Consórcio é classificado pela prefeitura de São Paulo para manutenção da rede de trólebus por R$ 93,6 milhões

Problemas na Rede de trólebus devem ser resolvidos em, no máximo, 90 minutos, de acordo com nova exigência. Foto: Adamo Bazani/Diário do Transporte – Clique para ampliar

Contrato é por 60 meses. Concorrentes ainda podem entrar com recurso. Edital prevê ainda a retirada de 33 km da infraestrutura da rede desativada. Licitação se arrasta desde 2016

ADAMO BAZANI

A prefeitura de São Paulo divulgou neste sábado, 25 de agosto de 2018, a classificação das empresas que participam da licitação para manutenção da infraestrurura da rede de trólebus da cidade.

O Consórcio Via Aérea apresentou a proposta com o menor preço, principal critério levado em conta pela prefeitura, com uma oferta de R$ 93,6 milhões (R$ 93.617.927,69). O Consórcio Via Aérea é composto pelas empresas Trail Infraestrutura Ltda. e Spavias Engenharia Ltda.

A segunda proposta classificada foi do Consórcio Telar – CRJ, constituído pelas empresas Telar Engenharia e Comércio S.A. e CRJ Projetos e Obras Ltda, com R$ 98,7 milhões (R$ 98.722.349,00).

Em terceiro, foi classificado o Consórcio Eleltec, formado pelas empresas Eletra Industrial Ltda. e HHTEC Comércio e Serviços Ltda., que ofereceu para a realização dos serviços proposta no valor de R$ 99,9 milhões (R$ 99.973.939,32).

A partir de segunda-feira, as concorrentes têm cinco dias para contestar o resultado e apresentar recursos.

A prefeitura, por meio da SPTrans, vai analisar a documentação das empresas e as propostas de capacitação técnica.

A licitação tinha sido barrada em novembro de 2016 por determinação do TCM – Tribunal de Contas do Município.

Na ocasião, os conselheiros disseram que a SPTrans não apresentou todos os requisitos necessários para uma licitação e não demonstrou tecnicamente as necessidades do valor dos investimentos. Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2016/11/22/tcm-suspende-licitacao-para-manutencao-de-rede-de-trolebus/

De acordo com o edital, a cidade tem uma rede de fios que soma 168 km, com 23 estações para fornecimento da energia elétrica. São 200 trólebus que transportam por mês, ainda de acordo com o edital, 2,6 milhões de passageiros por mês.

Uma das exigências da licitação é que a empresa ou consórcio que vencer terá de ser ágil para resolver os problemas com a rede dos trólebus.

Priorizar o atendimento das ocorrências emergenciais que resultem em paralisações operacionais do sistema trólebus; nestes casos, o tempo médio mensal para o restabelecimento do sistema não deverá ultrapassar 90 (noventa) minutos; este tempo será medido a partir do instante em que o CCO da CONTRATADA for acionado para atender a ocorrência, até o instante de liberação do sistema para a operação da frota.

O Termo de Referência do Edital de Licitação prevê a remoção de 33 km de redes desativadas.

A Contratada deverá realizar serviços de remoção da Rede Aérea desativadas no total de 33 km. Devendo ser removido as Redes de Distribuição Aérea, Rede de Distribuição Subterrânea e Rede de Contato, conjunto de acessórios da Rede de Contato (chaves seletivas, curvas, cruzamentos, tirantes, isoladores, corrediças, etc.), e postes das seguintes trechos:

Trecho Casa Verde: Avenida Rio Branco, Rua Helvétia, Rua Guaianases, Terminal Princesa Isabel, Viaduto Orlando Murgel, Avenida Rudge, Rua Javaés, Rua Visconde de Taunay, Rua Sergio Tomas, Avenida Norma Pieruccini Giannotti, Avenida Marquês de São Vicente, Praça Luiz Carlos Mesquita, Avenida Ordem e Progresso, Ponte do Limão, Praça Delegado Amoroso Neto, Rua Doutor Ribas Botelho, Rua Reims, Rua Dom Amaral Mousinho, Avenida Casa Verde, Rua Domingo Torres, Avenida Engenheiro Caetano Alvares, Terminal Casa Verde.

Trecho Penha: Rua Coronel Rodovalho, Praça Joaquim Alves, Rua Comendador Cantinho, Praça 8 de Setembro, Avenida Penha de França, Rua Capitão João Cesário, Rua Capitão Avelino Carneiro.

Trecho Belém: Rua Belém, Largo São José do Belém, Rua Júlio de Castilhos, Rua Elói Cerqueira, Rua Cajuru, Rua Martin Afonso.

Trecho São Caetano: Largo do Paissandu, Rua Antônio de Godoy, Rua Santa Ifigênia, Largo Santa Ifigênia, Av. Casper Libero, Praça Alfredo Issa, Av. Ipiranga (pista esquerda), Rua Washington Luis, Avenida Prestes Maia, Avenida Tiradentes, Rua São Caetano, Rua Monsenhor Andrade, Rua Oriente, Rua Rubino de Oliveira.

Trecho Padre Adelino: Rua Tobias Barreto, Rua Serra de Jairé, Rua Padre Adelino, Viaduto Padre Adelino, Rua Tuiuti, Rua Serra de Bragança, Praça Silvio Romero.

Trecho 31 de Março: Viaduto 31 de Março (rede esquerda).

Na remoção de postes deverá recompor o passeio.

Durante a execução do processo de remoção da rede de contato, toda a sucata resultante será entregue nas dependências do almoxarifado da Contratante devidamente acondicionado.

O caminhão torre, o puxa fio e o guindauto, podem ter uso compartilhado com a manutenção, desde que não interferiram na execução desta atividade.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: