Prefeitura de São Paulo remarca audiência pública para a concessão de quatro terminais de ônibus na cidade

Ônibus no sentido do Terminal Santo Amaro, um dos terminais que integra o segundo lote de concessão à iniciativa privada. Foto: Adamo Bazani (Diário do Transporte)/Clique para ampliar

Nova data é 27 de novembro. Licitação envolve os terminais Cidade Tiradentes, Pirituba, Santo Amaro e Vila Nova Cachoeirinha

ADAMO BAZANI

A secretaria de Desestatização e Parcerias da cidade de São Paulo publicou uma nova data para audiência pública da licitação que visa conceder à iniciativa privada quatro terminais de ônibus: Cidade Tiradentes, Pirituba, Santo Amaro e Vila Nova Cachoeirinha.

O encontro deve ocorrer no dia 27 de novembro às 09h00, no Auditório do edifício Jockey Club, localizado na Rua Boa Vista, n° 280, 11° andar, Centro.

O objetivo é colher sugestões e críticas para formular o edital definitivo para a concorrência.

As audiências públicas marcadas para os dias 22 e 24 de outubro de 2018 foram canceladas no dia 11 daquele mês.

Os quatro terminais fazem parte do segundo lote que será concedido para a iniciativa privada. O primeiro pacote deveria ser uma espécie de experiência para criar um modelo para as demais concessões e envolve os terminais Capelinha, Campo Limpo e Princesa Isabel.

A entrega dos envelopes com as propostas para a concorrência do terminal Princesa Isabel que estava marcada para o dia 18 de outubro teve data transferida para o dia 14 de dezembro.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2018/10/17/prefeitura-adia-entrega-de-propostas-para-concessao-do-terminal-princesa-isabel-na-regiao-da-cracolandia/

No caso dos terminais Cidade Tiradentes, Pirituba, Santo Amaro e Vila Nova Cachoeirinha, de acordo com a minuta de edital, o prazo de contrato será de 35 anos e o valor estimado será de R$ 718,3 milhões, sendo que apenas R$ 89,6 milhões serão para obras.

Além de se livrar dos encargos de manutenção dos terminais, com as concessões, a prefeitura quer passar para a iniciativa privada a incumbência de revitalizar as áreas que ficam no entorno, num raio de 600 metros.

A empresa ou consórcio terá de fazer intervenções como melhoria de iluminação, calçadas com acessibilidade, asfaltamento e implantação de ciclovias, sinalização, jardins e lixeira.

Em troca, por 35 anos, será possível explorar as áreas dos terminais com a construção de imóveis que podem abrigar estabelecimentos comerciais, de saúde, de ensino e até moradias.

Segundo a prefeitura, a conta dos terminais no atual modelo de operação e gestão não fecha, gerando prejuízos para a cidade. Por ano, os terminais geram, em média, receitas de R$ 7,1 milhões, mas custam aos cofres públicos, R$ 130 milhões.

A cidade de São Paulo possui 27 terminais municipais de ônibus: Amaral Gurgel, Antônio Estêvão de Carvalho, Aricanduva, Bandeira, Campo Limpo, Capelinha, Casa Verde, Cidade Tiradentes, Grajaú, Guarapiranga, Jardim Ângela, João Dias, Lapa, Mercado, Parelheiros, Parque Dom Pedro II, Penha, Pinheiros, Pirituba, Princesa Isabel, Sacomã, São Miguel, Santo Amaro, Sapopemba, Varginha, Vila Carrão, Vila Nova Cachoeirinha.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

1 Trackback / Pingback

  1. Prefeitura de São Paulo prorroga prazo para entrega de sugestões em licitação que vai conceder quatro terminais de ônibus para o capital privado – Diário do Transporte

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: