América Latina expande experiência com ônibus elétricos

Foto dos 60 ônibus da BYD em Nanjing, China, primeiros elétricos do Transantiago; têm tom semelhante ao dos trens do metrô da capital chilena. (Crédito: La Tercera/Chile)

Cidades como Santiago do Chile e Cali, na Colômbia, estão em estágio mais avançado

ALEXANDRE PELEGI

Uma matéria publicada no site Deutsche Welle (DW), empresa de comunicação internacional da Alemanha, relaciona as cidades da América Latina que passaram a experimentar frotas de ônibus elétricos.

Cidades como Santiago do Chile e Cali, na Colômbia, são citadas como aquelas onde as experiências já estão em estágio mais avançado. Já São José, na Costa Rica e Cidade do Panamá, estão em meio a projetos piloto para tornar o transporte mais limpo.

No caso chileno, uma nova frota de 200 ônibus em Santiago, conhecida como Terceiro Milênio (Tercer Milenio), substituirá o atual sistema de transporte lançado em 2007. Relembre: BYD entrega 100 primeiros ônibus elétricos em Santiago, no Chile

Ao apresentar os novos ônibus em outubro, a matéria da DW lembra que o presidente do Chile, Sebastian Pinera, afirmou:  “Sempre dissemos que uma nação civilizada precisa de um sistema de transporte de alta qualidade, seguro, limpo e sustentável“.

A nova frota de Santiago inclui ainda 490 ônibus a diesel com o padrão de emissão Euro 6, o mais rigoroso até o momento, sendo que lá é obrigatório. Enquanto isso, cá no Brasil, no mês passado o CONAMA – Conselho Nacional do Meio Ambiente aprovou o padrão Proconve 8, equivalente ao Euro-6, mas tornando-o mandatório somente a partir de 2023.

Voltando aos elétricos,Cali, na Colômbia, encomendou 125 ônibus elétricos. É a primeira frota de ônibus desse tipo em todo o país. Em maio de 2019, 26 deles entrarão em operação. Os novos ônibus complementarão o sistema de transporte MIO (Masivo Integrado de Occidente).

Os ônibus com oito baterias terão um alcance máximo de 240 quilômetros. De acordo com a MetroCali, o sistema de transporte da cidade, os ônibus têm freios “regenerativos”, que ajudam a recarregar as baterias durante a frenagem.

Para o presidente da MetroCali, Nicolas Orejuela, o país está iniciando “o processo de modernização que nosso sistema deve passar nos próximos anos para que as frotas de ônibus cumpram as políticas de emissões zero“.

PROJETOS PILOTOS

Em 2019, a Costa Rica iniciará um projeto piloto envolvendo três ônibus elétricos que se deslocarão entre diferentes cidades, cita a matéria da DW. No final de 2017, o país aprovou uma legislação abrangente de transporte elétrico, com incentivos para promover um transporte mais ecológico.

A Argentina, por sua vez, está prestes a implementar seu próprio projeto piloto de um ano envolvendo oito ônibus elétricos. A cidade de Buenos Aires lançou um plano de mobilidade limpa (Plan de Movilidad Limpia) para reduzir as emissões nocivas.

Em agosto de 2018, a Cidade do Panamá começou a realizar testes de ônibus elétricos no centro da cidade antiga. As pessoas podem usar o serviço gratuitamente por seis meses.

Se a atual frota de ônibus e táxis em 22 cidades latino-americanas for substituída por veículos elétricos, a região poderá economizar quase US $ 64 bilhões em combustível até 2030, emitir menos 300 milhões de toneladas de dióxido de carbono e economizar 36.500 pessoas de morte prematura“, apontou um estudo da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), citado na matéria da Deustche Welle.

Por fim, a DW relembra que a América Latina e o Caribe respondem por cerca de 10% das emissões globais de gases de efeito estufa e estão entre as regiões com maior potencial de descarbonização”, segundo dados da ONU.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

1 Trackback / Pingback

  1. América Latina expande experiência com ônibus elétricos | PROMOB-e

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: