Rodoviários de ônibus intermunicipais mantêm greve no Ceará

Foto: Davidson Gomes (Ônibus Brasil)

Reunião mediada pelo MPT entre empresários e trabalhadores não chegou a consenso após quatro horas de negociações

ALEXANDRE PELEGI

Terminou sem acordo, nesta quinta-feira, dia 12 de julho de 2018, a reunião entre o Sindicato dos Trabalhadores das Empresas de Transporte Rodoviário de Passageiros Intermunicipal e Interestadual (Sinteti) e o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Intermunicipal e Interestadual do Ceará (Sinterônibus).

O encontro foi mediado pelo Ministério Público do Trabalho (MPT), e as negociação perduraram por mais de quatro horas. Sem acordo, os trabalhadores decidiram pela continuidade do movimento grevista.

Segundo o MPT o sindicato dos rodoviários sugeriu anular o termo aditivo que prevê fim do passe livre, criação do banco de horas e redução do intervalo de descanso (11 horas para 8 horas). Além disso, pediu o restabelecimento da convenção coletiva de trabalho na íntegra, item negado pelas empresas.

As empresas de ônibus se posicionaram contra também o restabelecimento do vale refeição, da cesta básica e do plano de saúde dos profissionais.

Em nota após o encontro o Ministério Público do Trabalho informou que vai manter ativo o procedimento de negociação diante da continuidade da greve – “prosseguimento do conflito coletivo poderá exigir demanda conciliatória ou outro tipo de atuação“.

A greve foi decidida em assembleia dos motoristas realizada no dia 4 de julho. A redução da jornada de trabalho proposta pelo Sindicato das Empresas é um dos pontos de forte discordância. De acordo com o sindicato dos trabalhadores a proposta reduziria em mais de 50% os salários da categoria.

No meio da semana, os trabalhadores rodoviários denunciaram que as empresas querem reduzir a jornada de trabalho e direitos trabalhistas (como folgas, hora-extra e vale-refeição). O presidente do Sindicato dos Trabalhadores, Carlos Jefferson, chegou a afirmar que as empresas querem demitir funcionários para contratar jovens aprendizes.

Diante das denúncias, a Viametro (Viação Metropolitana Ltda), concessionária que atende a Região do Cariri, em Juazeiro do Norte, publicou em seu site a seguinte nota:

A Via Metro Cariri vem prestar os esclarecimentos a seguir:

1) Não existe a possibilidade nem a previsão legal de redução salarial ou jornada de trabalho dos atuais funcionários que compõem o quadro desta empresa, bem como a substituição dos mesmos por funcionários com jornada de trabalho e salário diferenciados, é vedada este tipo de redução nos contratos de trabalhos atuais, os quais foram amplamente discutidos e esclarecidos e que estão em posse de todos.

2) Não existe a possibilidade dos atuais funcionários serem desligados e posteriormente recontratados com jornada e salários diferenciados.

3) Em nenhum momento foi ventilado a possibilidade de encerramentos dos contratos de trabalhos atuais em novembro.

Este comunicado visa esclarecer notícias que estão sendo veiculadas e que irresponsavelmente geram dúvidas na relação de trabalho entre as partes

11/07/2018 – Auto Viação Metropolita LTDA

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: