Obras do BRT de Salvador causam alterações em pontos de ônibus e fluxo de pedestres

Mudanças ocorrem nas vias principal e marginal da Avenida ACM. Clique para ampliar.

Mudanças serão realizadas a partir de 1º de agosto

JESSICA MARQUES

As obras de implantação do primeiro trecho do projeto do BRT de Salvador vão causar alterações em pontos de ônibus e no fluxo de pedestres. As alterações serão nas vias principal e marginal da Avenida ACM, no sentido Cidade Jardim e começam a valer a partir de 1º de agosto, segundo informações da Prefeitura.

A justificativa da Prefeitura para as alterações é que as mudanças são “fundamentais para garantir a segurança da população durante o período de obras, que envolvem a construção de elevados, viadutos, ciclovia e corredores exclusivos de tráfego”.

A previsão da primeira etapa do projeto do BRT está prevista para durar aproximadamente um ano.

Confira as mudanças:

Pedestres

Quem anda a pé vai sentir mais as mudanças. No trecho entre a Igreja Universal e o Centro de Atenção à Saúde Professor Doutor José Maria de Magalhães Neto (Cepred), por exemplo, a calçada à esquerda da via marginal passará por obras.

Segundo a Prefeitura, a calçada “será reformada e alargada, corrigindo problemas de ondulações e facilitando o trânsito de pessoas com mobilidade reduzida, sobretudo cadeirantes”.

“O canteiro por onde passa o canal Camarugipe, depois do Cepred e até a Comercial Ramos, será isolado com tapumes por questões de segurança, tanto na via marginal como na ACM. Ou seja, não será mais permitida travessia pedestres nessa área. A travessia da pista marginal para as vias principais, e vice-versa, só poderá ser feita pelas extremidades, por fora da área tapumada” – explicou a Prefeitura, em nota.

Outra mudança é no estacionamento que existe em frente às lojas de automóveis, antes do Cepred, que será retirado para a ampliação da calçada. Além disso, lombofaixas serão implantadas para permitir o acesso à unidade de saúde.

A Prefeitura informou que não haverá alterações no fluxo para automóveis nesse trecho e nem a retirada do estacionamento de Zona Azul que fica ao longo da pista marginal depois do Cepred.

Pontos de ônibus

Por conta do isolamento por tapume de toda a área em obras, o ponto de ônibus localizado na Avenida ACM, em frente à Igreja Mundial do Poder de Deus, será mudado para perto da faixa de pedestre e do semáforo, que ficam 350 metros mais adiante, no sentido Comercial Ramos. Quem atualmente pega o ônibus neste local terá como opção o novo ponto mais à frente ou aquele situado nas imediações da Universal, que não sofrerá modificação.

O ponto de ônibus da região do Cidadela será retirado. “Quem pega o transporte público nesse local terá como opção o ponto que fica mais adiante, logo depois da sinaleira que permite a travessia segura para o McDonald’s. Uma segunda opção é a outra parada de ônibus próxima à Comercial Ramos, que também não sofrerá modificação. Vale frisar que não haverá mudanças no itinerário de linhas do transporte público” – garantiu a Prefeitura.

Automóveis

Em função da área tapumada ocupar parte da via ACM, a pista principal será alargada, preenchendo também o canteiro central. As pistas de entrada e saída de veículos da via marginal, na área do Cidadela (após o retorno da Polêmica), serão fechadas.

Com as obras, a velocidade máxima, tanto na marginal quanto na principal, em ambos os sentidos da ACM, será de 40km/h enquanto durarem as intervenções (hoje os limites são de 60km/h e 70km/h, respectivamente).

A polêmica do BRT

Diversos movimentos, artistas e grupos da sociedade civil são contra o projeto do BRT em Salvador. Grupos de manifestantes organizaram protestos no local das obras, se posicionando contra a derrubada de árvores para a instalação do corredor. Outra crítica é a falta de diálogo com a população.

Relembre: Caetano Veloso critica BRT de Salvador e esquenta polêmica sobre projeto. Prefeitura reage

A Prefeitura, por sua vez, argumenta que as críticas ao BRT feitas por artistas são fruto de desconhecimento do projeto.

“Tem gente entrando numa onda de boatos e notícias falsas sobre o BRT sem nem procurar se informar sobre o projeto, inclusive pessoas conhecidas que nem em Salvador mora. Esse é um projeto que vai resolver em definitivo problemas de mobilidade e de infraestrutura em uma das áreas mais movimentadas da cidade. É um projeto voltado para os mais pobres, beneficiando diretamente 340 mil pessoas”, declarou.

Continua o texto publicado no site oficial da Prefeitura de Salvador:

Fábio Mota afirmou que, entre as mentiras espalhadas, está a de que o projeto vai custar R$1 bilhão. “A Prefeitura conseguiu um orçamento de R$820 milhões para a obra inteira. Mas isso é o teto. Toda a obra deverá custar algo em torno de R$500 milhões, após a licitação do segundo trecho. Para o primeiro trecho, o orçamento era de R$377 milhões, mas, após a licitação, ficou em R$212 milhões. E é uma obra completa, que vai resolver em definitivo problemas de alagamentos em vias como a ACM e Juracy Magalhães, uma demanda antiga da cidade, e também melhorar a mobilidade para quem anda de carro ou bicicleta. Os engarrafamentos irão diminuir, melhorando a qualidade de vida das pessoas. A Prefeitura está assumindo as suas responsabilidades com esse projeto”, declarou. 

O secretário disse que as críticas ao projeto são elitistas. “Mais de 340 mil pessoas que hoje andam de ônibus por onde o BRT vai passar serão beneficiadas. Por isso, os moradores de localidades como a Polêmica, Nordeste de Amaralina, Santa Cruz, Vale das Pedrinhas ou Vale das Muriçocas são a favor do projeto, porque essas pessoas necessitam de um transporte mais rápido, mais confortável, mais seguro, com maior capacidade de passageiros, com ar-condicionado, que trafegue em vias exclusivas. Quem critica o BRT desconhece a realidade diária desses cidadãos”, frisou.

No final da publicação, a prefeitura repete uma lista de dez razões que explicam por que o BRT é importante para Salvador:

1 – O BRT será um ônibus maior (23 metros), com ar-condicionado e que vai fazer a ligação entre a Lapa e a região da rodoviária passando por avenidas como Vasco da Gama, Juracy Magalhães e ACM, em trajeto diferente do realizado pelo metrô;

2 – Por circular em vias exclusivas e segregadas de tráfego, o BRT não vai pegar semáforo ou cruzamento. Por isso, ele vai fazer a ligação entre a Lapa e a região da rodoviária em apenas 16 minutos;

3 – Cerca de 340 mil pessoas circulam diariamente de ônibus comum na região por onde o BRT vai passar, com a utilização de 68 linhas. Além disso, 7 em cada 10 passageiros que utilizam ônibus em Salvador tem como ponto de partida ou destino a região por onde o BRT vai circular;

4 – O BRT só vai parar em estações próprias, confortáveis e modernas, de forma programada. Em situações normais, nunca haverá atraso;

5 – O BRT polui menos do que o ônibus comum e, por ser um transporte melhor, vai permitir que mais pessoas deixem os carros em casa para trabalhar. Além disso, ele poderá ser elétrico ou híbrido;

6 – Por utilizar pneus, o BRT, que foi inventado no Brasil e utiliza tecnologia 100% nacional, pode ter linhas extensivas, deixando as vias exclusivas quando necessário. Além disso, ele poderá ser expandido mais rapidamente para o Subúrbio e o Centro da cidade, como prevê a Prefeitura em seu Plano de Mobilidade;

7 – O projeto do BRT envolve, além da construção das vias exclusivas, a implantação de viadutos que irão solucionar o problema da mobilidade em áreas sensíveis da cidade. Mesmo quem utiliza automóvel será beneficiado com a eliminação de semáforos, cruzamentos e retornos;

8 – O projeto do BRT prevê ainda investimentos que irão solucionar problemas de alagamento em vias importantes de Salvador;

9 – Junto com os corredores exclusivos do BRT, a cidade vai ganhar uma ciclovia segregada ligando a Lapa à região da rodoviária;

10 – O BRT será 100% integrado ao metrô e ao ônibus comum, com tarifas que estarão de acordo com as cobradas por esses modais. 

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta