Cidade da Itália premia uso de transporte público com cerveja e ingresso de cinema

Iniciativa foi financiada com recursos da União Europeia e da prefeitura de Bolonha, e funciona apenas seis meses por ano

Aplicativo Bella Mossa, lançado em Bolonha, procura conter a poluição provocada pela emissão de gases causadores do efeito estufa, estimulando modos de transporte não poluentes, como ônibus e bicicletas

ALEXANDRE PELEGI

A cidade de Bolonha, no norte da Itália, encontrou uma maneira inusitada de estimular a população a deixar o carro em casa e usar a bicicleta ou o transporte público como meio de locomoção.

Trata-se de um serviço que premia ciclistas e usuários do transporte coletivo com a distribuição de cervejas, ingressos de cinema, sorvetes e outros “brindes”.

O sistema, realizado pelo aplicativo Bella Mossa (algo como “Bom Trabalho”), foi o jeito encontrado para conter a poluição provocada pela emissão de gases causadores do efeito estufa.

Em forma de aplicativo, a iniciativa foi financiada com recursos da União Europeia e da prefeitura de Bolonha, e funciona apenas seis meses por ano.

O urbanista italiano Marco Amadori, idealizador da ideia, disse a uma equipe da BBC que “todos têm a possibilidade de trocar uma viagem de carro por uma de bicicleta ou ônibus e receber uma recompensa“.

O aplicativo registra as viagens que o “candidato” aos brindes faz em transporte público ou por bicicleta, recompensando a assiduidade, ao invés da distância percorrida. Ou seja, quanto mais viagens (e não quilômetros), mais pontos são concedidos, o que estimula os participantes a usarem o meio de transporte menos poluente o maior número de vezes. Mas há um limite: o usuário pode registrar até quatro viagens por vez.

Os pontos são acumulados e depois trocados por produtos em estabelecimentos que aderiram ao programa.

Além de brinde, o aplicativo evita as tradicionais malandragens, já que foi projetado para detectar trapaças. Com um GPS ele consegue rastrear a velocidade e a duração da viagem (de bike ou de ônibus), e na sequência confere com os padrões selecionados no sistema.

Ao concluir sua viagem o usuário fica sabendo pelo aplicativo o quanto de CO2 deixou de ser emitido graças à sua escolha de um meio alternativo de transporte.

Pelos cálculos da equipe da BBC, que foi a Bolonha conhecer o funcionamento da ideia, são necessárias aproximadamente oito viagens para se ganhar um sorvete.

Os resultados nos primeiros seis meses do ano de 2017 o sucesso são alentadores: foram registrados 3,7 milhões de quilômetros, com 16 mil cupons trocados por brindes.

Completa o sucesso da iniciativa a colaboração e participação do comércio da cidade, que já aderiu com mais de uma centena de estabelecimentos cadastrados.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Com informações do site da BBB Brasil

1 Trackback / Pingback

  1. Aplicativo em cidades mineiras fideliza usuário do transporte coletivo e diminui perda de passageiros do sistema – Diário do Transporte

Deixe uma resposta