporte
  5. Gestão Covas já inclui novos nomes de antigas empresas de ônibus nos contratos emergenciais antes de licitação – Diário do Transporte
  6. Nem todas as viações de São Paulo assinam emergenciais e gestão Covas abre chamamento público. Processos tentam barrar licitação dos transportes – Diário do Transporte
  7. TJ nega pedido para suspensão imediata da licitação dos transportes da cidade de São Paulo – Diário do Transporte
  8. Ação de ex-empresário de ônibus de São Paulo barra abertura de envelopes da licitação dos transportes da cidade – Diário do Transporte
  9. Surge mais uma “nova empresa” na cidade de São Paulo para a licitação dos transportes – Diário do Transporte
  10. Gestão Covas muda data e valores para apresentação de propostas no chamamento público das contratações emergenciais de empresas de ônibus enquanto licitação não sai do papel – Diário do Transporte
  11. Em recurso para liberar licitação, gestão Bruno Covas pede apuração sobre escritório de advocacia que defendeu suposta empresa de ônibus fantasma – Diário do Transporte
  12. OUÇA A ENTREVISTA: Costa Atlântica desiste de ação que barrou licitação dos ônibus e escritório de advocacia diz que procuração de empresa tem assinatura de “dona Ana” – Diário do Transporte
  13. Diário do Transporte
  14. Governo Federal quer impedir que “novas” empresas de ônibus de São Paulo participem de licitação se as “originais” não pagarem débitos com Governo Federal – Diário do Transporte
  15. Governo Federal quer impedir que “novas” empresas de ônibus de São Paulo participem de licitação se as “originais” não pagarem débitos fiscais – Diário do Transporte
  16. Justiça determina que Cartório de Itapetininga seja investigado por suspeita de registo de empresas de ônibus de fachada em ações contra licitação de ônibus de São Paulo – Diário do Transporte
  17. EM PRIMEIRA MÃO: Empresas de ônibus de São Paulo com “novos nomes” e Tambaú apresentam propostas em chamamento para contratos emergenciais do transporte na cidade – Diário do Transporte
  18. TCM muda conselheiro que barrou licitações de ônibus em São Paulo por causa do prazo à frente da função – Diário do Transporte
  19. Com novo modelo de transportes de São Paulo, SindMotoristas prevê corte de até seis mil empregos no setor – Diário do Transporte
  20. Procuradoria da Fazenda anula certidões de regularidade fiscal de empresas de ônibus que participam da licitação de São Paulo – Diário do Transporte
  21. ENTREVISTA: Empresas de ônibus com “nomes novos” que participam de licitação de São Paulo recorrem de decisão que suspendeu certidões de regularidade fiscal – Diário do Transporte
  22. Defensoria Pública pede à Justiça que prefeitura de São Paulo seja multada por não cumprir decisão de suspender aumento de tarifa de ônibus – Diário do Transporte
  23. Bruno Covas reverte decisão que suspendeu aumento de tarifa de ônibus na cidade de São Paulo – Diário do Transporte
  24. “Nova” empresa de ônibus que participa licitação em São Paulo recebe veículos de “antiga” viação como capital social – Diário do Transporte
  25. Nos transportes em São Paulo, viações que não operam desde antes de 2003, mas que são de grupos ainda em atividade, empresas do ABC e até a própria SPTrans estão entre grandes devedores da União – Diário do Transporte
  26. Bruno Covas inabilita todas as empresas de ônibus que participaram do chamamento público de contrato emergencial – Diário do Transporte
  27. Gestão Covas diz que população não corre risco de ficar sem ônibus mesmo com empresas inabilitadas em chamamento para contratos emergenciais – Diário do Transporte
  28. Gestão Bruno Covas habilita ex-cooperativas em licitação dos ônibus de São Paulo – Diário do Transporte
  29. EM PRIMEIRA MÃO: Gestão Bruno Covas habilita todas as empresas de ônibus dos grupos estrutural e de articulação regional que participam da licitação dos transportes – Diário do Transporte
  30. Sem concorrência, ex-cooperativas apresentam as tarifas máximas da licitação dos ônibus de São Paulo – Diário do Transporte
  31. LICITAÇÃO DOS ÔNIBUS DE SÃO PAULO: Prefeitura nega recurso da Imperial e vai abrir envelope do lote D7 no dia 25 de março – Diário do Transporte
  32. LICITAÇÃO DOS ÔNIBUS DE SÃO PAULO: Prefeitura abre propostas de tarifas para os grupos de articulação e estrutural e de lote pendente do grupo local – Diário do Transporte
  33. Melhorias de Terminais de ônibus estarão entre os primeiros efeitos práticos de licitação, diz secretário Caram – Diário do Transporte
  34. Gestão Bruno Covas homologa empresas de ônibus em contratação emergencial dos transportes – Diário do Transporte
  35. Prefeitura de São Paulo classifica Transunião em lote de distribuição. Imperial deixa de operar após transição a partir da assinatura de contrato – Diário do Transporte
  36. Gestão Bruno Covas dá 60 dias para empresas do Grupo de Distribuição se prepararem para o início dos contratos da licitação dos ônibus de São Paulo – Diário do Transporte
  37. Quatro contratos emergenciais de ônibus de São Paulo vão custar R$ 1,04 bilhão – Diário do Transporte
  38. LICITAÇÃO DOS ÔNIBUS DE SÃO PAULO: Bruno Covas classifica todas as propostas de tarifas dos grupos estrutural e de articulação regional – Diário do Transporte
  39. Bruno Covas homologa todas as empresas de ônibus na licitação de São Paulo – Diário do Transporte
  40. Empresa desclassificada na licitação de São Paulo teve a pior avaliação e a única viação que ofereceu tarifa menor foi uma das melhores da cidade – Diário do Transporte
  41. Justiça penhora terreno da Norte Buss, vencedora de licitação de ônibus de São Paulo – Diário do Transporte

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: