Metrobus deve se livrar do déficit mensal em dezembro, diz governo de Goiás

Pavimento do corredor é um dos problemas enfrentados por passageiros do BRT em Goiânia – Foto: Adamo Bazani (Clique para ampliar)

Sistema de bilhetagem e terminais e plataformas terá menores repasses do faturamento

ADAMO BAZANI

A Metrobus, empresa pública de Goiás, que opera o BRT Eixo Anhanguera e as extensões, deve a partir de dezembro zerar o déficit financeiro mensal.

A estimativa é do Governo do Estado que diz que a empresa começou o ano de 2018 com débitos na ordem de R$ 2 milhões mensais, em média.

A melhoria da situação financeira da companhia pública de transporte ocorreu, ainda de acordo com o Governo, por causa de um processo de restruturação, com redução de quadro de pessoal, que proporcionou uma economia de 20% nas despesas. Também foram adotados novos processos de gestão.

A partir de abril, 20 ônibus que estavam parados por falta de manutenção, foram colocados novamente em operação no Eixo Anhanguera.

O governo também diz que equalizou o custeio da gestão de Plataformas, Terminais e Bilhetagem, de responsabilidade do Redemob Consórcio.

Os repasses para o prestador de serviço que chegaram a consumir 40% do faturamento da Metrobus devem cair para 15, ainda segundo o Governo do Estado.

Entretanto, o sistema de BRT de Goiânia e Região Metropolitana precisa de muitas melhorias para atender adequadamente à população.

No último dia 02 de outubro, a reportagem do Diário do Transporte esteve em Goiânia para acompanhar e entrega de uma frota nova da empresa Rápido Araguaia e verificou problemas no pavimento em grande parte do eixo principal do corredor, que é de asfalto comum, estações e paradas em mau estado e ônibus com sinais de problemas de conservação.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2018/10/02/iris-rezende-volta-a-defender-privatizacao-do-brt-em-goiania/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: