Frota de ônibus em Santo André continua envelhecida e gestão Paulo Serra não se pronuncia mais sobre cronograma de substituição

Outras cidades e empresas da região do ABC têm colocado veículos zero quilômetro em circulação, até mesmo em trajetos com condições adversas

JESSICA MARQUES / ADAMO BAZANI

A gestão Paulo Serra e o Consórcio União Santo André não têm se pronunciado sobre o cronograma prometido para renovação da frota do transporte coletivo municipal.

Assim, os passageiros das empresas que formam o consórcio, responsável por cerca de 75% dos ônibus municipais, não sabem por quanto tempo serão obrigados a continuar andando em ônibus mais velhos e com menor conforto.

A idade média da frota das companhias que integram o consórcio é de 6,22 anos (acima dos cinco anos permitidos pelo contrato de concessão), de acordo com o último dado disponível obtido por meio da Lei de Acesso à Informação de fevereiro.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2018/02/19/uniao-santo-andre-nunca-teve-frota-de-onibus-tao-velha-e-sistema-perde-5-milhoes-de-passageiros/

Apesar disso, o valor da tarifa básica municipal é de R$ 4,40. O último reajuste foi aplicado em março deste ano.

A gestão Paulo Serra havia cobrado das empresas de ônibus o cronograma de substituição e renovação de frota. Segundo o secretário de Mobilidade Urbana, Edilson Factori, em entrevista ao Diário do Transporte, em 19 de julho de 2018, os donos das empresas tinham descumprido o prazo da apresentação deste cronograma. Edilson disse, na ocasião, que a prefeitura se reuniria com o Consórcio União Santo André para tratar da renovação da frota ainda em julho.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2018/07/19/consorcio-uniao-santo-andre-descumpre-prazo-e-nao-apresenta-plano-de-renovacao-de-frota-diz-secretario/

Durante a semana passada, o Diário do Transporte procurou novamente a prefeitura para saber se o cronograma enfim foi apresentado ou se já havia previsão de ônibus realmente zero quilômetro e mais confortáveis.

Mas, desta vez, a gestão do prefeito Paulo Serra, preferiu não trazer nenhuma informação à população.

O Diário do Transporte então procurou o diretor da AESA, associação que reúne as empresas de Santo André (com exceção da Suzantur, da Vila Luzita), mas Luiz Marcondes de Freitas Júnior não respondeu novamente.

Desde fevereiro, o dirigente é procurado pela reportagem para comentar o assunto, mas não retorna, apesar de contatos com fornecedores de serviços.

A reportagem apurou ainda que a renovação na frota do Consórcio União Santo André foi feita com ônibus usados, menos antigos do que os que estão em circulação.

Chegaram ao sistema de Santo André veículos que deixaram de ser aproveitados em Goiânia, Salvador, Indaiatuba, Mauá e Rio de Janeiro, por exemplo.

32b1a360-e072-4a2d-a1e7-b4c85caaa8e0

Ônibus que opera na linha S36 (Parque Novo Oratório) já circulou na Viação Cidade de Mauá. Foto: Jessica Marques

O problema da falta de renovação da frota, segundo os passageiros, é que os ônibus não possuem uma configuração padronizada de portas, bancos e sinalização interna. Alguns ônibus comuns, em vez de três portas (uma para embarque e duas para desembarque), possuem apenas uma porta de desembarque no meio da carroceria e outra de acesso na frente, o que tem gerado desconforto, segundo os usuários.

OUTRAS CIDADES DO ABC RECEBERAM ÔNIBUS NOVOS:

Enquanto o sistema operado pelo Consórcio União Santo André não recebe ônibus zero quilômetro desde maio de 2016, quando a Viação Vaz fez a entrega de sete veículos, outras cidades do ABC Paulista têm recebido ônibus novos, o que contribuiu para a redução da idade média e ampliação do conforto dos passageiros.

Em São Bernardo do Campo, a concessionária SBC Trans e a gestão do prefeito Orlando Morando dizem que desde janeiro de 2017 já colocaram em circulação 105 ônibus novos, o que representa em torno de 25% da frota total da cidade, que é de 400 veículos. A mais recente entrega foi de dez ônibus de um lote de 30 na região do Alvarenga, que ocorreu em 05 de agosto.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2018/08/06/sbc-trans-entrega-no-alvarenga-primeiro-lote-de-30-onibus-novos

Em Diadema, a concessionária MobiBrasil anunciou que começou a colocar em julho, 30 ônibus zero quilômetro para trajetos municipais. As linhas que receberam as maiores quantidades de ônibus novos foram 22DP, 11EP, 26DP e 20DP.

Relembre:  https://diariodotransporte.com.br/2018/07/05/diadema-recebe-30-onibus-0-km-da-mobibrasil/

Em março, foi a vez de Mauá receber ônibus zero quilômetro. A prefeitura anunciou 30 novos ônibus, integrantes do lote de 100 que a concessionária Suzantur comprou por meio do Refrota, uma linha de financiamento no âmbito do programa Pró-Transporte, para mobilidade urbana.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2018/03/24/prefeito-de-maua-assina-ordem-de-servico-para-construcao-de-terminais-e-anuncia-30-novos-onibus/

Em Ribeirão Pires, foram entregues seis novos ônibus em dezembro de 2017. Segundo informações da Prefeitura, os veículos da Rigras são equipados com tomadas USB, câmeras de segurança e GPS, para monitorar o atendimento das demandas. O investimento da empresa foi de R$ 2 milhões.

Até mesmo a cidade de Rio Grande da Serra, a menor do ABC Paulista que tem grande parte dos itinerários operada em vias de terra, recebeu ônibus novo neste ano. A Viação Talismã, responsável pelas linhas locais, diz que comprou um veículo zero quilômetro neste ano e que tem colocado modelos usados, mas mais novos que os que antes operavam, para reduzir a idade média para em torno de quatro anos.

Em Santo André, apenas o lote de linhas da região da Vila Luzita, operado provisoriamente pela Suzantur até realização da licitação do sistema, recebeu ônibus zero quilômetro nos últimos dois anos, sendo logo no início de operação veículos com portas elevadas, e, mais recentemente, um novo modelo articulado e um elétrico híbrido, que segundo a montadora Volvo é mais silencioso e reduz, em média, de 35% a 90% as emissões de poluentes, dependendo do material a ser considerado.

A licitação do sistema de Vila Luzita está sendo refeita por determinação do Ministério Público.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2018/07/23/por-ordem-do-ministerio-publico-santo-andre-suspende-licitacao-dos-onibus-da-vila-luzita/

Jessica Marques para o Diário do Transporte
Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

18 comentários em Frota de ônibus em Santo André continua envelhecida e gestão Paulo Serra não se pronuncia mais sobre cronograma de substituição

  1. Valdir Antônio horacio // 13 de agosto de 2018 às 13:19 // Responder

    Isso aí Paulo serra prefeito transporte de lixo puro para pagar 4.40 por isso só fam suzantur dono não tem medo de emventi mais corrupção está acabando com santo andre prefeito Celso Daniel morreu nanda mundo daqui a pouco vai ter mais carro na rua esse empresário muito burro com ônibus velho povo vai comprar carro para ir para seu trabalho

  2. Precisa tem colocar mais ônibus na linha T29,pq e uma vergonha o preço da passagem ser 4,40 e o usuário fica no ponto esperando 40 minutos

  3. Paulo Roberto Postigo de Oliveira Bittencourt // 13 de agosto de 2018 às 18:41 // Responder

    Essa é a administração do PSDB haja vista o que estao fazendo no Estado de São Paulo e na cidade de São Paulo. Agora pergunto por onde anda esse prefeitinho sem vergonha???

  4. Ônibus velhos, parece que pegou um pedaço de cada ônibus mais velho e montou um com lataria nova, sem falar no barulho dentro dele, o elevador do cadeirante que nem funciona, as peças estão soltas( eu acho) batem mto e o som alto do motorista, ahhh pneus caREcas, tudo isso mais alguma coisa por $4,40. Mais uma coisinha, motorista mau humorado, mau educado.
    Obrigada, boa noite.

  5. Além da frota está velha os ônibus fede de mais por nao lavar é muito sujo po dentro

  6. Eu queria que a SBC Trans tomar linha de Santo Andre
    Por outro Lado tem suzantur que já tá em santo André ai já tomava conta das linhas

  7. MARCOS NASCIMENTO // 13 de agosto de 2018 às 22:45 // Responder

    Santo André só tem uma solução! Conseguirem genes do ex-prefeito morto em 2002 clonar e colocar esse ser híbrido para administrar a cidade. Garanto que ele iria ser melhor do que a soma de todos os últimos prefeitos que a cidade teve ao longo desses 13 anos onde até o que não estava muito bom conseguiu ser piorado. A cidade está suja, mal cuidada, sem manutenção em seu mobiliário urbano, infestada de publicidade ilegal nos postes, pontos de onibus, muros etc… isso sem falar nas pichações e no abandono geral da prefeitura para com as obras de mobilidade.

  8. Pot favor. …façam uma materia sobre os onibus intermunicipais do ABC….principalmente das espresas EAOSA e RIBEIRÃO PIRES…!!!!!!!!

  9. muito “bacana” ver o pessoal cobrar solução para um problema de décadas um prefeito q está a um ano e meio e esquecer os quase 20 q a cidade passou por governos petistas q até achacaram os empresários de ônibus da cidade

    • Celso cardoso de mello // 14 de agosto de 2018 às 09:03 // Responder

      Vai quere esperar mais dois anos pra reclamar? Ele nao está fazendo nada e vc quer que batam palmas? Vc deve ter um carguinho na administração ein? Puxa saco.

  10. Boa noite santo André precisa muito de ônibus novos porque o carros wue estão nas linhas estae muito velhos sucateados surrados bancos tudo soltos sujos velhos vidros soltos

  11. Grata envelhecida não é o único problema, a frota de Santo Andre está mais cara, sem cobrador, com a maioria dos motoristas estressados, sem um pingo de preparo e treinamento de boas maneiras no trânsito e educação com os passageiros, sem contar que implementaram um serviço de reconhecimento digital para idosos e estudantes que não funciona e atrasa todos, estudantes têm horário fixo para usar o transporte, passou da hora perdeu, ou seja fazer um trabalho pós aula, realizar uma atividade de lazer, perde-se o direito de estudante, sem contar as linhas que existem linhas que o oniôni passa a cada 5 minutos, e outras que levam de 50 minutos a 1h, será que pagam impostos diferentes também??? Ou seja se olharmos a fundo, o problema não é somente esse, tão pouco partido político, é gestão, porque isso vem acontecendo a anos seja PT ou PMDB.

  12. Celso cardoso de mello // 14 de agosto de 2018 às 08:54 // Responder

    Mas….

  13. Celso cardoso de mello // 14 de agosto de 2018 às 08:58 // Responder

    Será que existe conflitos de interesses pelo fato da secretaria adjunta da Secretaria de Mobilidade ser casada com o tal Luiz Marcondes da AESA??
    Será??

  14. O cara tá aí a dois anos… Meu na boa já tá na hora de ser mais firme com essas empresas a SA TRANS que gerencia o transporte da cidade ao meu ver está conivente com essa situação, das empresas do consórcio só a viação Vaz trouxe 0KM mas já tem um tempo. Agora ETURSA, GUAIANAZES, CURUÇÁ tá trazendo ônibus semi novo porém obsoletos com porta central para desembarque… A Suzantur como já está descrito na reportagem é a única que está dentro dos padrões, mas não faz os devidos investimentos por causa do contrato, falando nisso KD a licitação da vila Luzita? … Nunca nem vi kkk

  15. Pura falta de respeito para com o usuário destes ônibus,além de tudo agora inventaram de por cartão com digital pra idoso..
    Ñ sei o que falta inventarem ..melhorias que é bom,nada!!!

  16. Quando chegar o mes de outubro q havera eleicao vai surgir onibus novos e isso e aquilo.Utilizo os onibus do terminal da Vila Luzita q eh terrivel.Tem de tudo .Motoristas e fiscais sem educacao .Onibus sujo e barulhento e podiam fazer um posto pra carregar o cartao ou qdo der problema no cartao ja resolver la e nao no posto shopping.Enfim muitos problemas e nehima solucao.

1 Trackback / Pingback

  1. Santo André terá plano de renovação da frota até setembro e licitação de Vila Luzita vai ser concluída até o final do ano, promete Paulo Serra – Diário do Transporte

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: