BYD recebe pedido de 27 ônibus elétricos de empresa da Dinamarca

Ônibus 100% elétrico de 12 metros da BYD, modelo encomendado pela Anchersen

Anchersen opera em 19 das rotas da Movia, agência de transportes públicos dinamarquesa responsável pelo sistema de ônibus na capital Copenhague

ALEXANDRE PELEGI

A BYD acaba de receber um pedido de 27 ônibus elétricos da Anchersen, empresa de ônibus que opera em 19 das rotas da Movia em Copenhague, capital da Dinamarca. Este é o primeiro pedido de ônibus elétrico feito pela Anchersen.

A Trafikselskabet Movia é a agência de transportes públicos dinamarquesa responsável pelo sistema de ônibus e por determinadas linhas férreas locais na capital do país escandinavo.

Com este novo pedido de modelos de 12 metros, a fabricante chinesa amplia ainda mais sua presença na Europa no mercado de ônibus 100% elétricos. Em 2018, a BYD já fechara um primeiro pedido para Portugal.

Os veículos, que não dependem de carga de oportunidade, serão carregados durante a noite no terminal de ônibus Anchersen, em Avedore Holme, e poderão operar o dia inteiro com uma única carga.

Os novos ônibus da BYD entrarão em operação no final de 2019, em rotas de norte a sul da cidade de Copenhague, entre Emdrup Torv e Lergravsparken.

SONY DSC

Ônibus convencional da empresa de transportes Anchersen, que opera linhas na capital dinamarquesa. Os elétricos encomendados à BYD passarão a rodar no final de 2019

Søren Englund, COO da Anchersen, afirmou que a empresa está mostrando estar pronta para os mais recentes desenvolvimentos. “Estamos agora na vanguarda da transformação do meio de transporte público elétrico, com emissão zero. Nosso objetivo é ter a mesma confiabilidade com os novos ônibus elétricos que com nossos atuais ônibus a diesel. Firmamos um contrato com a BYD porque uma pesquisa aprofundada nos mostrou que essa empresa pode atender às demandas que a Movia e a Anchersen têm para o ônibus do futuro”, concluiu.

O diretor geral da BYD Europe, Isbrand Ho, manifestou a satisfação da empresa em participar da primeira fase da transição para um transporte público verde na capital dinamarquesa. “Com a implantação dos nossos ônibus elétricos, o primeiro passo foi dado na substituição dos ônibus a diesel em Copenhague. Estamos ansiosos para uma cooperação bem-sucedida com a Anchersen A/S, que será nosso primeiro parceiro na Dinamarca”.

Agora, somente na Escandinávia, região que abrange Dinamarca, Suécia e Noruega, já são mais de 100 pedidos de ônibus BYD de diferentes modelos feitos em 2018.

Conforme afirma em comunicado à imprensa, a gigante global pioneira em energia limpa, fundada em 1995, se tornou rapidamente “a maior fabricante mundial de baterias recarregáveis, sistemas de armazenamento de energia, ônibus e caminhões 100% elétricos”.

Presente em cinco continentes, mais de 50 países e em cerca de 200 cidades a BYD têm entre seus sócios o americano Warren Buffet.

Com mais de 220 mil funcionários distribuídos em 40 fábricas ao redor do globo (sendo 20 mil engenheiros pesquisadores), a chinesa BYD é, ainda, a segunda maior fornecedora de componentes para celulares, tablets e laptops no mundo para outras marcas globais, e considerada uma das 15 empresas que estão mudando o mundo para melhor, “Change The World”, da Revista Fortune.

Em 2016, ganhou o prêmio Zero Emission Eco system da ONU, na categoria grandes corporações.

No Brasil, a BYD abriu sua primeira fábrica em 2015 para produção de ônibus elétricos e comercialização de veículos e empilhadeiras em Campinas, interior de São Paulo. Em abril de 2017, neste mesmo local, inaugurou sua planta de produção de módulos fotovoltaicos. A BYD Brasil já emprega mais de 300 funcionários nas cidades de Campinas e São Paulo.

Relembre: Fábrica de ônibus elétricos da BYD Campinas já nasce com encomendas, diz empresa

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta