VLT de Fortaleza ampliará horário de operação assistida na segunda-feira

Foto: Diário do Nordeste

Modal passará a circular de 6h às 13h e de 16h40 às 20h, de segunda a sábado; operação comercial está prevista para 2019

ALEXANDRE PELEGI

A operação comercial do VLT (Veículo Leve Sobre Trilhos) de Fortaleza (Parangaba-Mucuripe), no Ceará, tem início previsto para 2019. Atualmente com oito estações, o modal circula gratuitamente, de forma assistida, de segunda a sexta-feira, das 6h ao meio-dia.

A partir da próxima segunda-feira, dia 10 de setembro de 2018, o VLT vai ampliar o horário da operação assistida, passando a circular de 6h às 13h e de 16h40 às 20h, de segunda a sábado.

O VLT da capital cearense iniciou a fase de operação assistida em julho de 2017, entre as estações Parangaba e Borges de Melo.

Em julho de 2018, com a entrega de 4 novas estações, o VLT passou a operar entre as estações Parangaba e Papicu, um percurso de 10,8 km que abrange 8 das 10 estações previstas no projeto: Parangaba, Montese, Vila União, Borges de Melo, São João do Tauape, Pontes Vieira, Antônio Sales e Papicu.

As duas estações restantes – Mucuripe e Iate – devem ficar prontas até o final de 2018.

LINHA PARANGABA-MUCURIPE

Em formato de VLT é uma das linhas do Metrô de Fortaleza, projeto do Governo do Estado executado pela Secretaria da Infraestrutura.

O sistema de transporte de passageiros sobre trilhos está sendo implantado no ramal ferroviário de cargas Parangaba-Mucuripe, já existente.

O projeto conta com 10 estações, totalizando 13,4 quilômetros, ligando a zona portuária a zona central de Fortaleza passando nas proximidades do Aeroporto Internacional Pinto Martins, lingando duas importantes áreas da cidade: Parangaba e Papicu.

O VLT possui três tipologias diferentes de estação: uma elevada (Parangaba), a do Papicu (integração com a Linha Leste do Metrô e o terminal de ônibus municipal) e uma padronizada para as seis estações restantes: Montese, Vila União, Borges de Melo, São João do Tauape, Pontes Vieira, Antônio Sales, Mucuripe e Iate.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta